Publicidade

Posts com a Tag Lama

segunda-feira, 30 de março de 2015 Brasileiros na França, Ex-jogadores, Torneios europeus | 14:55

Nos 90′, PSG eliminou Barça e Juve o Monaco pela Champions

Compartilhe: Twitter
Valdo com a bola contra o Barça em 1995: o meia brasileiro era outro destaque aquele PSG

Valdo com a bola contra o Barça em 1995: o meia brasileiro era outro destaque aquele PSG

Após sorteio no último dia 20, ficou decidido que PSG e Barcelona vão se enfrentar nas quartas de final da Champions League 2014/2015. Em 1995, as equipes duelaram por uma vaga nas semifinais do torneio europeu. Relembre, conforme relato do site da ESPN:

O jogo de ida das quartas de final do duelo foi no Camp Nou, na Espanha. O Barcelona abriu o placar com Igor Korneev, aos 47min, após frango de Bernard Lama. O empate veio com George Weah, aos 54min. O 1 a 1 foi ótimo para os franceses.

No Parc des Princes, na França, o PSG martelou, martelou e martelou… mas só acertava a trave. Até que José Mari Bakero, no início do segundo tempo, abriu o placar para o Barcelona, que, com o 1 a 0, iria à semi. No entanto, o time francês reagiu e, com gols de Raí e Vincent Guérin, virou o jogo e garantiu a vaga na próxima fase da Champions.

*O PSG enfrentou o Milan na semifinal daquela temporada e acabou eliminado ao perder na ida e na volta: 3 a 0 no agregado.

-> Assista aos gols do duelo de 1995 no vídeo deste link

Juventus x Monaco, outro duelo das quartas da atual Liga dos Campeões, também aconteceu nos anos 1990. Em 1998, as equipes duelaram nas semifinais do torneio europeu e o site da ESPN novamente relembra:

O moleque Henry tenta superar marcação da Juve em 1998: prevaleceu o time italiano, que tinha Zidane e Del Piero em ótimas fases

O moleque Henry tenta superar marcação da Juve em 1998: prevaleceu o time italiano, que tinha Zidane e Del Piero em ótimas fases

Alessandro Del Piero infernizou a vida do Monaco na temporada 1997/1998 da Champions League. Isso porque foi o italiano que decidiu a classificação da Juventus para a final da competição daquele ano.

Na vitória da por 4 a 1 da Vecchia Signora no jogo de ida, no Delle Alpi, foram três gols de Del Piero e um de Zidane. Costinha descontou para o Rouge et Blanc.

Com um pé na final, a Juve foi tranquila para o joga da volta e relaxou: derrota por 3 a 2 para os franceses, no Stade Louis II, mas classificação assegurada para a decisão. Philippe Léonard, Thierry Henry e Robert Spehar marcaram os gols do triunfo do Monaco. Nicola Amoruso e Del Piero fizeram para os italianos. Relembre os confrontos!

*Na grande decisão em Amsterdam, na Holanda, a Juventus acabou derrotada pelo Real Madrid por 1 a 0 – Mijatovic marcou o gol dos Merengues.

-> Assista aos gols do duelo de 1995 no vídeo deste link

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 28 de fevereiro de 2015 Ex-jogadores, Seleção francesa | 17:18

O que fazem os campeões do mundo hoje?

Compartilhe: Twitter

Em 1998, pela primeira (e única) vez uma Copa do Mundo acabou com a França. Onde estão atuando aqueles jogadores atualmente?

Fabien Barthez (goleiro titular): Era diretor esportivo do Luzenac até setembro passado, quando saiu depois que a Federação Francesa de Futebol se negou a autorizar a ascensão do clube para a Ligue 2.

Laurent Blanc (zagueiro titular, fora da final por expulsão na semifinal): Treinador do Paris Saint Germain desde 2013.

Alain Boghossian (meia reserva): Consultor para TV da Eurosport França. Já foi assistente técnico da seleção francesa durante a passagem de Blanc como técnico bleu.

Vincent Candela (lateral-direito e esquerdo reserva): Participou recentemente do programa “Dancing with the Stars” na TV italiana. Tem investido em vários restaurantes na Italia.

Lionel Charbonnier (goleiro reserva): É técnico do Istres, que caiu para a terceira divisão no ano passado.

