Publicidade

Posts com a Tag Raúl

quinta-feira, 7 de junho de 2012 Seleção francesa | 21:08

Momento retrô: Inspirações francesas para a Eurocopa

Compartilhe: Twitter

Daqui a quatro dias, os Bleus começam a busca pelo tricampeonato europeu. Sabem como foram as conquistas em 1984 e 2000? Eu pouco sabia, até assistir aos filmes oficiais da Uefa dos respectivos torneios, que a SporTV transmitiu e felizmente arquivou em seu site. Ambos têm pouco mais de 50 minutos, em forma de documentários, e é claro que recomendo ao fã do foot!

*1984 – Assista ao filme aqui
Depois de 24 anos, a Euro voltava ao país de seu criador, Henry Delaunay. E aquela edição representaria o momento de glória de uma geração habilidosa, que também foi a duas semifinais de Copas do Mundo, em 1982 e 86. Uma equipe que plantou as sementes (conforme análise do Trivela) de uma nova geração vitoriosa, marcada na história do futebol mundial em 1998 e 2000.

Como seria Zidane anos depois, Michel Platini foi o craque de 1984, ostentando até hoje o recorde de gols em uma única Euro: 9 (o ataque do time fez 14, feito também imbatível até aqui!). Excelente, e se considerarmos que foram só 5 jogos na campanha (eram apenas 8 seleções no campeonato), impressionante! Curiosamente, a artilharia-mor de uma única Copa também cabe a um francês, Just Fontaine, 13 em 1958. Mas não podemos olvidar que Platini compunha um meio-campo memorável, chamado até de mágico na época, ao lado de Jean Tigana, Alain Giresse e Luis Fernandez, espanhol naturalizado francês. Sob o comando de Michel Hidalgo, o time confirmou a expectativa da torcida, atuando em casa (em 2016 o filme se repetirá?), e garantiu o primeiro título de expressão para a França.

Campanha: França 1 x 0 Dinamarca – Paris, Parque dos Príncipes (a casa gaulesa pré-Stade de France)
França 5 x 0 Bélgica – Nantes
França 3 x 2 Iugoslávia – Saint-Etienne
Semifinal – França 3 x 2 Portugal – Marselha
Final – França 2 x 0 Espanha – Paris

**2000 – Assista ao filme aqui
Outra marca histórica da França foi conquistada quando a Euro teve sua primeira sede compartilhada, entre Bélgica e Holanda: nunca uma seleção fora campeã europeia logo após ter sido campeã mundial. Com Zizou em plena forma e a base de 1998, Roger Lemerre liderou um elenco que soube confirmar o favoritismo, embora tenha passado por dificuldades, como uma final “sufocante” contra os italianos. Deschamps se despediu da seleção levantando mais uma taça, o então zagueiro-líbero Blanc voltou a beijar a careca de Barthez após a decisão, e jovens como Henry e Trezeguet contribuíram decisivamente também, ao lado do mais velho Djorkaeff. No filme supracitado, Petit, Vieira e Pirés também depõem.

Campanha – França 3 x 0 Dinamarca
França 2 x 1 Rep. Tcheca
França 2 x 3 Holanda (Bleus com reservas, pois ambas já entraram classificadas)
Quartas – França 2 x 1 Espanha (Raúl desperdiçou pênalti idiotamente cometido por Barthez no final)
Semis – França 2 x 1 Portugal (repetindo 84. Zidane garantiu a vitória, de pênalti, com o gol de ouro na prorrogação)
Final – França 2 x 1 Itália (os italianos fizeram 1 a 0 em Roterdã, já no 2o tempo. Wiltord, Trezeguet e Pirès vieram do banco para suprir o cansaço bleu. O primeiro empatou pertinho do fim, quando a Azzurra preparava a festa, causando o tempo extra. Abalada, a Itália viu o segundo ir à linha de fundo e cruzar para um lindo meio-voleio do terceiro, gol de ouro e bicampeonato francês!)

