Publicidade

Posts com a Tag seleção brasileira

quarta-feira, 11 de maio de 2016 Copa do Mundo, Ex-jogadores, Seleção francesa | 13:42

Planeta Bola: Os brasileiros chamados Zidane

Compartilhe: Twitter

Publiquei hoje no blog Planeta Bola, também do iG, sobre a curiosa aderência do nome Zidane a brasileiros nascidos depois que o craque francês foi um dos principais responsáveis pela eliminação da seleção nacional em duas Copas do Mundo.

Para ler o post, CLIQUE AQUI.

(lembrando que, desde outubro de 2015, como postei aqui, passei a abastecer o Planeta Bola, deixando este blog sem posts originais)

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 13 de agosto de 2015 Brasileiros na França, Francês da 1ª divisão | 13:52

Autor do primeiro gol do campeonato volta à seleção brasileira

Compartilhe: Twitter
Lucas deixa o goleiro Enyeama para trás antes de marcar o gol inaugural da L1

Lucas deixa o goleiro Enyeama para trás antes de marcar o gol inaugural da L1

Lucas começou muito bem o Campeonato Francês 2015/16, marcando o gol da vitória do Paris Saint-Germain sobre o Lille, sexta passada, na abertura da rodada inicial. O meia-atacante já vinha de uma temporada anterior boa, porém não teve chances com Dunga na seleção brasileira que se preparou e disputou a Copa América, em julho.

Hoje o ex-São Paulo foi convocado pelo técnico, assim como os colegas de PSG David Luiz e Marquinhos, zagueiros. Ausência sentida foi a de Thiago Silva, capitão do esquadrão parisiense, que não foi bem no jogo que acabou eliminando o Brasil no Chile. Fabinho, brasileiro do Monaco, esteve na Copa América porém não foi chamado nesta quinta-feira.

A primeira rodada da Ligue 1, no fim de semana passado, foi bem equilibrada, com apenas uma vitória por mais de um gol de diferença. Para ver os resultados, classificação, tabela de jogos, notícias e vídeos com os gols, acesse o site oficial da LFP.

Infelizmente estou sem tempo para postar aqui antes e após cada rodada, e no ritmo dos torneios, contratações e demais novidades, como em outras épocas, por isso peço desculpas. :(

Pelo Twitter, compartilho e publico infos do foot com mais frequência do que aqui: https://twitter.com/obrunopessa

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sábado, 28 de março de 2015 Brasileiros contra a França, Seleção francesa | 00:14

No palco de 98, Brasil quebra série invicta francesa

Compartilhe: Twitter
Decepção. é claro, dando o tom da saída de campo em Saint-Denis (menos para Galvão Bueno e cia. pacheca...)

Decepção. é claro, dando o tom da saída de campo em Saint-Denis (menos para Galvão Bueno e cia. pacheca…)

Ontem (publiquei ainda na sexta, mas o fuso horário do blog é 1h na frente…rs), Dunga e Deschamps voltaram a se enfrentar no Stade de France, mas agora como treinadores das seleções que lideraram dentro de campo em 1998.

E diferentemente do que vimos na primeira Copa vencida pela França, desta vez o Brasil prevaleceu, quase repetindo o placar do Mundial. Saiu perdendo (o zagueiro Varane abriu o placar, de cabeça), reagiu, virou e consolidou seu sétimo triunfo nos sete jogos da “nova” era Dunga com o placar de 3 a 1.

Como grafou o jornal L’Equipe em sua manchete da edição de hoje, foi um cartão amarelo para o time de Deschamps, que depois da Copa no Brasil vinha invicto. Começou bem no primeiro tempo, porém não conseguia atacar com a bola rolando, graças à marcação brasileira. E no segundo tempo a superioridade visitante foi marcante, diante da apatia bleu, em que pese estar desfalcado de nomes importantes, como Pogba e Cabaye.

