Publicidade

Posts com a Tag Wiltord

quarta-feira, 25 de junho de 2014 Copa do Mundo, Seleção francesa | 20:02

França e Equador ficam no zero: classificação em primeiro!

Compartilhe: Twitter
Terceira combinação de uniforme diferente da França: hoje toda de branco, contra Suíça de branco-azul-branco, e contra Honduras de azul-azul e vermelho, de cima para baixo (Le Monde)

Terceira combinação de uniforme diferente da França: hoje toda de branco, contra Suíça de branco-azul-branco, e contra Honduras de azul-azul-vermelho, de cima para baixo (Le Monde)

Não deu para repetir a façanha da Copa de 1998, com 100% de aproveitamento na fase de grupos, mas a invencibilidade foi mantida hoje no Rio de Janeiro e, o que é mais importante, o posto de líder do Grupo E para o próximo desafio nesta Copa 2014. Pelas oitavas de finais, o adversário a ser batido é a Nigéria, segunda colocada do Grupo F, na segunda-feira, dia 30, às 13h, em Brasília. À Suíça, que se classificou atrás dos Bleus, cabe a tarefa inglória de encarar a Argentina, na terça-feira, 13h, em São Paulo.

-> Principal jogador francês na Copa, Karim Benzema não canta o hino nacional em protesto contra a xenofobia

Benzema, que havia marcado 9 vezes nas últimas 8 partidas pela França, passou em branco pela primeira vez no torneio, mantendo-se com 24 gols com a camisa francesa – é o 9º maior artilheiro bleu, dois gols atrás de Wiltord, que atuou de 1999 a 2006 e foi vice-campeão mundial na última Copa disputada na Alemanha. O duelo do 10 gaulês contra Enner Valencia, goleador equatoriano, prometia ser bom, porém não estavam calibrados nesta quarta-feira – tanto que o melhor em campo, segundo o Man of The Match, foi o arqueiro Domínguez…

O jogo
Com Cabaye suspenso e a classificação 99% assegurada antes do apito inicial, Deschamps optou por poupar alguns titulares, como Debuchy, Varane, Evra e Valbuena. O primeiro tempo foi mais pegado do que bem jogado, com poucas chances claras de gols, algumas trombadas e até uma cotovelada de Sakho, que ainda bem que o árbitro não viu…

Os jogadores deixaram o gramado para o intervalo sob vaias dos brasileiros no Maracanã, que teve mais de 73 mil pessoas de público! Os franceses estavam tranquilos, e os equatorianos apreensivos, pois com o empate e a vitória da Suíça por 2 a 0 sobre Honduras, era preciso vencer para seguir no Mundial.

-> Em família: belas esposas e namoradas dos atletas franceses posam para foto no Maraca

O segundo tempo começou muito bom para os Bleus. Logo no primeiro minuto, Sagna apareceu bem, perto da linha de fundo, cruzou rasteira e Griezmann desviou rumo ao gol. Domínguez defendeu no reflexo e a bola tocou a trave! Dois minutos depois, Digne tentou desarmar Antonio Valencia no carrinho, e o meia-atacante sul-americano deixou as travas da chuteira na perna do lateral do PSG: vermelho pra ele!

A partida ganhava em emoção, pois o Equador não esmorecia, mesmo com um a menos, pela necessidade premente do gol, consequentemente dando mais espaço para a França contra-atacar com perigo. Com 15 minutos, Deschamps colocou Varane, para poupar Sakho, com dor na coxa esquerda, e dar ritmo de jogo ao zagueiro do Real Madrid.

-> A ESPN do Brasil deslocou o competente comentarista Leonardo Bertozzi para acompanhar a França na Copa. Para acompanhá-lo, seu Twitter é @lbertozzi

Outro que teve mais uma chance foi Giroud, aos 21, substituindo o motor do time, Matuidi – fez muito bem Didier em dar uma descansada nele! O Equador foi cansando, se arriscando e dando mais posse de bola aos franceses, enquanto a Suíça ampliava pra 3 a 0 sua vitória… Aos 28, Sissoko levantou na medida para Pogba, mas o cabeceio do volante da Juventus saiu torto, que chance desperdiçada!

