Publicidade

Posts com a Tag Ricardo Gomes

quinta-feira, 1 de maio de 2014 Brasileiros contra a França, Ex-jogadores, Extracampo | 00:18

Ayrton Senna e o futebol francês

Compartilhe: Twitter
Parc des Princes, 1994

Parc des Princes, 1994

“Lá vem esse oportunista mequetrefe de novo tentando atrelar um post a uma efeméride distante do foot“, podem pensar os detratores. Mas por mais que pareça forçação de barra uma coluna de futebol francês vir falar de um piloto de Fórmula 1 brasileiro, cuja morte completa 20 anos neste Primeiro de Maio, verás que há conexões sim. Cito duas:

1) Um dos maiores símbolos das vitórias de Senna, que reforçou seu patriotismo e identificação com a torcida francesa, surgiu em consequência da vitória dos Bleus sobre o Brasil na Copa de 1986. A F1 vivia o fim de semana do GP dos EUA, e no seio da equipe britânica Lotus, de motores franceses Renault, Ayrton era minoria (posteriormente esmagada) torcendo pra canarinho naquele confronto das quartas de finais do mundial mexicano.

No sábado, a França eliminou o Brasil nos pênaltis, com Platini rindo e Zico lamentando, como sabemos. No domingo, dia da corrida em Detroit, o futuro tricampeão mundial “se vingou” das piadinhas do seu time ganhando a prova, logo à frente de dois franceses (Jacques Laffite, em quem botou mais de 30 segundos, e Alain Prost, seu futuro desafeto). Após a bandeirada final, pediu uma bandeira brasileira a um torcedor e a ostentou com orgulho no carro, na volta de comemoração. A primeira vez de muitas dessas “ostentações” de “Ayrton Senna do Brasil”.

2) Em 20 de abril de 1994 vimos uma das últimas aparições públicas do piloto antes do fatídico fim de semana do GP de San Marino daquele ano. E foi na capital Paris, no estádio do Paris Saint-Germain! Convidado para dar o pontapé inicial do amistoso entre Brasil versus combinado PSG-Bordeaux, Senna deu aquele totó maroto na pelota, cumprimentou Raí (que atuou como capitão da seleção, embora fosse jogador do clube francês na época) e outros compatriotas (Ricardo Gomes era outro cedido pelo PSG ao time de Parreira), e viu o jogo das tribunas.

Nesse vídeo com lances de gol e narração em espanhol dá pra constatar que o time francês teve os brasileiros Assis (irmão de Ronaldinho Gaúcho, que na época jogava no Sion, da Suíça) e Márcio Santos (então no Bordeaux), o atacante Ginola e o goleiro Lama, que aliás foi muito bem. Mesmo na terra do já consolidado grande rival Prost, Ayrton foi aplaudido pela galera no Parc des Princes. O morno resultado de 0 a 0, no entanto, desagradou o tricampeão. “Isso é como uma corrida sem pódio e sem ultrapassagem”, comparou. Quase três meses depois, a seleção brasileira homenagearia o piloto nos festejos pelo tetra nos EUA, pro Mundial ao qual a França, desta vez, nem conseguiu ir…

Vários especiais sobre os 20 anos sem Senna (meu primeiro ídolo na vida – #quemnunca?) proliferaram na imprensa brasileira, então a quem se interessar recomendo o da revista Warm Up, do pessoal do site Grande Prêmio, liderado pelo jornalista Flávio Gomes. Pra quem curte automobilismo e prefere um jornalismo livre de paixões sobre o tema (como eu), é uma ótima pedida.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011 Brasileiros contra a França, Brasileiros na França, Torneios europeus | 19:15

Momento retrô: Quando Ronaldo foi… Ronaldo!

Compartilhe: Twitter

OK, Ronaldo não somente deu alegrias aos franceses quando os enfrentou. Também lhes causou prejuízo, como na final da antiga Recopa europeia (Copa dos vencedores de Copas, que durou entre 1960/61 e 1998/99) do hoje distante 1997.