Ok, foi só um amistoso, não há preocupação grande com resultados na preparação para a Euro 2016, para a qual a França, por ser a anfitriã, já está garantida. Domingo já tem novo compromisso, dessa vez contra a Dinamarca, vamos ver se a equipe supera a timidez. E não dá pra dizer que o Brasil deu troco por 1998 e/ou 2006 (como não tinha dado quando voltou a bater os algozes, em 2013, naquele amistoso em Porto Alegre). Copa é outra história e outro peso!

PS: A quem tb não conseguiu ver a partida ao vivo (eu tava voltando de viagem…) e gostaria de revê-la, NESTE LINK é possível baixá-la!

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 19 de março de 2015 Seleção francesa | 14:59

Quem estará em campo neste próximo França x Brasil

Compartilhe: Twitter

Atualizado em 20/3

As duas seleções de que mais gosto voltarão a se enfrentar em amistoso no dia 26 agora, quinta que vem, faltam 7 dias!

Hoje soubemos os convocados por Didier Deschamps, que também farão jogo teste contra a Dinamarca, três dias depois (29).

A lista de Dunga foi divulgada bem antes, por conta da necessidade de maior programação dos jogadores que atuam dentro e fora do país. Nela constam 4 atletas que estão no futebol francês, todos defensores: o lateral direito e volante Fabinho, do Monaco, e o trio de zagueiros Thiago Silva, David Luiz e Marquinhos, companheiros do Paris Saint-Germain.

*Atualização de 20/3: David e Marquinhos foram cortados hoje, por motivo de contusão.*

A relação de Di-di-di-di-di-di-eeer, com destaque para a novidade Fekir, jovem talento do Lyon:

Gardiens:
Hugo Lloris (Tottenham/ING), Steve Mandanda (O. Marseille), Stéphane Ruffier (St Etienne)

Défenseurs:
Patrice Evra (Juventus/ITA), Christophe Jallet (O. Lyonnais), Laurent Koscielny (Arsenal/ING), Bacary Sagna (Manchester City/ANG), Mamadou Sakho (Liverpool/ING), Benoît Trémoulinas (Sevilha/ESP), Raphaël Varane (Real Madrid/ESP), Kurt Zouma (Chelsea/ING).

Milieux:
Maxime Gonalons (OL), Geoffrey Kondogbia (Monaco), Blaise Matuidi (PSG), Dimitri Payet (OM), Morgan Schneiderlin (Southampton/ING), Moussa Sissoko (Newcastle/ING).

Attaquants:
Karim Benzema (Real Madrid/ESP), Nabil Fekir (OL), Olivier Giroud (Arsenal/ING), Antoine Griezmann (Atlético Madrid/ESP), Alexandre Lacazette (OL), Mathieu Valbuena (Dynamo Moscou/RUS).

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014 Ex-jogadores, Franceses no mundo | 19:12

Merci, Thierry Henry!

Compartilhe: Twitter

“Foi uma viagem incrível”, disse Thierry Henry no último dia 16, terça-feira, ao declarar a aposentadoria do futebol profissional aos 37 anos.

É claro que o atacante não se refere apenas aos cinco anos passados nos Estados Unidos, sua última caminhada na carreira iniciada no Principado mais famoso da Europa, há duas décadas.

Começando a carreira, à la Ruud Gullit (Thierry revelou que a preferência pela camisa 12 na seleção vem da admiração por outro holandês, Van Basten)

Começando a carreira, à la Ruud Gullit (Thierry revelou que a preferência pela camisa 12 na seleção vem da admiração por outro holandês, Van Basten)

Foram muitas conquistas e tantos, tantos gols na trajetória que incluiu Monaco, Juventus, Arsenal, Barcelona e New York Red Bulls, em cinco países diferentes. Com o cume no clube inglês, onde o camisa 14 se tornou o maior artilheiro da agremiação (quase 230 gols) e ganhou até estátua, em 2011.

