Publicidade

Posts com a Tag Ospina

terça-feira, 10 de junho de 2014 Copa do Mundo | 19:22

Estrangeiros do futebol francês na Copa 2014

Compartilhe: Twitter
Antes mesmo de Falcao ser oficialmente cortado, os colombianos já tinham bolado a substituição perfeita, com um atacante cuja seleção não se classificou pra Copa...

Antes mesmo de Falcao ser oficialmente cortado, os colombianos já tinham bolado a substituição perfeita, com um atacante que também atua na França e cuja seleção não se classificou pra Copa…

Copa do Mundo não é torneio pra gente falar só de seleção francesa neste espaço, mas também de lembrar ao planeta bola os jogadores do Mundial que atuam no nosso querido futebol francês.

Lembrando que, dos 23 franceses convocados por Deschampsapenas 8 jogam atualmente no país. Quase o mesmo número de atletas que representam as seleções africanas de Camarões (7) e Costa do Marfim (6)!

Uma curiosidade: nos maiores campeões mundiais, Brasil e Itália, apenas o PSG cedeu destaques, três em cada. E o hoje bicampeão francês é o maior cessor de atletas para todas as 32 seleções, entre todos os clubes do país: 11, bem à frente do Monaco, o segundo nessa relação, com 4.

Bora lá (me baseei nesse link do bom site espanhol Futbol desde Francia, cruzando depois com os 23 confirmados da página da Fifa sobre a Copa):

Argélia: Carl Medjani (defensor do Valenciennes), Mehdi Mostefa (defensor do Ajaccio) e Aissa Mandi (defensor do Reims). Ryan Boudebouz (meia do Bastia) e Foued Kadir (meia do Stade Rennais) foram pré-selecionados, mas cortados.

ArgentinaSergio Romero (goleiro reserva do Monaco) e Ezequiel Lavezzi (atacante do Paris Saint Germain).

Bélgica: Divock Origi (lateral/ala do Lille).

Brasil: Thiago Silva (zagueiro capitão), David Luiz (zagueiro vindo agora do Chelsea) e Maxwell (lateral-esquerdo), todos do Paris Saint Germain.

Camarões: Nicolas Nkoulou (lateral do Olympique de Marseille), Henri Bedimo (lateral-esquerdo do Lyon); Jean Illes Makoun (volante do Rennes); Landry Nguemo (volante do Bordeaux); Edgar Salli (meia do Lens, recém-promovido da Ligue 2); Benjamin Moukandjo (meia-atacante do Nancy, da Ligue 2) e Vincent Aboubakar (atacante do Lorient). Guy Ndy Assembe, goleiro do Guingamp, e Jean-Armel Kana-Biyik, zagueiro do Rennes, ficaram fora.

Aboubakar foi um principais goleadores do último Campeonato Francês, empatado na vice-liderança do ranking geral com o também convocado Cavani, do Uruguai, ambos atrás do sueco Zlatan Ibrahimovic, lamentavelmente fora desta Copa.

Colômbia: David Ospina (goleiro do Nice); Ábel Aguilar (volante do Toulouse); James Rodríguez (meia do Monaco).

O goleador monegasco Radamel Falcao García foi pré-relacionado entre os 30, mas não se recuperou da cirurgia no joelho como torcíamos. Porém, o país conta com a habilidade de Rodríguez, maior assistente da última Ligue 1.

Costa do Marfim: Serge Aurier (lateral-direito do Toulouse); Benjamin Angoua (zagueiro do Valenciennes); Jean Daniel Akpa-Akpro (ala do Toulouse); Ismäel Diomande (meia do Saint Étienne); Salomon Kalou (meia do Lille) e Max-Alain Gradel (atacante do Saint Étienne). O lateral-direito Brice Dja Djedje, do Olympique de Marseille, e o volante Romaric (Bastia) não ficaram entre os 23.

Tem o único técnico francês de nascimento entre uma seleção estrangeira do Mundial: Sabri Lamouche, 42 anos, naturalizado tunisiano.

Croácia: Danijel Subasic (goleiro titular do Monaco).

Estados Unidos: Alejandro Bedoya (meia do Nantes).

Gana: Jonathan Mensah (zagueiro do Évian Thonon Gaillard); John Boye (zagueiro do Stade Rennais); Andre Ayew (atacante do Olympique de Marseille); Jordan Ayew (atacante do Sochaux) e Abdul Majeed Waris (atacante do Valenciennes) – que fez uma segunda metade de temporada muito boa na Ligue 1.

Andre é irmão mais velho de Jordan Ayew, ambos filhos do ex-atacante Abedi Pelé, que é o maior artilheiro da história da seleção mas, ironicamente, nunca disputou uma Copa do Mundo.

Itália: Salvatore Sirigu (goleiro titular); Thiago Motta (volante/meia); Marco Verratti (volante/meia), todos do Paris Saint Germain, e acima da média, principalmente os dois de linha.