PSG-Barcelone_1997_rojão_ronaldo

Correu Ronaldo... bateu... adivinha?

No dia 4 de maio de então, em Roterdã, na Holanda, o Paris Saint-Germain foi derrotado pelo Barcelona, com aquela bela camisa verde, por 1 a 0. Gol após cobrança de pênalti sofrido e batido pelo atacante de 20 anos, futuro maior artilheiro das Copas do Mundo. Detalhe: quando Ronaldo partiu para a bola, é possível ver um rojão cruzando a área, como registrou a foto deste post e o vídeo abaixo mostra, mas felizmente ninguém se feriu.

Raí, capitão, e Leonardo, que jogava adiantado, eram os brasileiros do time parisiense dentro de campo. Fora, o comando cabia a um então principiante Ricardo Gomes. A equipe ainda tinha duas referências históricas do clube: o volante/líbero Le Guen, posteriormente treinador do PSG (dirigiu também Camarões na Copa 2010), e o goleiro Lama. Ambos atingiram mais de 300 partidas pelo Parri, entrando no top five da agremiação neste quesito.

Do outro lado, porém, havia um Barça memorável, devo admitir, como se pode ver na ficha técnica lá embaixo. Neste jogo, “apenas” Stoichkov e Giovanni começaram no banco blaugrana, que tinha, como então assistente de Bobby Robson, um tal de José Mourinho…

O vídeo abaixo tem quase 10 minutos de um bom resumo do jogo, provavelmente de alguma tv catalã.

Ficha Técnica – PARIS SAINT-GERMAIN 0 x 1 BARCELONA

Data: 4 de maio de 1997
Local: Feyenoord Stadion, em Roterdã (Holanda)
Público: 52 mil espectadores
Árbitro: Markus Melk (Alemanha)
Cartão amarelo: Fournier, Le Guen e Cauet (PSG); Couto e Peña (BAR)

Gol: Ronaldo, aos 37 minutos do 1º tempo, para o Barça

PSG: Bernard Lama; Laurent Fournier (Jimmy Algerino), Bruno N’Gotty, Paul Le Guen e Didier Domi; Jerôme Leroy, Vincent Guérin (Dely Valdés), Raí e Benoît Cauet; Leonardo e Patrice Loko (Cyrille Pouget). Técnico: Ricardo Gomes

Barcelona: Vítor Baía; Ferrer, Abelardo, Fernando Couto e Sergi; Guardiola, Popescu (Amor), De la Peña (Stoichkov) e Luís Enrique; Luís Figo (Pizzi) e Ronaldo. Técnico: Bobby Robson

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 22 de novembro de 2010 Brasileiros na França, Francês da 1ª divisão | 17:10

Vídeo: Golaço de bicicleta de Adriano

Compartilhe: Twitter

Talvez nem todos os acompanhantes de futebol internacional pelo Brasil conheçam ou se lembrem do Adriano, lateral-direito (e às vezes zagueiro) do Monaco. Mas agora contam com uma ótima referência: este gol marcado no domingo, un magnifique retourné acrobatique na derrota do seu time para o Lille (2 a 1 ), novo líder do Campeonato Francês ao lado do Montpellier. Assista, neste vídeo com os gols do jogo (a bicicleta formidable está no minuto 1’01”):

Hoje com 28 anos (um pouquinho mais velho que eu), Adriano Pereira da Silva se destacou no Grêmio antes de imigrar para a Europa, após o rebaixamento gremista para a Série B em 2004. Defendeu o Palermo e a Atalanta na Itália, antes de chegar ao Monaco em 2007, tendo trabalhado com o técnico Ricardo Gomes até o ano passado. Curiosamente, foi seu primeiro gol na Ligue 1 depois de vários jogos e algum tempo parado por causa de lesões.