Karim Benzema, Hatem Ben Arfa e Samir Nasri com o troféu da Eurocopa sub 17 de 2004, após a França ter batido a Espanha por 2 a 1, em 15 de maio daquele ano, em Châteauroux (Photo: Alain de Martignac)

Os títulos relatados acima não são os únicos links da França com um passado vitorioso no contexto europeu. Dentro do atual elenco do atual técnico Blanc, despontam talentos da chamada “Geração 87”, nascidos naquele ano e protagonistas do título expresso na fotografia acima. Além da tríade ilustrada, Menez e Matuidi também estavam lá e reaparecem aqui.

Essa geração está pronta para o renascimento na Polônia e na Ucrânia?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 24 de novembro de 2010 Franceses no mundo, Torneios europeus | 20:05

Lyon perde mas se classifica na Liga

Compartilhe: Twitter
schalke_lyon_pose_afp

Em que pesem as derrotas fora de casa para Benfica e Schalke, o OL merece a vaga (AFP)

Schalke 04 3 x 0 Lyon, Hapoel Tel Aviv 3 x 0 Benfica. Não esperava por placares como esse nessa rodada de hoje do grupo B da Liga dos Campeões da Europa. Mas eles aconteceram e felizmente beneficiaram a equipe francesa, apesar de ela ter perdido seu segundo jogo consecutivo e acumulado 7 gols sofridos nos últimos 180 minutos. 

schalke_lyon_raul_lovren_afp

Lovren observa o veterano Raúl: ver demais e marcar de menos foi um dos erros lioneses em Gelsenkirchen (AFP)

Na Veltins-Arena, os donos da casa começaram com tudo, indicando que a parada para Lloris seria dura. Logo aos 13 minutos, Lisandro López perdeu a bola, Diakhaté afastou mal o cruzamento na área e a bola sobrou para Raúl. O zagueiro tentou se recuperar travando o espanhol, mas a redonda sobrou limpa para Farfan colocar no canto do gol, fazendo 1 a 0.

Lisandro teve boa chance de empatar aos 16, mas chutou em cima de Neuer, a poucos metros do goleirão. Perdeu, pagou: já aos 20 o Schalke ampliaria, em ataque rápido, quando Kluge avançou e passou para Huntelaar, que se antecipou a Cissokho depois que Raúl saiu da bola e levou a marcação junto. A ausência de Cris era sentida na organização da zaga lionesa.

O OL não se abateu, tentou subtrair o prejuízo, mas cedia o contra-ataque, o que tornava as coisas muito perigosas para a defesa. Claude Puel veio com o atacante Gomis no lugar do lateral-esquerdo Cissokho, trazendo Michel Bastos para compor o setor pela defesa – o que não gosto, pois afasta o brasileiro da área, e também acabou não dando resultado… Mas enfim, perdido por um, perdido por mil né?

Minutos depois, Gourcuff foi atingido duramente por Metzelder e teve de sair de maca, dando lugar a Pjanic. Até Licha sairia, para a entrada de Pied. Mas nada lá na frente. E o Lyon conseguiu a proeza de tomar mais um gol de “Ruim-telaar” (como os colegas dizem aqui na redação), que recebeu passe na área francesa com todo o tempo do mundo, sassaricou na frente de Reveillère e chutou. A bola prensada encobriu Lloris, pra sorte do holandês: 3 a 0, fecha a conta e passa a régua na Alemanha.


L’autres françaises

Younes Kaboul: titular ao lado de Gallas no Tottenham, time de Gomes (o goleiro grande!). Mostrou presença de área e habilidade ao abrir o placar contra o Werder, em voleio após cruzamento à meia-altura de Lennon. Foi o 2º gol em 2 jogos! E acabou como top player do site oficial da Champions, com nota 8,5 dos “experts”.

Jonathan Biabiany: titular na Inter de Milão contra o Twente. Muito bem no primeiro tempo, “causando” pelo lado direito do ataque. Jogou até os 35 do 2º tempo.