Carreira vencedora e recordista também na seleção: foi do sub 16 aos Espoirs, galgando os degraus da base, até chegar aos Bleus em 1997. Até 2010, somou 123 partidas (só perde para Lilian Thuram, 142) e 51 gols: goleador-mor da história da França como seleção. Esteve nos dois feitos máximos do país no maior dos torneios que há, como meio titular/meio reserva na Copa de 1998 (o artilheiro daquele time) e titular na de 2006, quando foi “o carrasco” brasileiro da vez (artilheiro francês ao lado de Zidane).

Até pra dar um tapa pro gol o nêgo tinha estilo!

Até pra dar um tapa pro gol o nêgo tinha estilo!

Nos fiascos dos Mundiais de 2002 (expulso no segundo jogo) e 2010 foi titular também, tendo contribuído de forma bem peculiar, naquela repescagem contra a Irlanda em 2009, para que a equipe de Domenech fosse à África do Sul no ano seguinte. Enfim, é o jogador que mais Copas disputou com os Bleus, 4. Como ainda tem um título europeu (2000) e uma Copa das Confederações (2003), dá pra dizer que a passagem, no geral, foi positiva de fato.

França x Irlanda, 2009: A versão francesa da mão de Deus de Maradona-1986...

França x Irlanda, 2009: A versão francesa da mão de Deus de Maradona-1986…

Agora será comentarista da TV inglesa Sky Sports, mas vamos torcer para que apareça numas peladas de vez em quando, como esses jogos entre amigos que acabam sendo transmitidos pra preencher lacunas de programação televisiva em dias xoxos que todo ano tem. Porque aí vamos poder matar um pouco da saudade do craque, finalizador de classe e elegância que tanto aplaudimos (e tentamos imitar sem sucesso) nos últimos anos.

Merci Henry!

No final da carreira, com a camisa do NY Red Bulls, pela liga estadunidense, a MLS

No final da carreira, com a camisa do NY Red Bulls, pela liga estadunidense, a MLS

-> 14 momentos inesquecíveis (como golaços épicos) do 14 do Arsenal: leia no site Trivela

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 18 de novembro de 2014 Seleção francesa | 21:34

Empate com a Albânia e vitória sobre a Suécia encerram ano bleu

Compartilhe: Twitter

No último período de datas Fifa de 2014, a seleção francesa jogou em casa e, mantendo a escrita dos últimos amistosos (está invicta nas últimas 12 partidas não-competitivas, com 8 vitórias e 4 derrotas), não perdeu. Na sexta, dia 14, empatou com a Albânia por 1 a 1 em Rennes (relato sobre o jogo do L’Equipe) e nesta terça, dia 18, bateu a Suécia por 1 a 0 (relato sobre o jogo do L’Equipe) em Marselha.

A preparação para a Euro 2016 deve se intensificar em 2015, e na busca por amistosos contra seleções fortes, os Bleus já conseguiram um de bastante peso: o Brasil, em março (por enquanto, é o primeiro compromisso agendado de ambos os lados pro ano que vem).

Pós Copa de 2014, a seleção canarinho começou nova fase, a segunda de Dunga como treinador, e tem desempenho impecável até aqui, com 6 vitórias, 14 gols marcados, nenhuma derrota e só 1 gol sofrido em 6 partidas. Por outro lado, a equipe de Deschamps também está imbatível depois do Mundial brasileiro, com 4 vitórias e 2 empates em 6 jogos também. Mal podemos esperar esse jogão no Stade de France!

Autor: Tags: ,

terça-feira, 10 de junho de 2014 Copa do Mundo | 19:22

Estrangeiros do futebol francês na Copa 2014

Compartilhe: Twitter
Antes mesmo de Falcao ser oficialmente cortado, os colombianos já tinham bolado a substituição perfeita, com um atacante cuja seleção não se classificou pra Copa...

Antes mesmo de Falcao ser oficialmente cortado, os colombianos já tinham bolado a substituição perfeita, com um atacante que também atua na França e cuja seleção não se classificou pra Copa…

Copa do Mundo não é torneio pra gente falar só de seleção francesa neste espaço, mas também de lembrar ao planeta bola os jogadores do Mundial que atuam no nosso querido futebol francês.

