Publicidade

Posts com a Tag Marselhesa

domingo, 15 de junho de 2014 Copa do Mundo, Seleção francesa | 19:12

França cumpre missão inicial vencendo bem Honduras

Compartilhe: Twitter
O nome do jogo, Karim Benzema, participou dos três gols franceses, com dois para sua autoria, se igualando aos artilheiros do Mundial até aqui, Neymar e os holandeses Van Persie e Robben (AP)

O nome do jogo, Karim Benzema, participou dos três gols franceses, com dois para sua autoria, se igualando aos artilheiros do Mundial até aqui, Neymar e os holandeses Van Persie e Robben (AP)

Estreando na Copa 2014 contra um adversário inferior (teoricamente o mais fraco do Grupo E, atrás também de Suíça e Equador) e inédito, Les Bleus superaram bem a pressão de ter de ganhar, fazendo 3 a 0 hoje em Porto Alegre, no Beira-Rio.

Pela primeira vez em muito tempo num torneio Fifa, não houve a execução dos hinos nacionais pré-jogo, não sabemos se por problema técnico ou que interferisse no protocolo da organização. De qualquer forma, ficar sem ouvir e cantar a Marselhesa é lamentável :(

Dominando as ações desde o princípio, o time de Deschamps conseguiu abrir o placar ainda  no primeiro tempo, evitando o desgaste de jogar contra o relógio no segundo. Pogba foi derrubado por Palacios na área, Sandro Meira Ricci deu pênalti: Benzema deslocou o goleiro aos 45 minutos. No lance do penal, o hondurenho Palacios foi expulso, levando o segundo cartão amarelo (o primeiro fora num entrevero com Pogba).

-> Veja os principais momentos da partida na narração lance a lance do site L’Equipe

Tudo mais fácil para a segundo tempo, a ampliação da vantagem não demorou. Cabaye fez belo lançamento para Benzema na área aos 3 minutos, o centroavante do Real Madrid bateu chapado, cruzado, a bola foi na trave oposta de Valladares e correu rente a linha do gol. O goleiro se atrapalhou ao tentar defender e levou a Brazuca pra dentro antes de tirar rapidamente. A nova tecnologia finalmente foi testada e se mostrou crucial ajudando o árbitro brasileiro a tomar a decisão mais acertada: 2 a 0, gol contra de Valladares.

Deschamps aproveitou para poupar o advertido Pogba, colocando Sissoko. Minutos depois, o também amarelado Cabaye saiu para a entrada de Mavuba. Mesmo com a boa vantagem, a equipe europeia não diminuiu o ritmo e seguiu em cima dos centro-americanos. Valbuena bateu escanteio ensaiado para Debuchy chutar da intermediária, a defesa rebateu mal e ela sobrou fresca para Benzema, que enfiou o pé cruzado e alto, por cima de Valladares aos 27: 3 a 0.

-> Siga de perto a seleção francesa nas redes sociais: os jogadores no Instagram, Facebook e Twitter!

Os minutos finais permaneceram sob controle francês, agora administrando mais até o apito final. A última alteração de Didier foi Giroud no lugar de Valbuena, mantendo a ofensividade, o que foi outro ponto positivo. O prêmio a essa postura foi acabar a rodada na liderança da chave, pois minutos mais cedo a Suiça derrotou o Equador por 2 a 1, então os franceses somam 3 gols de saldo positivo, contra 1 dos suíços.

Acabaram os jejuns de vitórias em Copas (desde a semifinal de 2006) e de vitórias em estreias, que não acontecia desde 1998 (auspicioso, heim!). Confiança mais do que fortalecida para o segundo compromisso, na sexta-feira, o duelo de líderes contra a Suíça (16h, em Salvador). Se mantiverem essa pegada e essa aplicação, somos favoritos novamente!

Ficha técnica francesaLloris; Debuchy, Sakho, Varane e Evra; Matuidi, Cabaye (Mavuba), Pogba (Sissoko) e Valbuena (Giroud); Griezmann e Benzema. Técnico: Didier Deschamps

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 25 de março de 2011 Eliminatórias da Eurocopa, Seleção francesa | 19:14

Vitória clássica, obrigação cumprida

Compartilhe: Twitter
lux_fra_rami_nasri_mexes_ap

Rami faz "cuti-cuti" no assistente Nasri depois do gol de Mexès, o louro (AP)

Estreando novo uniforme número 1 (camisa e calção azuis, meião vermelho) e capitão (o jovem Samir Nasri), a França derrotou Luxemburgo no “evento esportivo do ano” no minúsculo país. Philippe Mexès, de cabeça, e Yoann Gourcuff, de pé esquerdo, construíram os 2 a 0 que bastaram para que os Bleus chegassem a 12 pontos e mantivessem a liderança do grupo D das Eliminatórias para a Eurocopa 2012 independentemente das duas partidas de amanhã pela chave.