Djibril Cissé: artilheiro do Campeonato Grego e capitão do Panathinaikos, perdeu ótima chance de gol contra o Barcelona aos 19, quando invadiu a área e finalizou para bela defesa de Valdés. Ficou até o fim liderando o ataque do time ateniense, porém se mostrou improdutivo.

Jean-Alain Boumsong: titular também nos 90 minutos, mas a defesa levou três do Barça né…

Sidney Govou nem banco foi hoje na Grécia, não sei se machucou-se, mas soube que já anda deixando o clube insatisfeito pela vida noturna agitada…

Eric Abidal: foi banco na equipe espanhola, entrou aos 26 do 2º tempo. Com as boas partidas dos brasileiros Adriano e Maxwell pela lateral-esquerda, pode acabar sobrando no time catalão, que terá o superclássico contra o Real Madrid pelo Campeonato Espanhol na próxima segunda-feira.

kaboul_tottenham_werder_afp

Que Kaboul está com a bola cheia, ninguém duvida! (AFP)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 20 de outubro de 2010 Franceses no mundo, Torneios europeus | 17:38

Lyon no caminho da vaga na UCL

Compartilhe: Twitter

Lyon 2 x 0 Benfica, três vitórias em três jogos na Champions League! Com os 3 a 1 do Schalke (dois de Raúl) sobre o Hapoel Tel-Aviv, o OL lidera o grupo B com nove pontos, seguido pelo time alemão com seis. Benfica permanece com três e a equipe israelense com zero. Antes mesmo do segundo turno da etapa de grupos, a classificação para a segunda fase da Liga dos Campeões da Europa está próxima!

Contra o time de Lisboa, que teve os brasileiros Luisão, David Luiz (dupla de zaga) e Alan Kardec como titulares, Claude Puel escalou Lloris, Réveillère, Cris, Diakhaté e Cissokho; Gonalons, Pjanic e Gourcuff (Kallstrom aos 26 do 2º); Briand, Michel Bastos (Pied aos 19 do 2º) e Lisandro López. E foi premiado pela ofensividade.

O primeiro gol saiu aos 21 minutos de jogo. A jogada começou com um erro de Luisão, que redundou na bomba de Michel Bastos na trave de Roberto Jimenez. Na sobra, o Lyon roubou a bola com Gourcuff, Bastos cruzou com precisão e Briand testou para o canto. Antes mesmo do fim da primeira etapa, o argentino Gaitán faria um favorzaço pro Lyonnais, ao receber o segundo amarelo e ser expulso depois de duas faltas duras.

Com seis minutos do 2º tempo, fatura liquidada. Briand chuta com perigo, a bola é rebatida pela trave, o próprio camisa 7 corre para pegar o rebote e centra na área. Lisandro cabeceia, o goleiro dá rebote e Licha, como disse o narrador espanhol da transmissão que acompanhei, cutuca pro fundo das redes. Sem acertar o gol de Lloris em seus chutes, o Benfica não teve forças para reagir. Mesmo sem aparecer nos gols, Miralem Pjanic foi destaque como o jogador que mais correu em campo.   

lyon_benfica_jimmy_briand_lisandro_lopez_reuters

Briand e Licha, autores dos gols no Gerland (Reuters)

lyon_benfica_alberto_mallenco_nicolas_gaitan_cris_reuters

O zagueiro e capitão brasileiro Cris aplaude o vermelho de Alberto Mallenco para Nicolas Gaitan, que facilitou deveras a vida lionesa na partida de hoje (Reuters)

Fora da França
O francês de maior destaque longe do Gerland hoje foi Jonathan Biabiany. Não marcou nenhum na vitória da Inter de Milão sobre o Tottenham, da Inglaterra, por 4 a 3, no Giuseppe Meazza. Mas provocou a expulsão do goleiro brasileiro Gomes no começo do primeiro tempo, deixando seu time em excelentes condições para abrir 4 a 0 antes do intervalo. Ser titular no atual campeão europeu e tetracampeão italiano não é pouco, o que prova que o garoto está de parabéns!