Lembrando que, dos 23 franceses convocados por Deschampsapenas 8 jogam atualmente no país. Quase o mesmo número de atletas que representam as seleções africanas de Camarões (7) e Costa do Marfim (6)!

Uma curiosidade: nos maiores campeões mundiais, Brasil e Itália, apenas o PSG cedeu destaques, três em cada. E o hoje bicampeão francês é o maior cessor de atletas para todas as 32 seleções, entre todos os clubes do país: 11, bem à frente do Monaco, o segundo nessa relação, com 4.

Bora lá (me baseei nesse link do bom site espanhol Futbol desde Francia, cruzando depois com os 23 confirmados da página da Fifa sobre a Copa):

Argélia: Carl Medjani (defensor do Valenciennes), Mehdi Mostefa (defensor do Ajaccio) e Aissa Mandi (defensor do Reims). Ryan Boudebouz (meia do Bastia) e Foued Kadir (meia do Stade Rennais) foram pré-selecionados, mas cortados.

ArgentinaSergio Romero (goleiro reserva do Monaco) e Ezequiel Lavezzi (atacante do Paris Saint Germain).

Bélgica: Divock Origi (lateral/ala do Lille).

Brasil: Thiago Silva (zagueiro capitão), David Luiz (zagueiro vindo agora do Chelsea) e Maxwell (lateral-esquerdo), todos do Paris Saint Germain.

Camarões: Nicolas Nkoulou (lateral do Olympique de Marseille), Henri Bedimo (lateral-esquerdo do Lyon); Jean Illes Makoun (volante do Rennes); Landry Nguemo (volante do Bordeaux); Edgar Salli (meia do Lens, recém-promovido da Ligue 2); Benjamin Moukandjo (meia-atacante do Nancy, da Ligue 2) e Vincent Aboubakar (atacante do Lorient). Guy Ndy Assembe, goleiro do Guingamp, e Jean-Armel Kana-Biyik, zagueiro do Rennes, ficaram fora.

Aboubakar foi um principais goleadores do último Campeonato Francês, empatado na vice-liderança do ranking geral com o também convocado Cavani, do Uruguai, ambos atrás do sueco Zlatan Ibrahimovic, lamentavelmente fora desta Copa.

Colômbia: David Ospina (goleiro do Nice); Ábel Aguilar (volante do Toulouse); James Rodríguez (meia do Monaco).

O goleador monegasco Radamel Falcao García foi pré-relacionado entre os 30, mas não se recuperou da cirurgia no joelho como torcíamos. Porém, o país conta com a habilidade de Rodríguez, maior assistente da última Ligue 1.

Costa do Marfim: Serge Aurier (lateral-direito do Toulouse); Benjamin Angoua (zagueiro do Valenciennes); Jean Daniel Akpa-Akpro (ala do Toulouse); Ismäel Diomande (meia do Saint Étienne); Salomon Kalou (meia do Lille) e Max-Alain Gradel (atacante do Saint Étienne). O lateral-direito Brice Dja Djedje, do Olympique de Marseille, e o volante Romaric (Bastia) não ficaram entre os 23.

Tem o único técnico francês de nascimento entre uma seleção estrangeira do Mundial: Sabri Lamouche, 42 anos, naturalizado tunisiano.

Croácia: Danijel Subasic (goleiro titular do Monaco).

Estados Unidos: Alejandro Bedoya (meia do Nantes).

Gana: Jonathan Mensah (zagueiro do Évian Thonon Gaillard); John Boye (zagueiro do Stade Rennais); Andre Ayew (atacante do Olympique de Marseille); Jordan Ayew (atacante do Sochaux) e Abdul Majeed Waris (atacante do Valenciennes) – que fez uma segunda metade de temporada muito boa na Ligue 1.

