Publicidade

Posts com a Tag Kopa

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014 Extracampo, Franceses no mundo | 18:11

Ribéry perde a Bola de Ouro 2013, mas foi justo

Compartilhe: Twitter

Atualizado em 15/01

Brilha no Brasil que essa derrota na Suíça nem será sentida! (Photo: Fifa.com)

Brilha no Brasil que essa derrota na Suíça nem será sentida! (Photo: Fifa.com)

Embora tenha ganhado 41 de seus 45 jogos oficiais com o Bayern de Munique em 2013, e sido o principal jogador da seleção francesa na campanha das Eliminatórias pra Copa que culminou com o passaporte para o Brasil, Franck Ribéry não levou o principal prêmio individual do futebol pelo desempenho no ano passado.

O Scarface foi muito eficiente, mas quase todo o Bayern também foi. Já Cristiano Ronaldo foi mais brilhante, indefectível goleador tanto por Real Madrid quanto por Portugal, e mereceu o bicampeonato, destronando enfim a Lionel Messi.

Considerando a votação de cada um, no entanto, não é absurdo considerar que tenha havido “empate técnico tríplice”: CR7 27,99%, LM10 24,72%, FR7 23,36%! E levando-se em conta apenas os votos de jornalistas (técnicos e capitães das seleções também votaram), como acontecia na Bola de Ouro da France Football (leia mais a respeito no penúltimo parágrafo), Ribérra teria ganho!

A seleção de 2013 segundo a Fifa teve o camisa 7 do time alemão e dois jogadores gringos do PSG: Neuer, Dani Alves, Sergio Ramos, Thiago Silva e Lahm; Iniesta, Xavi, Ribéry e Messi; Cristiano Ronaldo e Ibrahimovic.

Ibra, aliás, faturou o Prêmio Puskas com o gol mais bonito do ano. EMBORA, não há como ignorar, tenha sido lembrado em 2014 com um prêmio referente a 2013 por um gol marcado ainda em 2012 (pela Suécia, contra a Inglaterra)…

FRANCESES NA HISTÓRIA

Zinedine Zidane segue sendo o único francês no rol de vencedores da Fifa: são três prêmios de Melhor do Mundo (1998, 2000 e 2003 – confira o histórico de ganhadores) e uma Bola de Ouro concedida pela France Football, em 1998. Na premiação concedida pela revista francesa, Kopa, Platini e Papin também tiveram o júbilo de levar o troféu para casa (acesse aqui a lista dos três primeiros desde 1956). Desde 2010, os prêmios foram unificados.

Henry chegou perto do prêmio Fifa algumas vezes entre 2000 e 2006, principalmente em 2003, quando, no Arsenal, foi derrotado apenas pelo tcheco Pavel Nedved, da Juventus (veja o top 10 de “quase” do prêmio).

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 1 de março de 2011 Copas francesas | 20:45

Sempre emocionante, Copa da França esquenta. Grande tia Nice!

Compartilhe: Twitter

As quartas de finais começaram hoje e terminam amanhã. Quatro times da primeira divisão figuram entre os oito, sendo dois diretamente envolvidos na briga pelo título da Ligue 1, Lille e PSG

Nesta terça, Stade de Reims e Nice fizeram um duelo recheado de tradição, reunindo 10 títulos franceses (6 do Reims, 4 do Nice), todos conquistados entre 1949 e 1962 – o que revela como eles eram fortes na época… E como vem sendo costume nos confrontos da Coupe de France, não faltaram emoção, alternativas e prorrogação para tornar o espetáculo assaz interessante! 

Lembrando o uniforme vermelho e branco do Arsenal de Thierry Henry nos idos de 2004/2005, o time da casa começou com tudo, criando perigosas chances seguidas nos primeiros minutos, levantando a torcida. Porém, nem sempre pressão gera gol, e quem abriu o placar foi o Nice, quando Ljuboja recebeu belo lançamento, dominou, ajeitou com a canhota e encobriu o goleiro Agassa, que tenta voltar ao gol, mas pagou por ter se adiantado.

Um minuto depois, o 2 a 0 virou 1 a 1 em questão de segundos. Primeiro, Sablé recebeu cara a cara com Agassa, mas chutou em cima da parede formada pelo arqueiro. Na sequência do lance,  Fortes conduziu pelo meio e serviu Romain Amalfitano na esquerda, que com o lado do pé direito colocou no canto oposto, com categoria. Quanta emoção em tão pouco tempo!