Amanhã, quinta-feira, temos Liga Europa com PSG e Lille em ação. Borussia Dortmund x Paris Saint-Germain promete, mas infelizmente só vai passar ao vivo para quem tem ESPN HD (15h). Cacemos os streams internéticos então!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 14 de setembro de 2010 Torneios europeus | 11:17

Os prováveis Lyon e Schalke

Compartilhe: Twitter

Hoje, Gerland, 15h45:

Lyon: Lloris; Réveillère, Lovren, Diakhaté e Kolodziejczak; Toulalan, Gonalons, Briand, Gourcuff e Michel Bastos (Lisandro López); Gomis.

Schalke 04
: Neuer; Sarpei, Höwedes, Plestan e Schmitz; Jones, Moritz, Farfan e Rakitic; Raul e Huntelaar.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 10 de março de 2010 Torneios europeus | 18:38

E o Lyon fez mesmo história no Bernabéu!

Compartilhe: Twitter

Os vencedores celebram, numa cena que o Real assiste há cinco anos (Reuters)

A prova de fogo começou da pior maneira possível para o Lyon: gol relâmpago do Real, com Cristiano Ronaldo e sua excelente média de gols na Liga dos Campeões (seis, em sete partidas). Os donos da casa cresceram, sufocaram por um tempo, e perderam grandes chances com Cristiano, Kaká (caçado fortemente por Cris num carrinho feio) e Higuaín, que numa delas driblou Lloris, tocou para o gol e preparou a comemoração enquanto a bola batia na trave e saía… A posse de bola foi 67% madrilenha no 1º tempo, que viu nove chutes a gol dos merengues e apenas um (para fora) dos lioneses. Que bom que o intervalo chegou, pensaram os franceses.

Para a segunda etapa, Claude Puel tirou o zagueiro Boumsong e o volante Makoun, colocando o lateral/volante Kallstrom e o zagueiro/volante Gonalons. Felizmente, o time melhorou e passou a controlar mais a bola, inclusive criando repetidas chances de gol. E foi numa delas que o empate viria, aos 30 minutos: Kallstrom acionou Delgado, que se aproximou da grande área, encontrou Lisandro, o argentino “fez o pivô” muito bem para a entrada de Pjanic, que dominou e chutou forte, sem chances para Casillas!

Precisando agora de dois gols, por causa do “fator fora de casa”, Manuel Pellegrini ousou tirar Kaká, que saiu xingando (a si? o técnico? a vida?), para a entrada de “Raúl Madrid”, na esperança da lenda viva o salvar. Puel queimaria sua última alteração aos 38, quando o brasileiro Ederson substituiu o bósnio Pjanic. Na base do desespero, o Real dava contra-ataques perigosos ao Lyon: em dois deles, Lisandro e Delgado apareceram na cara de Casillas, mas conseguiram perder! (ê, argentinada…). Apelando aos chuveirinhos, o time espanhol acabou por consagrar Lloris. No finalzinho, Cris e Raúl se estranharam, o brasileiro pegou a bola e a escondeu… Que leve pra casa, o Lyonnais fez história no Santiago Bernabéu!!

"Essa é pra você, Tubarão! É nóis!!", teria dito o bósnio Miralem Pjanic

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 3 de novembro de 2009 Brasileiros na França, Torneios europeus | 22:40

Ah, esses franceses me dão gosto!

