Publicidade

Posts com a Tag Paul Le Guen

segunda-feira, 18 de julho de 2011 Franceses no mundo, Seleção francesa | 18:03

Não deu pódio

Compartilhe: Twitter

Uma pena a derrota francesa na disputa pelo terceiro lugar da Copa do Mundo feminina. Deu Suécia, por 2 a 1. Mas valeu bastante o desempenho gaulês na Alemanha! (veja o álbum de fotos do jogo e os destaques em números do torneio, que teve enorme repercussão mundial, no amigo Blog do Alemão)

Quem pensa que a temporada de competições entre seleções acabou, se equivoca. No próximo dia 29, sexta-feira da semana que vem, começa o Mundial sub 20 masculino, com a França na disputa, bien sûr!

**

O site da Fifa destaca hoje uma entrevista com Paul Le Guen. O técnico francês, ex-Lyon, Rangers, PSG e seleção de Camarões (com a qual esteve na Copa 2010), assumiu o selecionado de Omã com a nada mole tarefa de tentar levar o pequeno país asiático à Copa do Mundo de 2014 aqui na terra brasilis. Esse vai precisar de sorte!

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011 Brasileiros contra a França, Brasileiros na França, Torneios europeus | 19:15

Momento retrô: Quando Ronaldo foi… Ronaldo!

Compartilhe: Twitter

OK, Ronaldo não somente deu alegrias aos franceses quando os enfrentou. Também lhes causou prejuízo, como na final da antiga Recopa europeia (Copa dos vencedores de Copas, que durou entre 1960/61 e 1998/99) do hoje distante 1997.

PSG-Barcelone_1997_rojão_ronaldo

Correu Ronaldo... bateu... adivinha?

No dia 4 de maio de então, em Roterdã, na Holanda, o Paris Saint-Germain foi derrotado pelo Barcelona, com aquela bela camisa verde, por 1 a 0. Gol após cobrança de pênalti sofrido e batido pelo atacante de 20 anos, futuro maior artilheiro das Copas do Mundo. Detalhe: quando Ronaldo partiu para a bola, é possível ver um rojão cruzando a área, como registrou a foto deste post e o vídeo abaixo mostra, mas felizmente ninguém se feriu.

Raí, capitão, e Leonardo, que jogava adiantado, eram os brasileiros do time parisiense dentro de campo. Fora, o comando cabia a um então principiante Ricardo Gomes. A equipe ainda tinha duas referências históricas do clube: o volante/líbero Le Guen, posteriormente treinador do PSG (dirigiu também Camarões na Copa 2010), e o goleiro Lama. Ambos atingiram mais de 300 partidas pelo Parri, entrando no top five da agremiação neste quesito.

Do outro lado, porém, havia um Barça memorável, devo admitir, como se pode ver na ficha técnica lá embaixo. Neste jogo, “apenas” Stoichkov e Giovanni começaram no banco blaugrana, que tinha, como então assistente de Bobby Robson, um tal de José Mourinho…

O vídeo abaixo tem quase 10 minutos de um bom resumo do jogo, provavelmente de alguma tv catalã.

Ficha Técnica – PARIS SAINT-GERMAIN 0 x 1 BARCELONA

Data: 4 de maio de 1997
Local: Feyenoord Stadion, em Roterdã (Holanda)
Público: 52 mil espectadores
Árbitro: Markus Melk (Alemanha)
Cartão amarelo: Fournier, Le Guen e Cauet (PSG); Couto e Peña (BAR)

Gol: Ronaldo, aos 37 minutos do 1º tempo, para o Barça

PSG: Bernard Lama; Laurent Fournier (Jimmy Algerino), Bruno N’Gotty, Paul Le Guen e Didier Domi; Jerôme Leroy, Vincent Guérin (Dely Valdés), Raí e Benoît Cauet; Leonardo e Patrice Loko (Cyrille Pouget). Técnico: Ricardo Gomes

Barcelona: Vítor Baía; Ferrer, Abelardo, Fernando Couto e Sergi; Guardiola, Popescu (Amor), De la Peña (Stoichkov) e Luís Enrique; Luís Figo (Pizzi) e Ronaldo. Técnico: Bobby Robson

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 24 de setembro de 2010 Extracampo, Francês da 1ª divisão | 18:46

Nomes para o lugar de Puel

Compartilhe: Twitter
Claude Puel, como se vê, está balançando... (AFP)

Claude Puel, como se vê, está balançando... (AFP)

A diretoria do Lyon nega ter procurado qualquer técnico para substituir Claude Puel, que começou mal a temporada (em termos nacionais, porque venceu na estreia da Liga dos Campeões) e não conquistou títulos em dois anos de trabalho, em que pese a histórica semifinal da Champions passada. O presidente Jean-Michel Aulas, entretanto, deu prazo de validade para os resultados aparecerem sob a gestão Puel: 23 de novembro, após 10 rodadas do Francês e três da Liga.