Antes do intervalo, Ljuboja ainda acertaria a trave do Reims, ao tentar cruzar e ver a bola desviada pela marcação. No segundo tempo, mais gols, e logo no princípio. A tia Nice voltou a ficar na frente, quando, em bate-rebate na área do Reims após escanteio, Mouloungui dominou com categoria e girou rapidamente, finalizando alto para fazer 2 a 1.

Entretanto, cerca de dez minutos depois estaria tudo igual de novo. Pressão forte do Reims e sufoco dentro da área do nice, até Fortes bater alto, perto do ângulo de Letizi (que faz sua última temporada), para delírio da torcida, que fez uma bela festa durante o jogo. Lá e cá, o jogo se encaminhou para o esperado tempo extra. Mesmo agudo nos ataques, o Stade de Reims sucumbiu ao Nice a sete minutos do fim, quando Mounier ganhou disputa na linha de fundo pela esquerda, cruzou rasteiro e novamente Mouloungui complementou pro gol vazio. Grande tia Nice, primeira semifinalista, e fim do sonho para um clube que já teve Kopa e Fontaine no seu escrete!

reims_nice_ljuboja_afp

O sérvio Danijel Ljuboja demonstrou habilidade e foi um dos responsáveis pela classificação do Olympique Gymnaste Club Nice Côte d'Azur no estádio Auguste Delaune, em Reims (AFP)

Amanhã temos os três jogos restantes das quartas. A zebraça Chambéry, da quinta divisão, tenta aprontar para cima do Angers, da segunda. O PSG tenta passar pelo Le Mans, num duelo mais equilibrado, assim como promete ser Lille x Lorient.

Terça, 1º/3
Stade de Reims (L2) 2 x 3 Nice 

Quarta, 2/3
13h – Chambéry (CFA2) x Angers (L2)
15h – Paris Saint-Germain x Le Mans (L2)
16h45 – Lille x Lorient

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 Brasileiros contra a França, Copa do Mundo, Ex-jogadores, Seleção francesa | 17:55

France vs Brésil: História é o que não falta

Compartilhe: Twitter

Quarta-feira agora, cotidianamente conhecida como amanhã, as seleções masculinas de futebol de França e Brasil farão o 14º confronto desde sempre. A vantagem é ligeiramente brasileira: cinco vitórias, contra quatro francesas (21 gols canarinhos, 18 bleus). Foram quatro empates também, o que permite enxergar bastante equilíbrio no retrospecto.

Se bem que, nos últimos cinco embates, nada de vitória brasuca – a última foi há quase 20 anos, em 1992. De todos os participantes do jogão que se aproxima, cinco são os personagens que já disputaram um França x Brasil: Laurent Blanc, Eric Abidal, Alou Diarra, Florent Malouda e Robinho. O único francês que perdeu foi o técnico, quando era jogador, ainda no século 20…

Eis os duelos:

lequipe_13_07_1998

"Para a eternidade", sobre 12/07/1998 (Zidane, Djorkaeff e Petit na foto)

01/07/2006França 1 x 0 BrasilCopa do Mundo (Alemanha)
Apesar da desvantagem histórica, a última lembrança, entretanto, é doce para os europeus e catastrófica para os sul-americanos. A maestria de Zinedine Zidane e o gol de Thierry Henry em Frankfurt classificaram a França para a semifinal, mandando o Brasil de Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Kaká para casa na Copa. Quer rever os melhores momentos? Vídeo no pé do post! (com Galvão Bueno é mais gostoso…)

20/05/2004 – França 0 x 0 BrasilAmistoso (Saint-Denis)
Comemoração do centenário da Fifa, com os então campeões do mundo e da Europa em campo. Uniformes à moda antiga, pompa e circunstância, mas nada de gols, até porque Grégory Coupet foi muito bem.

07/06/2001Brasil 1 x 2 FrançaCopa das Confederações (Suwon, Coreia do Sul)
Semifinal do torneio ocorrido um ano antes do Mundial asiático. Pirés abriu o placar, Ramon empatou para a seleção de Emerson Leão (que tinha Leomar, Carlos Miguel, Robert e outros craques) e Desailly deu a vitória aos franceses.