Cinco minutos depois, a última troca de DD, permitindo a Rémy estrear na Copa com a saída de Griezmann. Valente, o adversário não desistia de atacar e preocupar, ao passo que Les Bleus também não abdicavam do jogo, apesar de errar e se lamentar muito na frente – Pogba era um dos que mereciam o gol. E assim foi até o final, na segunda vez em que as seleções se enfrentaram – na primeira, houve vitória francesa por 2 a 0 em amistoso disputado em 2008.

Que venham os nigerianos! Lembrando que, todas as vezes em que foi além da primeira fase, nossa seleção chegou pelo menos às semifinais (58, 82, 86, 98 e 06)!!

Ficha técnica francesa: Lloris; Sagna, Koscielny, Sakho (Varane), Digne; Pogba, Matuidi (Giroud), Sissoko e Schneiderlin; Griezmann (Rémy) e Benzema. Técnico: Deschamps

No twitter @obrunopessa, com a hashtag #leblogdufoot, tem mais informações e comentários meus sobre a França e a Copa ;)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 7 de junho de 2012 Seleção francesa | 21:08

Momento retrô: Inspirações francesas para a Eurocopa

Compartilhe: Twitter

Daqui a quatro dias, os Bleus começam a busca pelo tricampeonato europeu. Sabem como foram as conquistas em 1984 e 2000? Eu pouco sabia, até assistir aos filmes oficiais da Uefa dos respectivos torneios, que a SporTV transmitiu e felizmente arquivou em seu site. Ambos têm pouco mais de 50 minutos, em forma de documentários, e é claro que recomendo ao fã do foot!

*1984 – Assista ao filme aqui
Depois de 24 anos, a Euro voltava ao país de seu criador, Henry Delaunay. E aquela edição representaria o momento de glória de uma geração habilidosa, que também foi a duas semifinais de Copas do Mundo, em 1982 e 86. Uma equipe que plantou as sementes (conforme análise do Trivela) de uma nova geração vitoriosa, marcada na história do futebol mundial em 1998 e 2000.

Como seria Zidane anos depois, Michel Platini foi o craque de 1984, ostentando até hoje o recorde de gols em uma única Euro: 9 (o ataque do time fez 14, feito também imbatível até aqui!). Excelente, e se considerarmos que foram só 5 jogos na campanha (eram apenas 8 seleções no campeonato), impressionante! Curiosamente, a artilharia-mor de uma única Copa também cabe a um francês, Just Fontaine, 13 em 1958. Mas não podemos olvidar que Platini compunha um meio-campo memorável, chamado até de mágico na época, ao lado de Jean Tigana, Alain Giresse e Luis Fernandez, espanhol naturalizado francês. Sob o comando de Michel Hidalgo, o time confirmou a expectativa da torcida, atuando em casa (em 2016 o filme se repetirá?), e garantiu o primeiro título de expressão para a França.

Campanha: França 1 x 0 Dinamarca – Paris, Parque dos Príncipes (a casa gaulesa pré-Stade de France)
França 5 x 0 Bélgica – Nantes
França 3 x 2 Iugoslávia – Saint-Etienne
Semifinal – França 3 x 2 Portugal – Marselha
Final – França 2 x 0 Espanha – Paris

**2000 – Assista ao filme aqui
Outra marca histórica da França foi conquistada quando a Euro teve sua primeira sede compartilhada, entre Bélgica e Holanda: nunca uma seleção fora campeã europeia logo após ter sido campeã mundial. Com Zizou em plena forma e a base de 1998, Roger Lemerre liderou um elenco que soube confirmar o favoritismo, embora tenha passado por dificuldades, como uma final “sufocante” contra os italianos. Deschamps se despediu da seleção levantando mais uma taça, o então zagueiro-líbero Blanc voltou a beijar a careca de Barthez após a decisão, e jovens como Henry e Trezeguet contribuíram decisivamente também, ao lado do mais velho Djorkaeff. No filme supracitado, Petit, Vieira e Pirés também depõem.

Campanha – França 3 x 0 Dinamarca
França 2 x 1 Rep. Tcheca
França 2 x 3 Holanda (Bleus com reservas, pois ambas já entraram classificadas)
Quartas – França 2 x 1 Espanha (Raúl desperdiçou pênalti idiotamente cometido por Barthez no final)
Semis – França 2 x 1 Portugal (repetindo 84. Zidane garantiu a vitória, de pênalti, com o gol de ouro na prorrogação)
Final – França 2 x 1 Itália (os italianos fizeram 1 a 0 em Roterdã, já no 2o tempo. Wiltord, Trezeguet e Pirès vieram do banco para suprir o cansaço bleu. O primeiro empatou pertinho do fim, quando a Azzurra preparava a festa, causando o tempo extra. Abalada, a Itália viu o segundo ir à linha de fundo e cruzar para um lindo meio-voleio do terceiro, gol de ouro e bicampeonato francês!)

