Publicidade

Posts com a Tag Parreira

quarta-feira, 2 de abril de 2014 Torneios europeus | 23:22

PSG abre ótima vantagem, mas Ibra se machuca contra o Chelsea

Compartilhe: Twitter
O segundo gol do Paris saiu assim (Getty Images)

O segundo gol do Paris saiu assim (Getty Images)

O objetivo de apagar a última impressão deixada pelo time inglês no estádio parisiense foi muito bem cumprido hoje, pela ida das quartas de finais da Liga dos Campeões da Europa: 3 a 1 pro Paris Saint-Germain. A comissão técnica da seleção brasileira (Felipão, Parreira, Murrrtosa) acompanhou in loco, assim como havia feito na véspera, em Barcelona 1 x 1 Atlético de Madrid.

As duas equipes já haviam se cruzado pela Champions de 2004/05, na fase de grupos. Em setembro do primeiro ano, no Parc des Princes, o Chelsea meteu 3 a 0, gols do zagueiro Terry e do atacante Drogba (2), ex-Olympique de Marselha. Na Inglaterra, dias depois, foi 0 a 0 (nesse link da Uefa dá pra relembrar as escalações dos times na época, assim como quando voltaram a se encontrar, em um amistoso em 2012).

Voltando a abril 2014, o Parrí conseguiu o que todo time da casa deseja em partida decisiva, que é abrir o placar rapidinho. Matuidi cruzou, Terry (o mesmo de 2004) afastou mal de cabeça, e ainda dentro da área Lavezzi dominou e bateu no alto, fora do alcance de Cech, aos 3 minutos. Mas aos 26, Ibra perdeu a bola pelo meio, Thiago Silva calculou mal o carrinho na direção de Oscar, o brasileiro caiu, pênalti. O belga Hazard, ex-Lille, cobrou com classe para empatar.

O domínio do PSG seria recompensado no 2º tempo. Aos 16, falta inexistente de David Luiz em Matuidi na lateral. Lavezzi levantou no meio da cozinha (LUIZ, Silvio), a bola passou por meio mundo e o azarado David empurrou para dentro, atrapalhado que só. A festa parisiense aumentou nos acréscimos, quando o argentino Pastore enfileirou a defesa inglesa pela ponta, numa jogada que pouco prometia, entrou na área e bateu cruzado, por baixo do goleiro, fechando o marcador.

Porém, Laurent Blanc não vai poder usar a formação que gostaria para o jogo de volta, na terça que vem, em Londres. Nada menos que O cara do elenco, Ibrahimovic, saiu de campo com lesão muscular na coxa e já é considerado desfalque. Outro lesionado que pode ficar de fora é o habilidoso volante Verratti. Vamos torcer para parar por aí!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 12 de abril de 2011 Extracampo, Franceses no mundo, Torneios europeus | 18:35

Domenech sorri e cumprimenta brasileiro. Já o Anelka…

Compartilhe: Twitter
Raymond Domenech com Leonardo Vitorino no Catar (Divulgação/ASE)

Raymond Domenech com Leonardo Vitorino no Catar (Divulgação/ASE)

anelka_substituicao_afp

Nicolas Anelka deixa o gramado do Old Trafford ao ser substituído no início do 2º tempo (AFP)

Dias atrás, Raymond Domenech (que brigou com Nicolas Anelka na fatídica Copa 2010) ministrou palestra voltada aos treinadores do Al Gharafa (para onde Juninho Pernambucano foi depois do Lyon) na sede do clube, em Doha, capital do Catar. O técnico francês falou sobre a experiência com as seleções sub 21 e principal dos Bleus e conheceu de perto o trabalho de formação de atletas na base do clube catariano, que tem o brasileiro Leonardo Vitorino como um dos treinadores.

Ao contrário do que aconteceu com Carlos Alberto Parreira na despedida francesa do Mundial sul-africano, com derrota para os donos da casa, Domenech sorriu e não recusou estender a mão para Vitorino…

Minutos atrás, Nicolas Anelka (que xingou seu então técnico na África do Sul) entrou em campo como titular do Chelsea contra o Manchester United, ao lado do compatriota Florent Malouda. Mas o atacante não marcou, foi substituído e acabou eliminado nas quartas de finais da Liga dos Campeões da Europa pelo time vermelho, do também compatriota Patrice Evra

Será que Nicolas xingou seu atual treinador Carlo Ancelotti em algum momento do dia de hoje?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 21 de junho de 2010 Copa do Mundo | 16:39

Boas lembranças dos Bafana. E de Parreira

Compartilhe: Twitter

França e África do Sul se encontraram apenas uma vez em campo em torneios oficiais (em dois amistosos, houve vitória francesa em 1997 e empate em 2000), e justamente numa Copa do Mundo. Foi em 1998, no início da caminhada francesa rumo ao título em casa. Naqueles 3 a 0 pró-Bleus, estavam em campo os então jovens Thierry Henry e Benny McCarthy, que provavelmente repetiriam o duelo em 2010, na condição de maiores artilheiros da história de suas seleções, se Parreira não tivesse cortado o sul-africano da lista dos 23 Bafanas.

Henry, inclusive, balançou as redes no estádio Vélodrome, em Marselha, após escanteio cobrado por Dugarry, encerrando a vitória construída anteriormente com gols do próprio Dugarry, aproveitando escanteio batido por Zidane, e de Issa, contra, desviando chute de Djorkaeff. A arbitragem foi do brasileiro Márcio Rezende de Freitas.

O engraçado agora é que um 3 a 0 nesta terça-feira seria fundamental para os Bleus de hoje na luta pela sobrevivência na Copa 2010. Assista a vídeo com os melhores momentos daquela partida:

Outro brasileiro estará em campo em Bloemfontein. Carlos Alberto Parreira dirige os Bafana Bafana, e tê-lo no banco de reservas adversário num Mundial também traz boas lembranças à França. Foram três vitórias francesas em três partidas contra seleções dirigidas pelo técnico : 4 a 1 sobre o Kuwait em 1982 (fase de grupos), 4 a 0 sobre a Arábia Saudita em 1998 (fase de grupos) e 1 a 0 sobre o Brasil em 2006 (quartas-de-finais). Portanto, Parreira tem razões de sobra para se benzer antes da bola rolar nesta Copa…

Autor: Tags: , , , , , , , , ,