A imprensa francesa, com o sinal de alerta ligado, já começou a ventilar nomes para o cargo: primeiro o italiano Marcelo Lippi, técnico da seleção azzurra e campeão do mundo em 2006. Agora, o francês Paul Le Guen, que tem história em Lyon (foi tricampeão francês entre 2002 e 2005), passou pelo Paris Saint-Germain e treinou Camarões na Copa 2010.

Até Juninho Pernambucano foi lembrado, porque o brasileiro já declarou que deseja ser treinador lionês e começou sua preparação para a nova função. Mas o meia de 35 anos ainda joga no Al-Gharafa, não tem qualquer experiência na tarefa, e creio que colocá-lo logo de cara como técnico de um clube como o OL não seria uma boa ideia – talvez começar como auxiliar ou comandante de uma categoria de base fosse o mais prudente, não?

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 27 de novembro de 2009 Francês de divisões menores, Seleção francesa | 22:44

Domenech desprestigiado entre os pares

Compartilhe: Twitter

Que pouca gente gosta do e aprova o trabalho de Raymond Domenech à frente da seleção francesa, é indiscutível. Apesar de perder a Copa do Mundo de 2006 apenas nos pênaltis, a França dele foi muito mal na Eurocopa de 2008 e penou para se classificar nas Eliminatórias Europeias recentes, na repescagem, daquele jeito que o mundo inteiro viu como (menos o juiz da partida contra a Irlanda). O grupo tem jogadores experientes e talentosas revelações, destaques em clubes de ponta no continente, mas que raramente jogam o que sabe quando trajam o azul, branco e vermelho.

Como cumpriu a meta de levar os Bleus para a África do Sul, a tendência é que Domenech vá para o Mundial. Mas colegas de profissão de renome no país não tiveram receio de externar publicamente que ele não deveria continuar no posto que atualmente ocupa. 

Aimé Jacquet, campeão mundial em 1998 em casa, criticou o futebol da seleção nas Eliminatórias, disse que Raymond deve explicações sobre esse mau desempenho e questionou a postura da Federação Francesa (FFF) por não “protegê-lo de si mesmo”, pois no seu entender o técnico já deveria ter vazado após a Euro. Paul Le Guen, atualmente à frente de Camarões, disse que apreciaria um acordo entre Dôme e FFF para a saída do treinador, “isolado e sem o mínimo de suporte necessário para seguir no cargo que está”.

Será que a Federação está ouvindo isso? Seria bom que estivesse. Quem seria um bom nome para assumir a bucha francesa? Eu colocaria Laurent Blanc, campeão do mundo como jogador e do último Francês pelo Bordeaux.

A Federação Francesa está se fazendo de cega ao insistir em Dôme (FFF)

A Federação Francesa está se fazendo de cega ao insistir em Dôme (FFF)

*FRANCESÃO e FRANCESINHO*

Amanhã, no começo da tarde, coloco os jogos da 15ª rodada da Ligue 1 (leia a apresentação da rodada). Hoje, na Ligue 2, o Caen goleou o Nîmes por 4 a 0 fora de casa, abriu sete pontos para o segundo colocado Le Havre e se credenciou ainda mais a trocar de divisão com o Grenoble na temporada 2010-2011.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

terça-feira, 5 de maio de 2009 Francês da 1ª divisão, Torneios europeus | 17:58

Mas que hora, Hoarau!

Compartilhe: Twitter

Faltando quatro rodadas para o final do Campeonato Francês, os times esperam contar com suas forças máximas para buscar os objetivos ainda viáveis. No caso do Paris Saint-Germain, a meta tem nome pomposo, respeitável e cobiçado: Liga dos Campeões da Europa. Em 4º lugar na tabela de classificação, o PSG está a apenas um ponto do 3º lugar, posição limite para jogar a “tche-Champions” a partir do segundo semestre. Melhor ainda: o time a ser batido é o derrubado Lyon, que vem numa descendente inédita nos últimos sete anos.

Seria um quadro bastante favorável, só prejudicado caso pintasse um desfalque de alguém importante, alguém como o artilheiro da equipe, digamos. Pois é, aconteceu: Guillaume Hoarau, vice-artilheiro do Francês com 17 gols (quatro a menos que Gignac, do Toulouse) em 32 jogos (0,53 de média), está fora das duas próximas partidas do PSG, contra Le Mans, fora de casa, e Auxerre, no Parc-des-Princes.

Agora, cabe ao titular Ludovic Giuly (que deve ter saudades dos tempos de Barcelona de Ronaldinho Gaúcho, por sinal um ex-PSG) e ao provável substituto Mateja Kezman (sérvio que veio do Fenerbahce, da Turquia), resolver um problemão composto por apenas três letrinhas: gol. Independentemente do que o time da capital conseguir nessa reta final, o técnico Paul Le Guen não estará mais no comando do clube azul e vermelho após o fim da temporada, em junho.

Já deu pra notar que o cara, com esse tamanho, faz o estilão Jardel (foto AP)

Autor: Tags: , , , , ,