Karim Benzema, Hatem Ben Arfa e Samir Nasri com o troféu da Eurocopa sub 17 de 2004, após a França ter batido a Espanha por 2 a 1, em 15 de maio daquele ano, em Châteauroux (Photo: Alain de Martignac)

Os títulos relatados acima não são os únicos links da França com um passado vitorioso no contexto europeu. Dentro do atual elenco do atual técnico Blanc, despontam talentos da chamada “Geração 87”, nascidos naquele ano e protagonistas do título expresso na fotografia acima. Além da tríade ilustrada, Menez e Matuidi também estavam lá e reaparecem aqui.

Essa geração está pronta para o renascimento na Polônia e na Ucrânia?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 3 de novembro de 2010 Franceses no mundo, Torneios europeus | 20:53

Chocolate do Marselha e arroz com feijão do Auxerre

Compartilhe: Twitter
zilina_marselha_gignac_dubravka_reuters

As atuações de Gignac e do goleiro Dubravka contrastaram gritantemente, como nessa foto da agência Reuters

Bela quarta-feira para os times franceses na Liga dos Campeões da Europa, numa semana em que tudo se inverteu em relação às duas primeiras rodadas: Lyon perdeu, Marselha e Auxerre ganharam. Com placares beeeem diferentes, mas em circunstâncias favoráveis, reanimando-os no principal torneio do continente.

E que goleada ACACHAPANTE do Olympique: 7 a 0 no MSK Zilina, e na Eslováquia! Foi a segunda maior vitória da história da Uefa Champions League, atrás apenas de Liverpool 8 x 0 Besiktas, em 2007. O Marseille ainda alcançou os recordes de maior vitória fora de casa ao final da partida e nos primeiros 45 minutos de jogo, quando já estava 4 a 0.

Particularmente, quem não se esquecerá desta noite de terça-feira será André-Pierre Gignac, aplaudido e substituído na segunda etapa por Brandão. Depois de marcar apenas um gol em dez jogos disputados na atual temporada, entre Ligue 1 e Champions, o atacante ex-Toulouse renasceu: fez um hat-trick e se tornou o quarto francês a obter tal marca na competição, depois de Franck Sauzée (esse eu não conhecia), Thierry Henry e Sylvain Wiltord. Lucho González marcou dois, Gabriel Heinze e Loïc Rémy completaram o placar com um tento cada.

Como era esperado, o Chelsea não tomou conhecimento do Spartak Moscou: 4 a 1 no Stamford Bridge, em resultado excelente para a pretensão de classificação do OM. Curiosamente, entre os que mais ajudaram o time francês no jogo de Londres estão o francês Nicolas Anelka (agora vice-artilheiro geral*), autor de um gol, e Didier Drogba, ex-Olympique, com um gol (de pênalti) e uma assistência (cruzamento perfeito para o cabeceio de Ivanovic). Agora, Marselha e Spartak empatam em pontos, mas o enorme saldo de gols do time francês não o coloca na frente porque, no confronto direto (1º critério de desempate), a vantagem é russa, pela vitória por 1 a 0 no Vélodrome. Portanto, é mais do que recomendável aos comandados de Didier Deschamps uma vitória em Moscou, na próxima rodada, dia 23.

auxerre_ajax_birsa_sammaritano_quercia_reuters

Julien Quercia tenta evitar, sem sucesso, a comemoração nada máscula de Valter Birsa e Frédéric Sammaritano (Reuters)

Bem mais magra, porém tão importante quanto, foi a vitória do Auxerre sobre o Ajax no L’Abbé-Deschamps, por 2 a 1. O AJA abriu o placar logo de cara, quanto Frédéric Sammaritano não quis saber da fama religiosa do seu nome e chegou com tudo num chute-dividida que virou gol nos primeiros minutos. A pressão holandesa foi intensa, Luiz Suárez deu um trabalhão e o empate veio de cabeça (com o beque Alderweired), no segundo tempo. Quando tudo parecia resolvido, porém, Kamel Chafni foi espertaço após sofrer falta no ataque: bateu rapidinho, colocando Steeven Langil na cara de Stekelenburg, e a rolada por baixo do arqueiro deu a vitória aos anfitriões.