O início de jogo teve muitos passes laterais por parte da França, com dificuldade para penetrar na acirrada marcação adversária. Com o tempo, Luxemburgo se animou, foi mais ao ataque e animou os torcedores presentes no acanhado estádio.

Aos 18 minutos, primeira boa jogada francesa, quando Sagna foi à linha de fundo, cruzou com perigo no meio da área e Malouda finalizou errado, desperdiçando grande chance ao mandar a bola por cima do gol. Aos 28, falta perigosa perto do bico da grande área. Mexès sinaliza para Nasri onde ele deve colocar a bola. A cobrança vem no ponto e o zagueiro da Roma testa firme pra rede, facilitado pela desorganizada marcação dos “luxes”: 1 a 0. 

lux_fra_evra_abidal_afp

"Abidal, pensamos em você. Coragem!", diz a camisa do substituto de Eric, Patrice Evra

A vantagem trouxe mais tranquilidade para os franceses, ainda protagonistas das principais chances de gols. Aos 38, Ribéry enfiou bela bola para Malouda, que acabou demorando para arrematar, sendo travado dentro da área. Três minutos depois, Benzema arrancou em contra-ataque, deixou um marcador na saudade mas telegrafou a finalização de chapa, interceptada antes de chegar ao gol.

Sem alterações da parte de Laurent Blanc no intervalo, a França v0ltou a campo para ver se conseguia ao menos mais um gol e o sossego para garantir os três pontos. Luxemburgo não mudou sua proposta de jogo, tentando aproveitar roubadas de bola para sair com velocidade. Nasri acabou sendo presa para a marcação anfitriã, até se machucando aos 12 minutos. Aos 19, bom escanteio batido por Malouda, Rami subiu bonito de cabeça, mas estava longe do gol e permitiu a defesa sem rebote do goleiro. No minuto seguinte, bonita jogada individual de Benzema, habilidoso para abrir espaço entre os rivais, porém o chute foi para a rede do lado de fora.

A tranquilidade esperada veio aos 27, quando Mexès lançou boa bola para Ribéry na esquerda, o meia-atacante do Bayern abriu espaço para cruzar, a zaga rebateu mal, para o meio, e Gourcuff apareceu finalizando de primeira, pegando o goleiro no contrapé: 2 a 0. As chances de aumentar o escore não cessaram, com o desânimo que abateu Lux. Com 32, nova boa jogada de Ribérra, colocando Malouda em ótimas condições. Só que a finalização foi toda errada e nem a complementação de Benzema, livre, acertou o gol.

lux_fra_ribery_afp

Ribéry andou se irritando no 2º tempo com a marcação, mas foi melhor do que no 1º (AFP)

Nos minutos finais, Luxemburgo arriscou um tudo ou nada, depois de ter feito as três alterações, e trouxe alguma preocupação para Lloris. Por outro lado, deu espaços e Benzema e Ribéry tiveram mais oportunidades, não aproveitadas. Não precisava, pois a vitória foi assegurada depois de ouvirmos, nos minutos finais, os franceses cantando a bonita Marselhesa na arquibancada… A se destacar que Blanc não quis ou precisou mexer no time, que apresentou bom preparo físico.

Sub 21 bem também
Ontem, os “Espoirs” da França conquistaram uma vitória que merece ser registrada. Foi amistoso, mas foi contra uma seleção de respeito e que vem revelando muitos talentos: 3 a 2 na Espanha em Reims, com dois gols de Emmanuel Rivière, atacante do Saint-Etienne, e um de Magaye Gueye, do Everton.