Compartilhe: Twitter
A palavra atrás de Benzema não é por acaso... (Reuters)

A palavra atrás de Benzema não é por acaso... (Reuters)

Confesso que até eu fiquei surpreendido. Mesmo puxando a sardinha o caviar para os times franceses na Liga dos Campeões da Europa, não esperava ver um deles já com a classificação garantida para as oitavas-de-finais com duas rodadas antes do término da fase de grupos! A proeza coube ao Bordeaux, atual campeão nacional, que venceu duas vezes o Bayern de Munique – na França e hoje na Alemanha – pelo grupo A. O Olympique, embora tenha começado a Champions com duas derrotas, bateu o Zurique fora e dentro de casa e mantém chances de estragar os planos ou de Milan ou de Real Madrid no grupo C. E amanhã, o Lyon pode assegurar sua vaga ou ficar muito perto dela em caso de nova vitória ou empate contra o Liverpool… Bien, vamos às louváveis façanhas desta terça: 

Bayern 0 x 2 Bordeaux (e agora, Alemão?)
Se um empate estaria de ótimo tamanho, o que dizer de uma vitória que deixa o rival em situação complicadíssima? Foi isso que os Girondinos conquistaram na futurista Allianz Arena. Os dois gols tiveram participação brasileira, nas assistências que pareceram lançamentos. 

Aos 37 minutos da primeira etapa, Wendell cobrou falta de longa distância na direção da área, a defesa bavara parou e ficou espiando a cabeçada de Gourcuff, no segundo pau. O goleiro Butt deu uma colaborada e o placar estava aberto em Munique.

Após segurar o ímpeto do rival por muito tempo –  e contar com a sorte nas chances desperdiçadas por Toni e Robben -, o Bordeaux seria recompensado no finalzinho, quando Fernando acionou o contra-ataque numa bola longa para Chamakh dividir com o zagueiro Badstuber. O marroquino levou a melhor sobre o beque, Butt ficou no caminho e o atacante só empurrou para as redes.

Com 10 pontos, o classificado Bordeaux lidera a chave, seguido pela Juventus, que voltou a fazer 1 a 0 no Maccabi e tem oito. O Bayern parou nos quatro e o time israelense não conseguiu pontuar depois de quatro rodadas.

Olympique 6 x 1 Zurique (eu disse seeis!)
No Vélodrome, o Marselha contou com a ajuda adversária que qualquer ataque do time da casa espera no início da partida: em bola alçada na área, após cobrança de falta do meia Abriel, o também meia Aegerter desviou para trás e tirou as chances de defesa de Leoni logo aos 3 minutos de jogo. Sorte, é claro, mas a prova de que o OM mereceria os três pontos por competência própria viria apenas oito minutos depois, quando Abriel repetiu a falta e, mesmo sem desvio desta vez, ela voltou a morrer nas redes suíças!

Ainda no primeiro tempo, o Zurich conseguiria seu gol, dando a impressão que poderia engrossar o caldo marselhês: o francês Alexandre Alphonse chutou forte da entrada da área, no meio da defesa rival. Entretanto, aos sete da segunda etapa, uma bela tabelinha entre Niang e Koné terminou com um lindo toque por cobertura do senegalês e capitão do Olympique: 3 a 1. 

A goleada se consolidou aos 35, quando o zagueiro brasileiro Hilton teve talento para emendar de dentro da área, após bate-rebate. Com 34, Cheyrou levou o estádio ao delírio, acertando um míssil de esquerda quase no ângulo do goleiro, de fora da área. Para encerrar a festa, outra pitada verde-amarela: Niang cruza rasteiro e deixa Brandão com a incumbência única de arrematar para o gol. Pronto, 6 a 1 e o maior chocolate da fase de grupos da Liga 2009/2010!

Com o empate entre Milan e Real, ambos chegaram aos sete pontos, somente um à frente do Marselha, que foi a seis e ainda encara os dois – Real em casa e Milan fora. O Zurique permanece em último no grupo, com três.