Andre é irmão mais velho de Jordan Ayew, ambos filhos do ex-atacante Abedi Pelé, que é o maior artilheiro da história da seleção mas, ironicamente, nunca disputou uma Copa do Mundo.

Itália: Salvatore Sirigu (goleiro titular); Thiago Motta (volante/meia); Marco Verratti (volante/meia), todos do Paris Saint Germain, e acima da média, principalmente os dois de linha.

México: Guillermo Ochoa (goleiro que disputou a última temporada pelo Ajaccio e está sem clube) – costuma pegar muito quando acossado;

Nigéria: Vincent Enyeama (goleiro titular do Lille). O meia Sunday Mba (CA Bastia, Ligue 2) foi pré-relacionado, mas acabou fora.

Enyeama fez uma excelente Ligue 1 2013/14 pelo LOSC, sendo um dos arqueiros menos vazados do campeonato francês.

Portugal: João Moutinho (volante/meia do Monaco).

Uruguai: Edinson Cavani (atacante do Paris Saint Germain) – craque!

-> Link para todos os convocados para a Copa 2014 do site do O Globo

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 2 de junho de 2014 Seleção francesa | 13:35

Brasil goleia França e fatura seu 8º Torneio de Toulon

Compartilhe: Twitter

A seleção francesa saiu na frente, porém a brasileira virou e goleou na decisão da decana copa sub 21: 5 a 2, depois de três penalidades máximas convertidas.

Bahebeck marcou os tentos dos donos da casa em Avignon, mas Ademílson (duas vezes), Alisson, Marquinhos e Thalles definiram o bicampeonato consecutivo brasileiro, repetindo a conquista do ano passado

-> Assista aos melhores momentos da partida de ontem nesta compilação do site da ESPN brasileira

Embora sejam os maiores campeões, Les Espoirs bleus não vencem desde 2007. OK, que os jovens aprendam também com as derrotas, que fazem parte do jogo e contribuem para o amadurecimento dos jogadores.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 30 de maio de 2014 Seleção francesa | 18:56

França e Brasil decidem 43º Torneio de Toulon

Compartilhe: Twitter
O franzino meia Adrien Rabiot, do PSG, é um dos destaques bleus em Toulon (foto: site ESPN)

O franzino meia Adrien Rabiot, do PSG, é um dos destaques bleus em Toulon (foto: site ESPN)

Neste domingo, dia 1º de junho, as duas seleções mais vencedoras da história da tradicional copa sub 21 fazem a final, com transmissão ao vivo da ESPN Brasil, às 13h30 de Brasília.

Les Bleuets ou Les Espoirs, como são chamados os jogadores da base da seleção francesa, buscam o 12º título para o país, enquanto que os brasileiros podem levantar o 8º caneco da canarinho.

-> Acesse o site oficial da competição francesa

Destaques do time anfitrião: o meia Rabiot e o atacante Bahebeck, do Paris Saint-Germain, o atacante Nangis, do Caen, o meia-atacante Sacko, do Bordeaux, e o zagueiro Sarr, do Lyon. Bahebeck e Sarr foram campeões mundiais sub 20 ano passado, lembrando que a França já tinha sido semifinalista do Mundial sub 20 anterior, em 2011. Ou seja, o trabalho na base está sendo bem feito :)

O escrete sul-americano, dirigido pelo conhecido Alexandre Gallo, ex-volante de Santos, Portuguesa e São Paulo, tem nomes também conhecidos dos acompanhadores do futebol brasuca (Ademilson e Rodrigo Caio, do SPFC, Luan, do Cruzeiro, Lucas Piazon, ex-São Paulo) e inclusive do francês, como o zagueiro Marquinhos, do PSG. Na comissão técnica figura Cláudio Caçapa, ex-beque do Lyon, que também é técnico da seleção sub 15.