Marcel Desailly (zagueiro titular, embora também tenha se destacado na carreira como volante. Foi capitão uma vez, na ausência de DD): É consultor para as emissoras de TV francesas Canal+ e Al Jazeera Sport, e segue presente no mundo da publicidade (no site do L’Equipe vc costuma vê-lo em banners animados…)

Didier Deschamps (volante titular e capitão da campanha): É “somente” o técnico da seleção francesa. Antes, passou pelos bancos do Olympique de Marselha, Mônaco e Juventus-ITA, depois de uma vitoriosa carreira de jogador que incluiu passagens por OM e Juve, inclusive.

Bernard Diomède (ponta-esquerda reserva): É presidente da academia que leva seu nome em Issy-les-Moulineaux, uma associação que combina futebol e educação.

Youri Djorkaeff (meia titular)É presidente do Décines, clube que fica nos subúrbios de Lyon. Também é proprietário de um restaurante em Nova York.

Christophe Dugarry (atacante reserva): É consultor do Canal+ francês.

Líderes do elenco vencedor, Blanc e Deschamps se tornaram os técnicos mais de ponta dentre aquele grupo de jogadores

Líderes do elenco vencedor, Blanc e Deschamps se tornaram os técnicos mais de ponta dentre aquele grupo de jogadores

Stéphane Guivarc’h (atacante titular. Não marcou gol): É vice-presidente executivo e treinador do seu primeiro clube amador, o US Trégunc. Paralelamente, trabalha em uma empresa onde vende piscinas.

Thierry Henry (atacante que começou titular e terminou reserva de Karembeu): Recém-aposentado, como maior artilheiro da história da seleção. É consultor para a TV britânica na Sky Sports e disse recentemente que pretende se preparar para virar treinador no futuro.

Christian Karembeu (volante que ganhou a titularidade de Henry): É Embaixador Estratégico em Relações Internacionais do Olympiakos-GRE, onde jogou de 2001 a 2004.

Bernard Lama (terceiro goleiro): É treinador do UD Montjoly, da Guiana Francesa, e da própria seleção da Guiana!

Frank Leboeuf (zagueiro reserva que substituiu Blanc na final): É consultor para a emissora francesa TF1 e também… ator. Esteve no filme “A Teoria de Tudo”, sobre a vida de Stephen Hawking (é o médico que diz à esposa dele que a traqueostomia deixá-lo-ia sem voz), concorrente ao Oscar deste ano. Aliás, uma bela história essa película!

Bixente Lizarazu (lateral-esquerdo titular): É consultor para a emissora de TV francesa TF1 e tem seu próprio programa na rádio francesa RTL. Depois do futebol, partiu para o jiu-jitsu e não fez feio, sendo até campeão europeu em 2009.

Emmanuel Petit (volante titular): É consultor nas emissoras públicas da France Télévisions.

Robert Pires (meia reserva): Após acabar seu contrato com o FC Goa na Liga da India, voltou para a Europa, com a esperança de encontrar uma oportunidade para seguir atuando. Sim, é o único ainda jogador!

Lilian Thuram (lateral-direito titular): É o fundador e presidente da Fundação para a Educação Lilian Thuram contra o racismo.

David Trezeguet (atacante reserva): Anunciou a aposentadoria no mês passado, tendo anunciado que seria uma espécie de embaixador da Juventus da Itália, onde mais se destacou, na América do Sul, ajudando na prospecção de talentos.

Patrick Vieira (volante reserva): Aposentou-se no Manchester City em 2o11 e segue no clube, agora gerenciando a formação de atletas (CT e categorias de base).

Zinedine Zidane (não precisa relembrar, né?): Foi manager, assistente técnico do Real Madrid e agora dirige o Castilla (Real Madrid B), além de ser consultor ocasional para o Canal + França.

Adaptado deste post do blog em espanhol Futbol desde Francia

Para saber mais sobre o desempenho francês na campanha do título de 98, uma página com vários dados é a da Wikipedia francesa

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 1 de maio de 2014 Brasileiros contra a França, Ex-jogadores, Extracampo | 00:18

Ayrton Senna e o futebol francês

Compartilhe: Twitter
Parc des Princes, 1994

Parc des Princes, 1994

“Lá vem esse oportunista mequetrefe de novo tentando atrelar um post a uma efeméride distante do foot“, podem pensar os detratores. Mas por mais que pareça forçação de barra uma coluna de futebol francês vir falar de um piloto de Fórmula 1 brasileiro, cuja morte completa 20 anos neste Primeiro de Maio, verás que há conexões sim. Cito duas:

1) Um dos maiores símbolos das vitórias de Senna, que reforçou seu patriotismo e identificação com a torcida francesa, surgiu em consequência da vitória dos Bleus sobre o Brasil na Copa de 1986. A F1 vivia o fim de semana do GP dos EUA, e no seio da equipe britânica Lotus, de motores franceses Renault, Ayrton era minoria (posteriormente esmagada) torcendo pra canarinho naquele confronto das quartas de finais do mundial mexicano.