Erick Mombaerts utilizou Gorgelin; Corchia (capitão), Stambouli, Mangala e Makonda; Guilavongui, Pajot (Varane), Saivet e Griezmann (Sylla); Gueye (Cabella) e Rivière. Resultado ótimo para ganhar confiança na preparação para as Eliminatórias da Euro sub 21, que começam em setembro.

lux_fra_gourcuff_afp

Para as leitoras: e esse estilo "barba por fazer" do Gourcuff, hein? Olhem só do pescoço pra cima, tá? (AFP)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 5 de dezembro de 2010 Francês da 1ª divisão | 22:00

Resultados da 16ª rodada

Compartilhe: Twitter

2,9 gols por jogo, ótima média

Lille 6 x 3 Lorient (Moussa Sow 3, Gervinho, Frau e Baca contra; Gameiro 2 e Kitambala) – Audard-LOR foi expulso           
Paris Saint-Germain 3 x 1 Brest (Nenê, Bodmer e Giuly; Roux) – Mais de 28 mil pessoas no Parc des Princes
Rennes 1 x 0 Monaco (Montaño) 
Nice 1 x 0 Olympique de Marselha (Faé)
Montpellier 1 x 2 Lyon (Spahic; Lisandro López 2
Sochaux 2 x 1 Valenciennes (Carlão e Maïga; Sanchez) 
Saint-Etienne 2 x 2 Bordeaux (Ebondo e Bocanegra; Ben Khalfallah e Fernando) 
Toulouse 1 x 0 Caen (Santander) – Mais de 30 mil pessoas no Estádio Municipal
Lens 1 x 1 Auxerre (Yahia; Mignot) 
Arles-Avignon 1 x 1 Nancy (Dja Djedje; Hadji) 

>> Classificação:
 Lille lidera com 28 pontos, seguido por PSG e Rennes, com 27, e depois por Marselha e Lyon, com 26. Confira tabela completa

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 18 de novembro de 2010 Seleção francesa | 08:33

Inglaterra 1 x 2 França em fotos e vídeo com lances

Compartilhe: Twitter

Clique nas imagens do amistoso de ontem em Wembley para vê-las ampliadas. Mais embaixo, o vídeo com vários lances e os gols de Benzema, Valbuena e Crouch, além de momentos pré-jogos, como os hinos, La Marseillaise e God Save The Queen. Apreciez!

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 2 de setembro de 2010 Eliminatórias da Eurocopa, Seleção francesa | 18:27

O pré-time, ainda sem capitão

Compartilhe: Twitter

A França de Laurent Blanc terminou o treino na véspera do pega contra a Bielorrússia com a seguinte formação: Lloris; Sagna, Rami, Mexès e Clichy; Alou Diarra, Diaby, Malouda e Ménez; Hoarau e Rémy, dando a indicação de que Benzema não tem condições de começar como titular. Independentemente de quem jogue, o técnico faz questão que todos estudem a Marselhesa e cantem o hino nacional momentos antes da partida, em mais uma iniciativa para restaurar o ânimo e o carinho do país para com a seleção.

Em relação ao time que palpitei ontem, Clichy, Alou e Hoarau se sobrepuseram a Trémoulinas, Lassana e Gameiro. O que não se sabe ainda é o capitão, pois o técnico deve divulgar a escolha apenas amanhã. Como trajou a braçadeira contra a Noruega, no amistoso que marcou a estreia do comandante Blanc, Mexès tem boa expectativa de repetir o feito.

De fato, a francesa TV5 exibirá a partida ao vivo, abrindo a transmissão para a América Latina às 15h26 de Brasília. A SporTV está anunciando a transmissão do jogo em VT, na meia-noite de sexta para sábado – no mesmo horário em que estiver rolando França x Belarus (16h de Brasília), vai mostrar Bélgica x Alemanha ao vivo. Quê se vai fazer?

Sub-21
A seleção francesa de jovens também joga nesta sexta, e também por uma eliminatórias para a Eurocopa (2011). Pega a Ucrânia, às 13h30 de Brasília, em Kiev, e precisa da vitória para seguir com chances de ir à fase final na Dinamarca, em junho do ano que vem, e, consequentemente, aos Jogos Olímpicos de Londres em 2012.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 22 de junho de 2010 Copa do Mundo, Seleção francesa | 12:58

França 1 x 2 África do Sul: para esquecer

Compartilhe: Twitter

O time titular entrou bastante modificado, assim como os Bafana. Clichy, Squillaci, Gourcuff, Cissé e Alou Diarra vieram como titulares, com este herdando a braçadeira de capitão de Evra, no banco. Henry seguia reserva, vendo Gignac e Djibril no ataque.

Mas uma das raras coisas que deram certo para os Bleus nesta Copa 2010 foi o hino, a sempre bela Marselhesa. Nos primeiros minutos, a França teve mais posse de bola e volume de jogo ofensivo, até a falha fatal de Lloris, errando o tempo de bola na saída em escanteio, que resultou em gol de cabeça de Khumalo, vencendo, pelo alto, o também alto Diaby.