México: Guillermo Ochoa (goleiro que disputou a última temporada pelo Ajaccio e está sem clube) – costuma pegar muito quando acossado;

Nigéria: Vincent Enyeama (goleiro titular do Lille). O meia Sunday Mba (CA Bastia, Ligue 2) foi pré-relacionado, mas acabou fora.

Enyeama fez uma excelente Ligue 1 2013/14 pelo LOSC, sendo um dos arqueiros menos vazados do campeonato francês.

Portugal: João Moutinho (volante/meia do Monaco).

Uruguai: Edinson Cavani (atacante do Paris Saint Germain) – craque!

-> Link para todos os convocados para a Copa 2014 do site do O Globo

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 15 de novembro de 2010 Francês da 1ª divisão | 21:28

Campeonato Francês: acirradíssimo

Compartilhe: Twitter

Depois de mais uma rodada no fim de semana, a Ligue 1 continua extremamente competitiva. Engraçadamente, o 19º e penúltimo colocado Nancy está à frente do lanterna, Arles, na mesma quantidade de pontos que o separa do líder, o Brest! (oito). Ou seja, prever quem lutará pelo quê continua uma dura missão.

Não podemos desprezar a força defensiva do Stade Brestois, que mesmo não empolgando no ataque é um dos dois times que menos sofreu gols no certame (8, ao lado do Rennes). A liderança isolada veio depois do 1 a 1 com o Sochaux, que saiu na frente em casa mas cedeu a igualdade minutos depois.

Uma das maiores ajudas ao Brest veio da derrota do Rennes, que começou a rodada como 2º e terminou em 5º depois da derrota em Auxerre (2 a 1). Pude acompanhar parte do jogo no Abbé-Deschamps e vi o golaço de Valter Birsa, que recebeu no meio, abriu espaço cortando para a esquerda e bateu colocado, encobrindo o goleiro Douchez, que só pôde olhar embasbacado.

Pouco depois, porém, Kembo-Ekoko subiu sozinho, cabeceou na trave e deu sorte de a bola voltar na pinta pra ele empurrar pro gol do AJA, que buscaria a vitória quando Contout foi derrubado por Douchez e Quercia apareceu para definir o lance pro gol. Apesar das estatísticas equilibradas e maior posse de bola do Stade Rennais, deu Auxerre e acho que merecidamente, porque foi mais incisivo na busca pelo gol. Roy Hodgson, treinador do inglês Liverpool, estava no estádio, dizem que para ver o selecionável Yann M’Vila e o congolês Delvin Ndinga, ambos volantes. 

O Brest aplaudiria ainda ao tropeço do Olympique de Marselha em casa, contra o Lens. A torcida no Vélodrome vibrou logo aos 10 minutos, quando Lucho González bateu escanteio, Heinze desviou e Mbia arrematou para o gol. Entretanto, a ofensiva marselhesa parou por aí e num ataque do RCL houve uma bola na área mal rebatida pela zaga, permitindo que o brasuca Eduardo Santos batesse bonito, de direita, sem qualquer chance para Mandanda.

moussa_sow_lille_afp

Moussa Sow merece um P de parabéns pelo que tem feito no Francesão (AFP)

Pena que Santos seria substituído logo depois, o que julguei errado da parte do técnico Jean-Guy Wallemme – até porque houve um contra-ataque pros visitantes no finalzinho que poderia ter lhes dado a vitória se o brasileiro estivessem em campo. Se falhou ao não conseguir vencer, o OM pode reclamar do juiz que não viu um pênalti claro em Mbia, seguro por adversário em falta alçada na área lá pelos 30 do 2º tempo. Mesmo assim, o ataque com Remy, Gignac e Brandão (este nos últimos 15 minutos) foi mal e os anfitriões ouviram vaias da torcida no fim do jogo.

Na cola do SB29 vem o Lille, que aplicou sonoros 5 a 2 no Caen. Moussa Sow, ex-Rennes, arrepiou com um hat-trick e alcançou a artilharia geral da Ligue 1 ao lado de, curiosamente, Youssef El-Arabi, atacante do mesmo Caen e cria desta casa! O LOSC divide a vice-liderança com o Montpellier, que bateu o Toulouse pelo placar mínimo e vem subindo pelas beiradas.

No 1 a 1 com o Lorient, o Paris Saint-Germain teve dois grandes sustos: só conseguiu igualar o marcador no limiar dos 90 minutos, com Nenê salvando a lavoura, e viu Hoarau desmaiar quando estava no banco de reservas, após ser substituído. Mas o mal-estar foi ligeiro e o atacante rapidamente se recuperou. PSG agora é o quarto, a dois pontos da ponta.