No sábado, a França eliminou o Brasil nos pênaltis, com Platini rindo e Zico lamentando, como sabemos. No domingo, dia da corrida em Detroit, o futuro tricampeão mundial “se vingou” das piadinhas do seu time ganhando a prova, logo à frente de dois franceses (Jacques Laffite, em quem botou mais de 30 segundos, e Alain Prost, seu futuro desafeto). Após a bandeirada final, pediu uma bandeira brasileira a um torcedor e a ostentou com orgulho no carro, na volta de comemoração. A primeira vez de muitas dessas “ostentações” de “Ayrton Senna do Brasil”.

2) Em 20 de abril de 1994 vimos uma das últimas aparições públicas do piloto antes do fatídico fim de semana do GP de San Marino daquele ano. E foi na capital Paris, no estádio do Paris Saint-Germain! Convidado para dar o pontapé inicial do amistoso entre Brasil versus combinado PSG-Bordeaux, Senna deu aquele totó maroto na pelota, cumprimentou Raí (que atuou como capitão da seleção, embora fosse jogador do clube francês na época) e outros compatriotas (Ricardo Gomes era outro cedido pelo PSG ao time de Parreira), e viu o jogo das tribunas.

Nesse vídeo com lances de gol e narração em espanhol dá pra constatar que o time francês teve os brasileiros Assis (irmão de Ronaldinho Gaúcho, que na época jogava no Sion, da Suíça) e Márcio Santos (então no Bordeaux), o atacante Ginola e o goleiro Lama, que aliás foi muito bem. Mesmo na terra do já consolidado grande rival Prost, Ayrton foi aplaudido pela galera no Parc des Princes. O morno resultado de 0 a 0, no entanto, desagradou o tricampeão. “Isso é como uma corrida sem pódio e sem ultrapassagem”, comparou. Quase três meses depois, a seleção brasileira homenagearia o piloto nos festejos pelo tetra nos EUA, pro Mundial ao qual a França, desta vez, nem conseguiu ir…

Vários especiais sobre os 20 anos sem Senna (meu primeiro ídolo na vida – #quemnunca?) proliferaram na imprensa brasileira, então a quem se interessar recomendo o da revista Warm Up, do pessoal do site Grande Prêmio, liderado pelo jornalista Flávio Gomes. Pra quem curte automobilismo e prefere um jornalismo livre de paixões sobre o tema (como eu), é uma ótima pedida.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 Seleção francesa | 11:17

Convocados pra França x Holanda e vitórias do passado

Compartilhe: Twitter

Atualizado às 13h38

Didier Deschamps anunciou hoje os nomes para o amistoso do dia 5 de março (quarta que vem), contra os Países Baixos no Stade de France, em Saint-Dennis.

As novidades são as estreias do lateral-esquerdo Lucas Digne, atualmente reserva no PSG, e do atacante Antoine Griezmann, destaque do espanhol Real Sociedad (tem 15 gols na liga nacional), que já cumpriu suspensão depois de ter sido punido por indisciplina na seleção de base, à época com outros colegas. Ambos os debutantes, porém, já fizeram bonito nas categorias juvenis dos Bleus, Les Espoirs, que foram campeões mundiais sub-20 ano passado.

Abidal, Nasri, Lacazette e Thauvin não foram chamados. O primeiro está gripado, não tendo treinado com o Monaco nesta quinta, e é dúvida para o compromisso do time de depois de amanhã, contra o Saint-Etienne, pelo Campeonato Francês. O terceiro vem bem com o Lyon na Ligue 1, sendo artilheiro do time, e concordo com quem o considera mais merecedor do que o Payet de estar na lista.

Layvin Kurzawa vem fazendo ótima temporada na lateral-esquerda do Monaco, como eu disse recentemente aqui, mas acabou sendo chamado para a seleção sub 21, justamente os Espoirs, que enfrentam Belarus pelas Eliminatórias da Eurocopa 2015 da categoria no dia 4.