adriano_monaco_arles_afp

Adriano, de vermelho e branco, na marcação a rival do Arles-Avignon (AFP)

Autor: Tags: , , , , , , ,

terça-feira, 6 de outubro de 2009 Brasileiros na França, Eliminatórias da Copa, Francês da 1ª divisão | 12:11

Novo velho líder

Compartilhe: Twitter
Ex-Atlético Paranaense, Ilan, 29 anos, ainda tem gás e faro de gol (AFP)

Ex-Atlético Paranaense, Ilan, 29 anos, ainda tem gás e faro de gol (AFP)

Tradicionalmente publicado nas noites de segunda, o post com o balanço da rodada do Francês vem ao ar nesta terça de manhã em função da publicação extraordinária da primeira entrevista deste blog, no post anterior. Demorou, mas não esqueçamos que há uma boa novidade na dianteira da tabela de classificação: o Bordeaux perdeu a invencibilidade de 22 jogos (desde a Ligue 1 2008/09) e o líder agora é o Lyon, o que não é aqueeela novidade, em se tratando do heptacampeão até a temporada retrasada. Mas é bacana, bien sûr!

A derrocada girondina veio em Saint-Etienne. Se o time da casa não vem empolgando neste campeonato, tradição não lhe falta, pois é apenas o maior campeão da história da Ligue 1… A vitória por 3 a 1 teve gols brasileiros, Ilan e Jussiê, e um golaço que deixo para falar mais e mostrar vídeo no decorrer da semana. O Lyonnais aproveitou a deixa e meteu 2 a 0 no Lens fora de casa, gabando-se agora de ser o único francês invicto em âmbito nacional e continental nesta temporada.

Mais novidade na sequência da classificação: o Montpellier foi a Grenoble, bateu o saco de pancadas homônimo por 3 a 2 e desponta em 3º lugar, à frente do Monaco (4º), que venceu o clássico do sul da França contra o Olympique (5º) e trocou de posição com os marselheses. A destacar no Vélodrome os gols da dupla Nenê-Park, recentemente laureados aqui. Agora, o brasileiro é o vice-artilheiro da competição com 5 gols, um atrás de Niang. Ele falou sobre o bom momento e porque faz muito mais gols do que quando jogava com Ricardo Gomes – leia mais aqui.

Toulouse 0 x 1 Lorient também é surpreendente, confirmando a fase ruim dos anfitriões depois da boa temporada passada e a ascensão dos visitantes, agora em 6º, imediatamente à frente de Paris Saint-Germain (7º) e Rennes (8º) – o primeiro perdeu para o Auxerre em casa e o segundo só empatou com o Nancy no Parc des Princes.

Pausa e desfalque
No próximo fim de semana não há rodada no Francês por causa das Eliminatórias europeias para a Copa 2010, nas quais, aliás, Les Bleus terão outro importante desfalque contra Faroe e Áustria: com tendinite no joelho esquerdo, Franck Ribéry deixou a concentração ontem, cortado. Gourcuff, também sem condições, nem havia se apresentado. Domenech já deve estar se acostumando com as dificuldades que vêm de tudo que é lado…

Franceses fora da França
No domingo, pelo Campeonato Inglês, Nicolas Anelka e Florent Malouda fizeram os gols da vitória do Chelsea no clássico contra o Liverpool. Na segunda, pelo Campeonato Grego, Djibril Cissé deixou dois na goleada por 4 a 0 do Panathinaikos sobre “o” Larissa (“a” Larissa é outra coisa, ou melhor, pessoa!).

Anelka, em filme que seria reprisado por...

Anelka, em filme que seria reprisado por...