Milan 1 x 1 Real Madrid
Apenas para dizer que Karim Benzema foi muito bem, criando perigo para a zaga italiana. Aos 19 do 1º tempo, ele fez bela jogada, abrindo espaço e concluindo rasteira, muito perto da trave de Dida. E aos 29, arrematou com precisão após o goleiro brasileiro rebater chute de Kaká, marcando o gol dos merengues no San Siro. Raúl, Van Nistelrooy e Granero começaram no banco, o que mostra que o francês está prestigiado, d’accord?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 21 de outubro de 2009 Torneios europeus | 20:15

Semana francesa na Liga dos Campeões

Compartilhe: Twitter

Quelle semaine, mon ami! Três vitórias de franceses em três jogos pela terceira rodada da Liga dos Campeões. Ontem, o Lyon papou o Liverpool na casa dos Beatles. Hoje, o Bordeaux, de vermelho, jantou o Bayern de Munique com vinho caseiro e o Olympique, de azul, engoliu o Zurique com direito a chocolate suíço de sobremesa… Detalhemos as refeiç…, ops, os jogos desta quarta-feira.

Planus manteve os planos do Bordeaux de pé... (AP)

Planus manteve os planos do Bordeaux de pé... (AP)


No Chaban-Delmas
, o Bordeaux iniciou a partida com Carrasso; Chalmé, Ciani, Planus e Trémoulinas; Fernando, Alou Diarra, Wendell, Plasil e Gourcuff; Chamakh. O time não começou bem, mas foi beneficiado pela expulsão relâmpago do meia Muller, aos 30 minutos de jogo. E teve nos zagueiros os seus grandes personagens em campo: Michäel Ciani marcou contra aos 6, mas se recuperou anotando a favor aos 29, e seu parceiro de defesa Marc Planus colocou os Girondinos na frente aos 40.

As coisas poderiam ter ficado mais fáceis na metade do segundo tempo, mas o craque Gourcuff desperdiçou pênalti sofrido por Chamakh. Ainda bem que não foi preciso fazer mais gols, porque já no final da partida, aos 42, foi a vez de Jussiê, que entrara dois minutos antes no lugar de Wendell, dar ao Bordeaux a proeza de perder duas cobranças de pênalti no mesmo jogo. Ainda bem que Miroslav Klose e Luca Toni passaram em branco…

Agora, o atual campeão francês comanda o grupo A com sete pontos, dois a mais do que a Juventus, que derrotou o Maccabi Haifa pelo placar mínimo, e três à frente do Bayern de Munique. Nada está garantido em termos de classificação, mas tudo caminha muito bem até aqui.

Marselheses de todos os índices de massa corporal "zuaram" em Zurique (AP)

Marselheses de todos os índices de massa corporal "zuaram" em Zurique (AP)


Em Zurique
, o Marselha começou com Mandanda; Bonnart, Mbia, Hilton e Heinze; Edouard Cissé, Cheyrou, Valbuena e Lucho; Niang e Brandão. O OM dominou a maior parte das ações ofensivas no primeiro tempo, mas nada de acertar o pé em chutes de longe ou tentativas mais próximas.

No início da segunda etapa, Didier Deschamps fez duas apostas para colocar o time mais à frente, colocando Koné no lugar de Valbuena e Abriel na vaga de Cheyrou. Aos 23, alegria marselhesa em jogada de argentinos: Gabriel Heinze conclui de forma certeira após passe de Lucho González, abrindo o placar na Suíça. Mesmo perdendo Bonnart no finzinho do jogo, expulso, o Marselha conseguiu segurar o resultado e vencer a primeira no campeonato.

Agora, o time de Deschamps divide a terceira posição com o mesmo Zurique, e ambos, ainda vivos na competição, estão três pontos atrás de Real Madrid e Milan. Falando nisso, Lass e Benzema foram titulares em Madri no esperadíssimo confronto de Kaká contra seu ex-time. O atacante francês foi bem no primeiro tempo, tendo aliás sofrido um pênalti claro de Zambrotta que o juiz não teve culhão para marcar. Apesar do árbitro ter anulado erroneamente um gol de cabeça de Thiago Silva, e da falha bisonha de Dida, que redundou no gol de Raúl, os comandados de Leonardo conseguiram uma importantíssima vitória por 3 a 2 no Bernabéu.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 Brasileiros na França, Franceses no mundo, Torneios europeus | 19:14

Madri, Bordeaux, Munique e Nicósia!