É a última convocação programada antes do técnico chamar seus selecionados e pré-selecionados para vir à Copa, que no caso francês terá amistosos preparatórios antes do início do Mundial. Hora dos caras abaixo mostrarem o melhor trabalho possível!

La liste des Bleus

GARDIENS : Lloris (Tottenham/ANG), Mandanda (Marseille), Ruffier (St-Etienne)

DEFENSEURS : Debuchy (Newcastle/ANG), Evra (Manchester United/ANG), Koscielny (Arsenal/ANG), Sagna (Arsenal/ANG), Sakho (Liverpool/ANG), Varane (Real/ESP), Mangala (FC Porto/POR), Digne (PSG)

MILIEUX : Matuidi (PSG), Pogba (Juventus/ITA), Sissoko (Newcastle/ANG), Grenier (Lyon), Cabaye (PSG), Mavuba (Lille), Valbuena (Marseille)

ATTAQUANTS : Benzema (Real Madrid/ESP), Giroud (Arsenal/ANG), Payet (Marseille), Ribéry (Bayern Munich/ALL), Rémy (Newcastle/ANG), Griezmann (Real Sociedad/ESP)

**

Plus
O site da FFF disponibilizou vídeos com duas vitórias bleus sobre os laranjas, que trazem curiosidades, confira:

18/11/1981 – 2 x 0 pelas Eliminatórias pra Copa de 1982, gols de Michel Platini e Didier Six no estádio Parc des Princes (a base daquele time chegaria à 4ª colocação no Mundial espanhol). A vitória foi 50% do que a seleção de Michel Hidalgo precisava para conquistar a vaga. Como os outros 50% eram vencer o Chipre em casa semanas depois, assim que acabou a partida contra os neerlandeses teve invasão de campo e festa generalizada…

26/02/19972 x 1 em amistoso, um ano antes da Copa de 1998, gols do meia Robert Pires e do atacante Patrick Loko pros Bleus, também no campo do PSG. Detalhe que nenhum dos dois goleadores da partida, assim como o então goleiro titular, Bernard Lama, compuseram o elenco campeão mundial em casa no ano seguinte…

-> Recomendo um texto de Andres Onrubia, colaborador do site Futbol desde Francia, sobre as opções (muitas, segundo ele) de Deschamps para a Copa.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 14 de junho de 2011 Francês da 1ª divisão | 00:27

Mercado: Quem sai, quem fica, quem para (I)

Compartilhe: Twitter
gameiro-psg

Gameiro mostra onde está a partir de agora. Tem tudo para vingar (PSG.fr)

Um post só não vai dar conta das movimentações (e também das permanências) de jogadores nessa fase de transferências e renovações, então vamos pouco a pouco. Este é só um começo, un début. Conto com vossa ajuda no que eu esquecer ou não conseguir informar aqui!

– Primeiro, lembrança aos que pararam. O PSG foi o último time do goleiro Grégory Coupet e do volante Claude Makelele (ambos com 38 anos), que receberam bonitas homenagens no último jogo de ambos no Parc des Princes, quadros e flores entregues pelos filhos (falando no assunto, quem ganhou uma homenagem tardia foi o ex-goleiro Bernard Lama, que marcou época com a camisa tricolor nos anos 1990. Um amistoso reuniu nomes como Zidane, Djorkaeff, Weah, Raí e Pauleta no último sábado).

Makelele ganhou a Liga dos Campeões da Europa pelo Real Madrid galáctico em 2002 e Coupet participou de todas as sete conquistas consecutivas nacionais do Lyon, entre 2002 e 2008. Ambos estiveram entre os Bleus na campanha do vice-campeonato na Copa 2006.

– Para o lugar de Coupet, uma reposição à altura: Nicolas Douchez, que pelo Rennes foi o goleiro menos vazado da última Ligue 1. Com 31 anos, ele chega com um contrato de três anos.

– O Paris Saint-Germain, aliás, trouxe um baita dum reforço pro setor ofensivo: o atacante Kevin Gameiro, vice-artilheiro da Ligue 1 2010/2011 pelo Lorient e presente nas recentes convocações da seleção francesa principal de Laurent Blanc.

– O campeão Lille tratou de não sentir o desfalque do meia Yoan Cabaye, vendido para o Newcastle United, da Inglaterra, e trouxe o rodado Benoît Pedretti, de 30 anos, que já passou por Sochaux, Olympique de Marselha, Lyon e Auxerre, que defendeu nos últimos cinco anos.