...Malouda, para explosão dos Blues atrás deles (fotos AP)

...Malouda, para explosão dos Blues atrás deles (fotos AP)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 13 de agosto de 2009 Franceses no mundo | 23:09

São Paulo x Lyon? Coluna 1

Compartilhe: Twitter

A última vez que recebeu o Lyon em casa, pelo Monaco, ele perdeu: 1 a 0

Acompanhante assíduo desta nau gaulesa, Filipe Frossard Papini* (merci, camarade!) pediu que eu falasse sobre o amistoso entre São Paulo e Lyon, previsto para acontecer no Morumbi, em outubro – parece que está para ser no dia 7 ou 8. O evento faz parte das comemorações do Ano da França no Brasil. Mais do que reunir o heptacampeão francês e o hexacampeão brasileiro, é justo que Ricardo Gomes, o mais francês dos brasileiros em atividade por aqui, esteja envolvido!

Representante do OL, o ex-zagueiro Marcelo Djian (aquele do Curíntia e do Cruzeiro nos anos 90) disse que o visitante só não trará força máxima se houver jogadores com a seleção francesa (no dia 10/10, Les Bleus jogam a penúltima rodada das Eliminatórias contra as famigeradas Ilhas Faroe! Mas não se pode arriscar perder a vaga para a Copa, né?).

Mesmo que venha a maior parte dos titulares, acho que o favorito será o São Paulo, se tivesse que apostar hoje. Pode ser que o Tricolor não embale rumo a mais um título nacional, mas só a combinação viagem longa + fuso horário diferente + clima bem mais quente (será outubro) deve ser o suficiente para diminuir deveras o rendimento dos lioneses.

O interessante por trás do que rolar em campo é o interesse francês por alguns são-paulinos, com certeza um motivo para os comandados de Gomes correrem mais. Djian, responsável por indicar destaques brasileiros para o Lyon, admitiu que já o fez em relação a Dagoberto, Richarlyson e Miranda, em outras épocas. Hernanes foi observado este ano pela diretoria francesa, mas deu azar porque viveu uma fase sem brilho no primeiro semestre. Como parece que se recuperou, nunca se sabe o que pode surgir…

Apesar de ser um amistoso, o público deve ser bom, afinal não se enfrenta em casa um time europeu todo dia, e o jogo faz parte do pacote que o São Paulo lançou em seu novo carnê de ingressos para os torcedores. Para mim vai ser bão tamén, bien sûr, porque mais gente do que o usual deve passar por este blog por causa da partida, sobretudo… são-paulinos! (bravo, bravíssimo). Quando se vive escondido na net, qualquer boca se aproveita!

* Ah, Filipe, sobre o fato de Lloris ter deixado Mandanda no banco da França ontem, li que foi opção de Domenech mesmo, embora o técnico não veja diferença entre os dois (veja aqui). E acho que foi para você não criticar tanto o “professeur”…rs… De qualquer forma, temos que esperar um jogo com mais disputa para saber como o arqueiro do Lyon vai se sair, concorda?

Autor: Tags: , , , , , , , ,

segunda-feira, 22 de junho de 2009 Brasileiros na França, Copas francesas, Francês da 1ª divisão | 07:25

Da França para o São Paulo

Compartilhe: Twitter

Ricardo Gomes não teve motivos para sorrir em seu último ano na Europa (France Football)

Sinceramente, achei que não teria o que escrever aqui neste fim de semana, afinal, nessa época de férias na Europa, o que aparece em termos de notícias são movimentações de transferências de jogadores, mas normalmente não em sábados e domingos. Até que surge e se confirma o nome do então desempregado Ricardo Gomes, ex-Monaco, para treinar o São Paulo. Opa, Le Blog tem algo a dizer.

A relação do ex-zagueiro e hoje técnico com a França é íntima.  Como jogador, teve ótimas temporadas com títulos pelo Paris Saint-Germain (que tinha Valdo e Raí) entre 1991 e 95, que o levaram a ser convocado para a Copa de 94, da qual ficou fora por lesão. Ele encerraria a carreira no Benfica, de Portugal, em 96, ano em que foi convidado para a sua primeira experiência como treinador, no mesmo PSG.