Uma vitória do Real Madrid sobre o Milan seria perfeita para o sonho auxerrense, mas até que o empate por 2 a 2 no San Siro não foi ruim, pois a equipe francesa (3 pontos) está a apenas dois pontos do time italiano, vice-líder do grupo G (o Ajax tem 4). Como o Auxerre receberá os rossoneros na próxima rodada, pode ultrapassá-los na tabela em caso de vitória e, se o Real bater ou empatar com o Ajax na Holanda, subirá para uma surreal segunda posição na chave da morte! Como o futebol está sempre sujeito a acasos e imprevistos, o que custa sonhar?

FfF
Pinceladas sobre o que fizeram os jogadores franceses que atuam fora da França: 

– Ontem, Gabriel Obertan anotou um belo gol na vitória do Manchester United sobre o Bursaspor (3 a 0)

– Como disse o Filipe nos comentários, Karim Benzema foi o responsável pela assistência para o gol que salvou o Real Madrid da derrota na Itália. No fim de semana, pelo Campeonato Espanhol, ele também foi fundamental para o sucesso do time, que venceu o Hércules de Trezeguet (que abrira o placar) de virada.

Jérémy Menez abriu o placar para a Roma contra o Basel, finalizando com categoria. Acabaria 3 a 2 pró-giallorossi na Suíça.

Gael Clichy vacilou feio no lance que redundaria no segundo gol do Shakhtar Donetsk sobre o Arsenal, o de Eduardo, perdendo a bola na defesa, perto da linha de fundo. Os Gunners levaram 2 a 1 na Ucrânia.

*Com 5 gols em 4 jogos, Anelka está empatado com Lionel Messi (Barcelona) e atrás apenas de Samuel Eto’o (Inter de Milão), que tem 7.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 Brasileiros na França, Extracampo | 19:40

E fechou-se (mas não completamente) a janela

Compartilhe: Twitter

Fiquei devendo os últimos capítulos franceses da janela europeia de transferências de inverno. Vale lembrar que a janela do mercado do futebol europeu se fechou na última segunda-feira, mas outros países adotam calendários diferentes – como Brasil e Rússia, por exemplo. Portanto, jogadores que atuam na França ainda podem deixar o país e atletas franceses que estão em outros países também.

Vamos rever os últimos lances do mercado da bola por categorias então:


*BRASILEIROS NA FRANÇA 

– Tudo parecia certo para Deyvid Sacconi deixar o Palmeiras rumo ao Nantes. Mas o time francês desistiu na última hora porque descobriu que o passaporte comunitário (europeu) do meia ainda é apenas um protocolo… Calma Sacconi, se ralar no Verdão você consegue algo melhor que a Ligue 2!

Ilan, que já havia rescindido com o Saint-Etienne, foi para o West Ham. Não mudou muita coisa em termos de situação na tabela, pois o time inglês também luta para não cair na Premier League. Mas na terra do chuveirinho, o alto atacante pode se dar bem… 

Francileudo Santos é tunisiano naturalizado faz tempo, mas como nasceu no Brasil, me permito incluí-lo par ici. Depois de deixar o Sochaux em junho de 2009, o atacante arrumou uma vaga no Istres, da segunda divisão francesa.

– O meia Ederson revelou que recebeu propostas de Lazio e Rennes. Mas não quis trocar de endereço na França nem se mudar para a Itália: segue no Lyon.

Ederson em ação na Liga dos Campeões: ele se mantém lionês (AP)

Ederson em ação na Liga dos Campeões: ele se mantém lionês (AP)


*TIMES FRANCESES

– O Paris Saint-Germain insistiu com a Roma para repatriar o meia-atacante francês Jeremy Menez, ex-Monaco, mas não houve acordo. O PSG também tentou pegar Ânderson emprestado do Manchester United, mas ouviu outro “não”, assim como foi com o PSV, quando mirou o mexicano Carlos Salcido. Que fase heim! O atacante sérvio Mateja Kezman voltou de empréstimo ao Zenit São Petersburgo. Resta saber se compensará mantê-lo por 250 mil euros mensais…

– O Lille teve um entra e sai: recebeu o zagueiro português Ricardo Costa, de 28 anos, do Wolfsburg, e perdeu o atacante eslovaco Robert Vittek, 27 anos, emprestado para o Ankaragücü, da Turquia.