– Como Eden Hazard e Gervinho podem deixar o LOSC (o marfinense já manifestou sua vontade de sair do clube neste verão europeu, mas uma proposta do Tottenham já foi recusada), o ataque precisa ser reforçado pelos lados dos Dogues. Quem já chegou foi a revelação Ronny Rodelin, de 21 anos, que vem do Nantes, por onde atuou na última Ligue 2. Mas é pouco para uma Champions League, heim…

– E como Adil Rami já estava de malas prontas para o Valencia desde o início do ano, o reforço de peso do Lille para a zaga pode ser o montenegrino Marko Basa, de 28 anos, do Lokomotiv Moscou. Ele já passou pelo futebol francês entre 2005 e 2008, no Le Mans, e segundo alguns veículos franceses já fechou acordo com o LOSC. 

– Bem valorizados depois da boa temporada do Sochaux, os meias Marvin Martin (que já chegou mostrando serviço no primeiro chamado para a seleção) e Ryad Boudebouz seguem no clube, segundo o presidente Alexandre Lacombe, que assim o disse na apresentação do novo treinador Mécha Bazdarevic. O assédio deve estar sendo grande…

makelele-coupet-quadros

Quadros e flores para Makelele e Coupet (PSG.fr)

Leia também:

> PSG contrata vice-artilheiro do último Campeonato Francês

> Craques do passado marcam presença no adeus de Bernard Lama

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011 Brasileiros contra a França, Brasileiros na França, Torneios europeus | 19:15

Momento retrô: Quando Ronaldo foi… Ronaldo!

Compartilhe: Twitter

OK, Ronaldo não somente deu alegrias aos franceses quando os enfrentou. Também lhes causou prejuízo, como na final da antiga Recopa europeia (Copa dos vencedores de Copas, que durou entre 1960/61 e 1998/99) do hoje distante 1997.

PSG-Barcelone_1997_rojão_ronaldo

Correu Ronaldo... bateu... adivinha?

No dia 4 de maio de então, em Roterdã, na Holanda, o Paris Saint-Germain foi derrotado pelo Barcelona, com aquela bela camisa verde, por 1 a 0. Gol após cobrança de pênalti sofrido e batido pelo atacante de 20 anos, futuro maior artilheiro das Copas do Mundo. Detalhe: quando Ronaldo partiu para a bola, é possível ver um rojão cruzando a área, como registrou a foto deste post e o vídeo abaixo mostra, mas felizmente ninguém se feriu.

Raí, capitão, e Leonardo, que jogava adiantado, eram os brasileiros do time parisiense dentro de campo. Fora, o comando cabia a um então principiante Ricardo Gomes. A equipe ainda tinha duas referências históricas do clube: o volante/líbero Le Guen, posteriormente treinador do PSG (dirigiu também Camarões na Copa 2010), e o goleiro Lama. Ambos atingiram mais de 300 partidas pelo Parri, entrando no top five da agremiação neste quesito.

Do outro lado, porém, havia um Barça memorável, devo admitir, como se pode ver na ficha técnica lá embaixo. Neste jogo, “apenas” Stoichkov e Giovanni começaram no banco blaugrana, que tinha, como então assistente de Bobby Robson, um tal de José Mourinho…

O vídeo abaixo tem quase 10 minutos de um bom resumo do jogo, provavelmente de alguma tv catalã.

Ficha Técnica – PARIS SAINT-GERMAIN 0 x 1 BARCELONA

Data: 4 de maio de 1997
Local: Feyenoord Stadion, em Roterdã (Holanda)
Público: 52 mil espectadores
Árbitro: Markus Melk (Alemanha)
Cartão amarelo: Fournier, Le Guen e Cauet (PSG); Couto e Peña (BAR)

Gol: Ronaldo, aos 37 minutos do 1º tempo, para o Barça

PSG: Bernard Lama; Laurent Fournier (Jimmy Algerino), Bruno N’Gotty, Paul Le Guen e Didier Domi; Jerôme Leroy, Vincent Guérin (Dely Valdés), Raí e Benoît Cauet; Leonardo e Patrice Loko (Cyrille Pouget). Técnico: Ricardo Gomes

Barcelona: Vítor Baía; Ferrer, Abelardo, Fernando Couto e Sergi; Guardiola, Popescu (Amor), De la Peña (Stoichkov) e Luís Enrique; Luís Figo (Pizzi) e Ronaldo. Técnico: Bobby Robson

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,