Na capital do país até 98, dirigiu Raí e Leonardo e seus números não são desprezíveis: foi vice-campeão francês e conquistou duas Copas nacionais – da França e da Liga Francesa -, além da Copa das Copas. De 1999 a 2004 trabalhou no Brasil, com passagens discretas ou decepcionantes por Sport, Vitória, Guarani, Juventude, Fluminense, Flamengo e seleção olímpica, quando conseguiu não levar um time com Diego e Robinho para os Jogos de Atenas em 2004.

Gomes retornou à França em 2005, em outro clube de ponta, o Bordeaux. Seu desempenho foi quase o mesmo dos tempos de PSG, tendo como melhores resultados um vice francês em 2006 e uma Copa da Liga em 2007. Neste mesmo ano, mudou-se para o Monaco, mas seus números só pioraram, com posições intermediárias no campeonato nacional, contribuindo para seu esquecimento no Brasil.

Na temporada 2008/2009, por exemplo, o ASM obteve um modestíssimo 11º lugar, com 11 vitórias, 12 empates e 15 derrotas. Em 38 jogos, marcou 41gols e sofreu 45. Segundo ele, havia recebido propostas de clubes franceses e do mundo árabe antes de acertar com o São Paulo. Mas como recusou todas, não devem ter sido grandes coisas.

A crítica que permanece sobre o jovem técnico de 44 anos é sobre sua postura assaz defensiva. Mas isso só será comprovado se o Tricolor paulista lhe der tempo para mostrar serviço, que é o que se espera de um clube admirado pelo planejamento com o qual trabalha.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 8 de junho de 2009 Francês da 1ª divisão | 21:18

Quem seria a jóia de Deschamps?

Compartilhe: Twitter

“Para o gol” é o que se espera que Deschamps não apenas leia, mas realize no OM (clique para ampliar)

Didier Deschamps, novo técnico do Olympique de Marselha, conversou com a France Football e já apresentou seu projeto para o clube. Em entrevista cuja íntegra será publicada nesta terça-feira, o substituto de Eric Gerets identificou uma falha grave do time no último Francês (perder pontos em demasia no Vélodrome) e deixou claro que pretende contar com novas e prontas peças para fortalecer o elenco.

Além disso, DD simplesmente afirmou: “Quero um Juninho ou um Gourcuff” (só você, meu filho??). Ou seja, um meia capaz de ser decisivo e marcar gols (coisa que Ben Arfa poderia fazer, mas não vem fazendo). Como Juninho não joga mais na França e Gourcuff não deixa Bordeaux tão cedo, os dois só valem como metáfora. Quem seria a jóia de Deschamps ao alcance do Marselha? Um Michel Bastos estaria de bom tamanho??

Falando em novo técnico, o mercado francês anda agitado desde o fim da Ligue 1, há pouco mais de uma semana. Veja como foi o troca-troca (com todo o respeito) dos últimos dias na França:

Paris Saint-Germain: Antoine Kombouaré subiu na vida ao se mudar de Valenciennes para Paris
Monaco: rompeu o namoro com o brasileiro Ricardo Gomes e assumiu outro com Guy Lacombe, ex-Rennes
Rennes: como perdeu Lacombe, foi atrás de Frederic Antonetti, ex-Nice
Le Mans: trouxe o português Paulo Duarte, que conciliará o cargo com a seleção de Burkina Faso (caraca!)
Saint-Etienne: renovou com o técnico que deu o último caneco ao Lyon, Alain Perrin
Valenciennes: contratou Philippe Montanier, que levou o Boulougne-sur-Mer pela 1ª vez à Ligue 1
Boulogne-sur-Mer: o calouro agora conta com Laurent Guyot, ex-defensor do Nantes de 39 anos* 
Montpellier: “recém-subido” da Ligue 2, trocou Rolland Courbis por René Girard*incluído no dia 09/06

 

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 3 de maio de 2009 Brasileiros na França, Francês da 1ª divisão | 18:12