– O Toulouse, por outro lado, só perdeu: o atacante de 23 anos Xavier Pentecôte foi emprestado ao Bastia, da Ligue 2.

– O Metz, mais um time da Ligue 2, acertou com o veterano atacante Sylvain Wiltord. O jogador de 35 anos, que esteve nas Copas de 2002 e 2006, estava sem clube desde que deixou o Olympique de Marselha no meio do ano passado.

*FRANCESES NO MUNDO

– Franck Ribéry continuou no Bayern de Munique, apesar de o atacante ter sido mais notícia, nos últimos tempos, por rumores de sua saída do que por belas atuações. Mas o atacante tem boas chances de deixar o clube alemão no fim da temporada europeia, entre maio e agosto. Além do já conhecido interesse do Real Madrid, agora aparece o do Barcelona. Não tá fraco o Scarface!

– O lateral-esquerdo Jerôme Rothen foi novamente emprestado pelo PSG. Depois de atuar no escocês Rangers, vai fazer companhia a Vittek no turco Ankaragücü.

Alguém tem mais informação (ões) a destacar sobre o fim das transferências?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 17 de maio de 2009 Brasileiros na França, Francês da 1ª divisão | 23:00

E o Bordeaux aplaude o Lyon

Compartilhe: Twitter

O Lyon de Benzema desloca o Marselha da luta pelo título, já em uma das mãos do Bordeaux (AFP)

Dividindo a liderança rodada a rodada, Olympique de Marselha e Bordeaux faziam a sua parte com vitórias. Mas aí pintou um Lyon no caminho do OM. Tudo bem, foi no Vélodrome. Mas o resultado foi uma ducha de água fria na litorânea Marselha: 3 a 1 para o OL, que, fora da luta pelo título, só sentiu o gostinho de atrapalhar mesmo.

(apêndice: As verdades precisam ser ditas. Em Condições Normais de Variabilidade Joguística (CNVJ), eu veria o clássico acima em uma das TVs da redação do iG, porque trabalhei neste fim de semana. Mas como a partida foi às 16h no Brasil, coincidindo com a rodada do Brasileirão, não tive como alterar a prioridade do iG Esporte neste plantão, que aliás me impediu de me detalhar mais aqui, pardon. Amanhã procurarei me redimir)
 
Resuminho da contenda: O OM começou pressionando, com bola na trave e muito trabalho pra Lloris. Aos 29 minutos, pênalti em Ederson! De Brandão, acredita?! O que ele fazia ali? Benzema não quer saber, é gol! Antes do intervalo, castigo: Benzema recebe na área e não perdoa, 2 a 0.

O Marselha voltou com tudo, Niang recebeu dois trancos duvidosos, o juiz mandou seguir e o estádio quase veio abaixo… Os donos da casa pressionavam, mas nada de gol, para desolação evidente do técnico Eric Gerets. Cris e Brandão faziam um aguerrido duelo brasileiro, Benzema perdeu a chance de encerrar a conta, até que Wiltord diminui, 2 a 1. Será que dá tempo? Não dá: Juninho deixa o banco, entra e marca de falta, de longe. OK, ele merece!

Claro que o Bordeaux teve que fazer a sua parte para ser o novo líder isolado a duas rodadas do fim, abrindo três pontos com o revés trágico do Marselha. Muita emoção mas, se você tem Gourcuff, relaxa: 3 a 2 no Le Mans (Chamakh e Planus também marcaram; Le Tallec fez dois para os visitantes).

Demais resultados:
Paris Saint-Germain 1 x 2 Auxerre  – dois gols contra, um pra cada lado! E o PSG lastimável…
Saint-Etienne 2 x 2 Toulouse – 1 de Ilan, 1 de Gignac (artilheiraço da Ligue 1)
Caen 2 x 0 Sochaux – Savidan fez 2 (ele já esteve na seleção, mesmo jogando no Caído)
Lille 1 x 1 Nice
Nantes 1 x 1 Rennes 
Lorient 1 x 1 Le Havre
Monaco 1 x 1 Valenciennes
Grenoble 0 x 0 Nancy
(ufa, que festival de empates…)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,