Por fim, Lyon e Nice fecharam a journée no Gerland. Antes eles dividiam a mesma pontuação, no miolo da classificação, mas com a vitória o OL subiu para oitavo, a três pontinhos do líder. Jérémy Pied fez o único gol do jogo, porque Michel Bastos bateu mal um pênalti (sofrido por Gomis de forma bem discutível, a meu ver), defendido por Ospina.

Nada empolgante pro Lyonnais, mas venceu. E chegou aos mesmos pontos do Bordeaux, que também ganhou (2 a 1 no Nancy, com gol irregular e muita confusão no encerrar do jogo) e é outro a ser considerado na briga pelas melhores posições – como se alguém pudesse ser desconsiderado nesse campeonato tão misturado…

Logo mais volto para escrever sobre Inglaterra x França!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 4 de outubro de 2010 Francês da 1ª divisão | 16:44

Não tem mais bobo na Bretanha

Compartilhe: Twitter
Torcedores do Rennes empunharam bandeiras da Bretanha no Stade de la Route de Lorient ontem (AFP)

Torcedores do Rennes empunharam bandeiras da Bretanha no Stade de la Route de Lorient ontem (AFP)

Pois é, quem diria que veríamos o Rennes na ponta do Campeonato Francês depois de oito rodadas, o que já não depende do acaso de uma vitória particular por goleada numa estreia, por exemplo. Enquanto o Saint-Etienne, então comandante da tabela, perdia gols e a chance de vencer o Olympique de Marselha em casa, o Stade Rennais não economizou gols e bateu o Toulouse por 3 a 1, nos seus domínios, um dia depois – com destaque para o primeiro, uma linda trivela cruzada do lateral-direito Danzé.

Com cinco vitórias e três derrotas na atual Ligue 1, o rubro-negro do norte francês divide com o Lille, terceiro colocado, o raro privilégio de ainda se manter invicto no torneio. Realmente não é um time de estrelas e vaidades individuais: o jogador com a melhor média de notas do time no campeonato segundo a France Football, por exemplo, é o zagueiro senegalês Abdou Kader Mangane. Essa soma de bons valores (entre outros, Douchez no gol, Mangane, o selecionável Mvila, ao lado de Marveaux e Dalmat no meio-campo, e o atacante colombiano Montaño, ex-Montpellier) tem alcançado um resultado bastante satisfatório até aqui. Porém, como a equipe de Frédéric Antonetti caiu precocemente na Copa da Liga Francesa, perdendo para o Guingamp (3ª divisão), não vamos nos empolgar antes da hora…

Vendo Rennes x Toulouse por uma transmissão de TV na internet, pude conferir um pouco do animado clima no vestiário do time vencedor instantes após a chegada ao topo da classificação. Os caras se cumprimentando e se reunindo no centro do vestiário, para fazer uma espécie de “grito de guerra”, não surpreende a ninguém. O que achei diferente foi um banner pendurado numa das paredes, onde se podia ler: “Toda a Bretanha está com você, Stade Rennais“. Não sei o que as torcidas dos também bretões Lorient e Brest pensam, mas enfim, estava lá… (os fãs de Nantes e Vannes não devem ter reclamado, pois seus times estão na segunda divisão, o que é oooutro campeonato).

Havia um seguro Mandanda no meio do caminho entre Rivière e o gol (AFP)

Havia um seguro Mandanda no meio do caminho entre Rivière e o gol (AFP)

O clássico entre ASSE e OM foi bastante movimentado, com os goleiros Janot e Mandanda se sobressaindo em relação aos atacantes. Quando o time da casa pressionava, saiu o gol marselhês em lance confuso, um bate e rebate que incluiu até o juizão, sobrou para Lucho enfiar com maestria e Gignac encher o pé (foi seu primeiro tento no clube). Valbuena ainda acertou o travessão, perdendo a chance de definir para os visitantes. De tanto martelar, o St. Etienne empatou no segundo tempo, após ótimo cruzamento do selecionável Matuidi que Batlles só escorou. Apesar da frustração verde por não acumular 3 pontos no Geoffroy-Guichard, não foi de todo mal o empate, afinal o Olympique, virtual concorrente ao título, segue atrás na classificação, em 8º.

Frustração maior foi a do Paris Saint-Germain, que tanto bateu mas não furou a defesa do Nice, cujo goleiro colombiano Ospina foi cumprimentado pelos colegas após o jogo, tamanha a importância dele no ponto conquistado fora de casa. Quem também comemorou longe do seu estádio foi o Lyon, que graças sobretudo ao atacante Jimmy Briand (dois gols e uma assistência), ex-Rennes, venceu o Nancy por 3 a 2 e caminha para se distanciar da incômoda zona de rebaixamento.

>> Classificação da Ligue 1: O Rennes assumiu a liderança, com 18 pontos, ultrapassando o Saint-Etienne, que tem  17. O Lille subiu para terceiro, com 14, ao lado de Toulouse e Brest (!). Confira tabela completa

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,