Compartilhe: Twitter
É para o lado do rótulo, Mandanda! (Reuters)

É para o lado do rótulo, Mandanda! (Reuters)

 

Foram quatro os palcos de jogos pela Liga dos Campeões onde os franceses se destacaram (ou não). Vamos a um por um:

Real Madrid x Olympique de Marselha
No primeiro tempo, poucas chances e nada de gols em Madri, o que era ótimo para o OM. Porém, no segundo, aos 12, o Real achou o caminho do gol com Cristiano Ronaldo, concluindo lançamento de Pepe. A parada não estava resolvida, até que Diawara entrou duro em Cristiano quando este invadia a área pela linha de fundo, aos 16. Foi na bola, mas só chegou a ela porque levou a perna do madridista junto! Os marselheses reclamaram com o português, que ficou chorando no chão, mas o fato é que Souleymane recebeu o segundo amarelo, foi expulso e o pênalti marcado. Kaká deslocou Mandanda e ampliou.

Deschamps trocou Fernando Morientes, bastante aplaudido pela torcida merengue (teve duas passagens pelo Real, entre 1997 e 2003 e 2004-2005) e colocou Brandão, “pra-quem-sabe-numa-bola-aérea”. Mas no primeiro ataque espanhol com um a mais, Benzema tabelou com Kaká e tocou com açúcar para Ronaldo só empurrar para as redes vazias: 3 a 0 com 21 minutos.

Aos 24, Cristiano deu lugar a Higuaín, visivelmente sentindo a perna direita, onde levou a pancada. Sentou no banco e já teve uma bolsa de gelo aplicada no local. Oito minutos depois, Kaká foi substituído por Raúl. Sentou do lado do portuga, que lhe contou uma piadinha. O brasileiro riu. O que mais esses caras podem querer na vida, né?

Antes do apito final, Mamadou Niang e Brandão tiveram chances em chutes fortes, mas apenas glorificaram Iker Casillas. Niang sairia aos 41, para a entrada de Hatem Ben Arfa. O meia até levou perigo, numa bola que passou por baixo de Casillas e quase entrou, mas nem o gol de honra veio. Com a surpreendente derrota do Milan para o Zurique, na Itália, o Marselha amarga a lanterna do grupo C.

Bordeaux x Maccabi Haifa
O que era muito fácil quase se complicou de vez, porque os Girondinos só conseguiram o gol e a vitória aos 38 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Michaël Ciani (?!) vazou os israelenses. Com o empate desses dois times aí debaixo, Bayern e Juventus, os Marine et Blanc colaram nos germânicos na ponta do grupo A, ambos com quatro pontos.

Bayern x Juventus
Em Munique, David Trezeguet jogou 73 minutos como titular do ataque da Juventus, mas não repetiu os gols das últimas duas partidas e deu lugar a Amauri. Franck Ribéry jogou os 90 minutos, mas o time alemão também não mexeu no placar.

APOEL Nicósia x Chelsea
No persistente Chipre (é a segunda vez que o país está representado na Champions, sem repetir o clube!), o time inglês não teve Didier Drogba, mas o faro de gol de Nicolas Anelka deu conta do recado. Após bela jogada de Juliano Belletti (!) na linha de fundo, aos 18 da primeira etapa, o francês concluiu de primeira, num lindo chute, o único que morreu no fundo das redes nos 90 minutos. Florent Malouda também participou do jogo.

>> Liga Europa, 2ª rodada
Como sempre imendando na Liga dos Campeões, a Liga Europa faz mais uma journée amanhã. Pelo grupo B, o Lille vai a Praga encarar o Slavia. Já o Toulouse recebe o belga Brugge em casa, pela chave J.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,