Até aí, jogo perdido, mas reversível. Porém, Gourcuff, decepção total nesta Copa, fez o favor de subir com um sul-africano com o cotovelo na cara dele, que desabou no gramado. Expulso o camisa 8, a tarefa francesa começou a beirar o impossível.

Para piorar – sim, tinha como piorar! -, o azar francês apareceu em ataque da África do Sul, aproveitando-se do dia infeliz de Diaby, que ao rebater um cruzamento na área deu de presente para Masilela. O camisa 3 cruzou na pequena área, Mphela chegou mais firme que Clichy e, na força física, fez 2 a 0. Vendo o replay da jogada, constata-se como a zaga francesa se movimentou em função da bola e descuidou da marcação: erro primário! 

gourcuff domenech frança africa do sul

Gourcuff passa por Domenech: o meia só repetiu Kaká na expulsão besta

Antes do apito final, Gallas perdeu boa chance de descontar, não conseguindo desviar, cara a cara com o goleiro, perigoso cruzamento na área africana. Raymond Domenech colocou Malouda no lugar de Gignac para recompor o meio de campo, na volta do intervalo.

Chegando aos 10 minutos, Henry finalmente teve a chance de jogar, na vaga de Cissé. O problema é que a África do Sul seguia motivada, pois, com o Uruguai batendo o México, ela precisava de mais dois gols para seguir viva na Copa. No entanto, uma jogada enfim teve final feliz para os Bleus: Sagna e Diaby tabelaram no meio, o lateral avançou, meteu boa bola para Ribéry e, na área e de cara para Josephs, o camisa 7 cruzou para Malouda só empurrar para as redes, com o gol vazio. Ufa, não vamos sair do Mundial repetindo o vexame de 2002, com gols pró zero!

Aos 36, Domenech colocou o queridinho Govou no lugar de Diarra, tentando pôr o time mais pra frente. Henry e Ribéry demonstraram fôlego e vontade nos minutos finais, mas pouco perigo criaram. Acabou a Copa 2010 para a França, e é melhor ir para casa mesmo e recomeçar do zero quando Blanc chegar. Chega de “causar” na África, pois o título de maior decepção do Mundial ninguém deve tirar dos Bleus…

> Leia o relato completo de França 1 x 2 África do Sul

> Veja a galeria de imagens da partida em Bloemfontein

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 18 de novembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 21:01

O dia da glória chegou!

Compartilhe: Twitter

“Allons, enfants de la patrie, le jour de gloire est arrivée!”. Assim começa o hino francês, a Marselhesa: “vamos, filhos da pátria, o dia da glória chegou!”. Depois de 210 minutos de nervossísima repescagem contra a Irlanda (90 em Dublin + 120 em Saint-Denis), o placar agregado de 2 a 1 favoreceu quem tinha mais peso, com presença nas últimas três Copas, duas finais e um título mundial no currículo. A França está na Copa do Mundo de 2010. Graças muito mais à mão esquerda de Henry do que aos seus dois pés. Vamos ao desenrolar do drama:

Houve uma mudança no time titular em relação à escalação que se previa ontem: Escudé e não Squillaci foi quem formou a dupla com Gallas. Mas alguma coisa dizia que era para Squillaci jogar: logo aos 8 minutos, Escudé sobe junto com Evra e leva um choque no rosto, que sangra. Ele tem de sair, e o reserva imediato era o colega de Sevilla supracitado.

Como quem precisava da vitória de qualquer jeito eram os irlandeses, o jogo começou muito mais no campo da França, que tentava não se deixar acuar. Várias bolas foram alçadas diante de Lloris, que fez uma bela intervenção aos 23 minutos. Dois minutos depois, Doyle foi atrapalhado no cabeceio por Sagna mas causou perigo, pois a bola passou perto.

Entretanto, a solidez defensiva que se anunciava nos Bleus foi por água abaixo aos 33: Duff faz boa jogada pela esquerda, vai à linha de fundo e acha Keane sozinho na marca do pênalti, que só tem o trabalho de tirar do alcance de Lloris: 1 a 0. Apreensão total no Stade de France, já que o placar, igual ao da partida da ida, leva a decisão para a prorrogação.