-> Veja o histórico e estatísticas do Torneio de Toulon

Campanhas – A França estreou com 3 a 0 no Chile, depois ficou no 1 a 1 com a China, bateu o México por 2 a 1 e Portugal pelo mesmo placar. Atual campeão, o Brasil fez campanha melhor: 2 a 0 na Coreia do Sul, 2 a 1 na Colômbia, 2 a 1 na Inglaterra e 7 a 0 no Catar.

-> Conheça revelações que atuam na primeira e segunda divisão francesa

** FALTAM 16 DIAS PARA A ESTREIA FRANCESA NA COPA 2014! **

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 1 de maio de 2014 Brasileiros contra a França, Ex-jogadores, Extracampo | 00:18

Ayrton Senna e o futebol francês

Compartilhe: Twitter
Parc des Princes, 1994

Parc des Princes, 1994

“Lá vem esse oportunista mequetrefe de novo tentando atrelar um post a uma efeméride distante do foot“, podem pensar os detratores. Mas por mais que pareça forçação de barra uma coluna de futebol francês vir falar de um piloto de Fórmula 1 brasileiro, cuja morte completa 20 anos neste Primeiro de Maio, verás que há conexões sim. Cito duas:

1) Um dos maiores símbolos das vitórias de Senna, que reforçou seu patriotismo e identificação com a torcida francesa, surgiu em consequência da vitória dos Bleus sobre o Brasil na Copa de 1986. A F1 vivia o fim de semana do GP dos EUA, e no seio da equipe britânica Lotus, de motores franceses Renault, Ayrton era minoria (posteriormente esmagada) torcendo pra canarinho naquele confronto das quartas de finais do mundial mexicano.

No sábado, a França eliminou o Brasil nos pênaltis, com Platini rindo e Zico lamentando, como sabemos. No domingo, dia da corrida em Detroit, o futuro tricampeão mundial “se vingou” das piadinhas do seu time ganhando a prova, logo à frente de dois franceses (Jacques Laffite, em quem botou mais de 30 segundos, e Alain Prost, seu futuro desafeto). Após a bandeirada final, pediu uma bandeira brasileira a um torcedor e a ostentou com orgulho no carro, na volta de comemoração. A primeira vez de muitas dessas “ostentações” de “Ayrton Senna do Brasil”.

2) Em 20 de abril de 1994 vimos uma das últimas aparições públicas do piloto antes do fatídico fim de semana do GP de San Marino daquele ano. E foi na capital Paris, no estádio do Paris Saint-Germain! Convidado para dar o pontapé inicial do amistoso entre Brasil versus combinado PSG-Bordeaux, Senna deu aquele totó maroto na pelota, cumprimentou Raí (que atuou como capitão da seleção, embora fosse jogador do clube francês na época) e outros compatriotas (Ricardo Gomes era outro cedido pelo PSG ao time de Parreira), e viu o jogo das tribunas.

Nesse vídeo com lances de gol e narração em espanhol dá pra constatar que o time francês teve os brasileiros Assis (irmão de Ronaldinho Gaúcho, que na época jogava no Sion, da Suíça) e Márcio Santos (então no Bordeaux), o atacante Ginola e o goleiro Lama, que aliás foi muito bem. Mesmo na terra do já consolidado grande rival Prost, Ayrton foi aplaudido pela galera no Parc des Princes. O morno resultado de 0 a 0, no entanto, desagradou o tricampeão. “Isso é como uma corrida sem pódio e sem ultrapassagem”, comparou. Quase três meses depois, a seleção brasileira homenagearia o piloto nos festejos pelo tetra nos EUA, pro Mundial ao qual a França, desta vez, nem conseguiu ir…

Vários especiais sobre os 20 anos sem Senna (meu primeiro ídolo na vida – #quemnunca?) proliferaram na imprensa brasileira, então a quem se interessar recomendo o da revista Warm Up, do pessoal do site Grande Prêmio, liderado pelo jornalista Flávio Gomes. Pra quem curte automobilismo e prefere um jornalismo livre de paixões sobre o tema (como eu), é uma ótima pedida.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última