12/07/1998 – França 3 x 0 BrasilCopa do Mundo (Saint-Denis) 
Eis que o mundo da bola conhece e reverencia Zizou – premiado, dias atrás, com o Laureus por sua carreira no esporte – autor de dois gols e vencedor de um duelo que não houve com Ronaldo, na época ainda Ronaldinho. Petit fechou o caixão do time do mestre Zagallo (veja o que o ex-volante faz da vida hoje). No último domingo, a edição impresa do L’Équipe relembrou o fato. O vídeo está lá no pé (tem Galvão? mas é claro!)

03/06/1997 – França 1 x 1 BrasilTorneio da França (Lyon)
Partida inaugural do mini-campeonato, que reuniu ainda Inglaterra (a campeã) e Itália. Roberto Carlos abriu o placar com aquela célebre bomba que fez uma impressionante curva para vencer Barthez. No segundo tempo, o empate veio com o obscuro Marc Keller, atacante que passou por clubes medianos nos anos 1990 e atualmente é dirigente do Monaco. Em seis jogos pelos Bleus, seu único gol foi aquele propiciado pelo rebote de Taffarel.
 
26/08/1992 – França 0 x 2 Brasil Amistoso (Parc des Princes, Paris)
Não me lembro deste jogo (tinha 10 anos na época…), nem achei vídeo no YouTube. Os Bleus, que tinham demitido Michel Platini do comando da equipe quase dois meses antes, foram comandados por Gerard Houllier, com Aimé Jacquet como preparador físico. O time já tinha os futuros campeões mundiais Blanc, Deschamps e Petit, assim como Papin e Ginola lá na frente. 

 
 

platini_alemao_86

Platini precedeu Zidane no posto de "francês mais odiado pelos brasileiros no futebol"

21/06/1986 Brasil 1 (3) x 1 (4) França Copa do Mundo (México)
Embora o estádio Jalisco tenha sido o principal palco do tricampeonato mundial em 1970, a última aparição canarinho por lá em Copas teve sabor amargo para a torcida brasileira: no duelo dos craques de então, Michel Platini deixou Zico para trás nas quartas-de-finais em Guadalajara, quando o Galinho perdeu pênalti, defendido por Joel Bats, que alteraria o placar de 1 a 1 no tempo normal e poderia ter evitado a posterior disputa por penalidades. Platini marcou o único gol sofrido pelo Brasil na Copa nos 90 minutos regulamentares. 
 
15/05/1981 – França 1 x 3 Brasil – Amistoso (Parc des Princes)
Zico, Reinaldo e Sócrates decretaram a vitória brasileira, com Didier Six descontando perto do final para os Bleus, que tinham Jean Tigana, hoje técnico do Bordeaux, naquele grupo.

01/04/1978 – França 1 x 0 Brasil – Amistoso (Parc des Princes)
Michel Platini decidiu aos 41 minutos do 2º tempo.
 
30/06/1977
 – Brasil 2 x 2 FrançaAmistoso (Maracanã, Rio de Janeiro)
Edinho e Roberto Dinamite deixaram os brasileiros em vantagem, mas Didier Six e Marius Trésor igualaram o placar final. Platini jogou os 90 minutos, assim como Bernard Lacombe, então atacante e posteriormente treinador e dirigente do Lyon.

28/04/1963França 2 x 3 BrasilAmistoso (Olympique des Colombes, Paris)
Os três gols brasileiros constam no currículo de um tal de Edson Arantes do Nascimento…

24/06/1958 – Brasil 5 x 2 FrançaCopa do Mundo (Suécia)
Just Fontaine, artilheiro do Mundial com incríveis 13 gols em 6 jogos (recorde até hoje), fez um dos gols franceses em Estocolmo. Raymond Kopa deu passe para os dois tentos gauleses. Mas Pelé, três vezes, Vavá e Didi arruinaram o sonho europeu de chegar à final. No YouTube dá para assistir a essa relíquia histórica, dividida em várias partes (procure por “World Cup 1958 Full Game Semifinal Brazil vs France”).

01/08/1930 – Brasil 3 x 2 FrançaAmistoso (Laranjeiras, Rio de Janeiro)
Primeiro duelo da história, vitória dos anfitriões de virada.

*Mais curiosidades sobre Brasil x França, como as comparações dos valores de passe de todos os jogadores convocados pro jogo de amanhã, você acha no blog Futebol em Números, do iG.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,