A execução da Marselhesa (AFP)

A execução da Marselhesa (AFP)

No restante do primeiro tempo, nada de chances reais de gols para nenhum lado e pulga atrás da orelha da torcida francesa. Porém, pela TV deu para perceber que os espectadores em Saint-Denis mantinham a confiança, balançando as flâmulas e lenços azuis. Mas logo no comecinho da segunda etapa, por muito pouco a Irlanda não ampliou, quando O’Shea aproveitou rebatida de escanteio e, sozinho, finalizou por cima, do meio da grande área.

Com muitas dificuldades para se aproximar da área rival, a França via seu adversário jogar melhor e estar mais perto do segundo gol quando Raymond Domenech colocou Govou no lugar de Gignac, aos 11 minutos. Pensei o mesmo que o comentarista Sílvio Lancelotti, da ESPN: por que não Benzema?

Aos 16, dois lances de arrepiar, um para cada lado: Duff recebe sozinho na intermediária, avança e chuta para excelente defesa de Lloris. Os franceses contra-atacaram e Henry teve boa chance na área irlandesa, sendo travado por dois zagueiros na hora H.

Com 24, Gourcuff emendou de fora da área, mas ela desviou na zaga e saiu; dois minutos depois, Anelka perdeu boa oportunidade de cabeça. Por sua vez, a Irlanda quase matou a parada novamente em bola enfiada para Keane, que chegou a driblar Lloris mas deixou a bola escapar pela linha de fundo, para desespero dos colegas.

No tempo regulamentar, o cenário foi esse (AFP)

No tempo regulamentar, o cenário foi esse (AFP)

Sem organização, a França começava a se exasperar e, com isso, ceder perigosos espaços aos visitantes. Sagna estava num dia ruim, deixando brechas na marcação e cruzando errado sempre que chegava ao ataque. Domenech queimou sua última substituição colocando Malouda no lugar de Gourcuff, deixando Benzema na mesma condição de torcedor dos ex-selecionáveis Zidane e Barthez e do presidente Sarkozy. A última chance dos donos da casa seria com Henry, que cruzou na pequena área, Given soltou, mas não havia quem empurrasse para o gol. Não teve jeito: prorrogação!

Quem pensava que o medo de tomar gol paralisaria as duas seleções no “extra-tempo”, enganou-se. Boas oportunidades foram criadas, aumentando a tensão de todos, e sinceramente acho que o lance de Anelka driblando Given e caindo foi pênalti, embora o árbitro sueco discordasse. Govou chegou a balançar as redes, mas estava impedido.

Aos 14 do 1º tempo da prorrogação, viria o lance capital do jogo: Alou Diarra levanta na área da Irlanda, a bola passa por quase todo mundo, Henry “domina” com a mão esquerda (se não o fizesse, ela sairia), toca para o meio da pequena área, e Gallas só escora de cabeça com Given vendido: 1 a 1. Festa imensa francesa, reclamação acintosíssima irlandesa, afinal Martin Hansson validou o gol.

Nos últimos 15 minutos, os anfitriões se retraíram, não tiveram vergonha de dar chutões e ainda perderam um gol praticamente feito com Govou. Não precisou, porque o empate seria o bastante. Fim de partida e glória assegurada até junho de 2010!

Mas na prorrogação, acabou assim (AFP)

Mas na prorrogação, acabou assim (AFP)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 8 de outubro de 2009 Extracampo | 10:43

Marselhesa à brasileira

Compartilhe: Twitter

No texto que acompanha minha foto neste blog, lê-se logo de cara: “Fã da Marselhesa…”. Não se trata de nenhuma beldade de Marselha, até porque o blogueiro é casado, e com uma brasileira. Pra quem não sabe, A Marselhesa é o nome dado ao Hino da França, composto em 1792, no contexto revolucionário – lembra-se das aulas de História? Embora seja agressivo e de um tom todo bélico, me empolga pela melodia, perfeita para encher de brios os franceses que defendem o país em competições internacionais das mais variadas modalidades; não por acaso, foi criado para ser entoado com os cantores em marcha (para ler mais sobre o hino, clique aqui).

Bom, não fui só eu que gostou da canção: torcedores brasileiros fizeram versões da Marselhesa para dois clubes brasileiros. Dois clubes cariocas. E que vivem, coincidentemente, um momento dificílimo no Campeonato Brasileiro, com grande risco de queda para a Série B: Botafogo e Fluminense. Ouça nos vídeos abaixo e diga de qual mais gostou no campo de comentários, beleza?

Marselhesa original

Marselhesa alvinegra

Marselhesa tricolor

Autor: Tags: , , , ,