Agora ficou meio bordô…

Compartilhe: Twitter

Vamos ao “ô balancê, balancê” de mais uma rodada do Francês, que deixou a disputa mais apertada, embora com um candidato a menos. O então líder isolado Olympique de Marselha contou com a sorte para empatar em casa contra o ótimo time do Toulouse (não à toa o 5º): Gignac fez 1 a 0, Niang empatou, Gignac (cada vez mais artilheiro, com 21 gols) voltou a marcar, mas Niang marcou outro, ou melhor, teve seu chute desviado para o gol por um zagueiro desolado (o da foto abaixo): 2 a 2 no Vélodrome, empate pas* mal.

Becão do Toulouse foi prudente ao pôr as mãos para trás, mas o pé direito foi imprudente

Esperto que só, o Bordeaux fez sua parte contra o Sochaux (que tinha no banco o famigerado Carlão, ex-Corinthians, super-ameaçado em 17º), e logo de cara: Sertic aos 7 e Gourcuff aos 14 deram o tom, Chamakh aos 48 do 2º tempo só confirmou. A vitória por 3 a 0 alça os Girondinos aos mesmos 68 pontos do OM, que prevalece no saldo de gols (27 contra 26, um golzin!). Ou seja: para quem tropeçar nas próximas quatro rodadas, o troféu dirá au revoir!

Alguém pode avisar o técnico Laurent Blanc (esq.) que ele tem muita chance de ser campeão??

Esperança renovada em Bordeaux, desolação em Lyon. Juninho Pernambucano fez muita falta, mas creio que não evitaria a derrota fora de casa para o Valenciennes (só o 13º, pode?), duas estocadas de Audel. A defesa falhou, Ederson esbarrou na trave, e ao fim da peleja o zagueiro Cris (ex…Corinthians!) teve de reconhecer. “É o fim da nossa luta pelo título. Fomos muito mal hoje, essa é a verdade. O Lyon não é mais um grande time”. Depois dessa, o que mais falar?

A tragédia do OL só não foi maior porque o Paris Saint-Germain (4º) segue a mesma toada: quando parece que vai se recuperar, tomba novamente. Hoje deixou o Rennes (7º) triunfar no Parc-des-Princes, graças a um gol contra do outro azarado da jornada, Sakho (vou resistir e evitar a piadinha), e perdeu a chance de tirar o Lyon da zona de acesso à próxima Liga dos Campeões da Europa. Bom para o Stade Rennais, empolgadérrimo para a final Copa da França, sábado que vem, contra o Guingamp, da segundona.

Audel supera Lloris, para delírio em Valenciennes, Marselha, Bordeaux, Paris…

Em disputa acirradíssima pelo honroso 9º lugar na tabela, o Auxerre venceu o Monaco do técnico Ricardo Gomes (isso, o ex-zagueiro), no Principado onde o Senna foi rei (saudades, Ayrton!). Resultado que, somado à derrota do Lille (6º) para o Lorient (11º), deixou este pertinho dos monegascos (ou seria monagescos? faz diferença??). Depois do Lorient vem o Grenoble (12º), que empatou xoxamente em zerrô-zerrô com o time da tia Nice (8º).

Chegando mais perto da turma que “piriga” cair para Ligue 2, o VAFC deu uma p… duma respirada ganhando do Lyon, empatando em pontos (40) com o Nancy (14º), cujo zerrô-zerrô com o Saint-Etienne (19º) foi péssimo para o time de Ilan, que seria rebaixado se a parada toda acabasse hoje. Quem ressurgiu foi o Caen (16º), após vitória importantíssima sobre o Le Mans (15º), que não pode achar que já está livre, já que tem 38 pontos e o 18º e primeiro na degola soma 33, justamente o Nantes, que conseguiu um feito incrível: conseguiu perder em casa para o pior time e virtual rebaixado do campeonato, o Le Havre (20º).

* pas = não, nada

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,