Publicidade

Posts com a Tag Itália

terça-feira, 10 de junho de 2014 Copa do Mundo | 19:22

Estrangeiros do futebol francês na Copa 2014

Compartilhe: Twitter
Antes mesmo de Falcao ser oficialmente cortado, os colombianos já tinham bolado a substituição perfeita, com um atacante cuja seleção não se classificou pra Copa...

Antes mesmo de Falcao ser oficialmente cortado, os colombianos já tinham bolado a substituição perfeita, com um atacante que também atua na França e cuja seleção não se classificou pra Copa…

Copa do Mundo não é torneio pra gente falar só de seleção francesa neste espaço, mas também de lembrar ao planeta bola os jogadores do Mundial que atuam no nosso querido futebol francês.

Lembrando que, dos 23 franceses convocados por Deschampsapenas 8 jogam atualmente no país. Quase o mesmo número de atletas que representam as seleções africanas de Camarões (7) e Costa do Marfim (6)!

Uma curiosidade: nos maiores campeões mundiais, Brasil e Itália, apenas o PSG cedeu destaques, três em cada. E o hoje bicampeão francês é o maior cessor de atletas para todas as 32 seleções, entre todos os clubes do país: 11, bem à frente do Monaco, o segundo nessa relação, com 4.

Bora lá (me baseei nesse link do bom site espanhol Futbol desde Francia, cruzando depois com os 23 confirmados da página da Fifa sobre a Copa):

Argélia: Carl Medjani (defensor do Valenciennes), Mehdi Mostefa (defensor do Ajaccio) e Aissa Mandi (defensor do Reims). Ryan Boudebouz (meia do Bastia) e Foued Kadir (meia do Stade Rennais) foram pré-selecionados, mas cortados.

ArgentinaSergio Romero (goleiro reserva do Monaco) e Ezequiel Lavezzi (atacante do Paris Saint Germain).

Bélgica: Divock Origi (lateral/ala do Lille).

Brasil: Thiago Silva (zagueiro capitão), David Luiz (zagueiro vindo agora do Chelsea) e Maxwell (lateral-esquerdo), todos do Paris Saint Germain.

Camarões: Nicolas Nkoulou (lateral do Olympique de Marseille), Henri Bedimo (lateral-esquerdo do Lyon); Jean Illes Makoun (volante do Rennes); Landry Nguemo (volante do Bordeaux); Edgar Salli (meia do Lens, recém-promovido da Ligue 2); Benjamin Moukandjo (meia-atacante do Nancy, da Ligue 2) e Vincent Aboubakar (atacante do Lorient). Guy Ndy Assembe, goleiro do Guingamp, e Jean-Armel Kana-Biyik, zagueiro do Rennes, ficaram fora.

Aboubakar foi um principais goleadores do último Campeonato Francês, empatado na vice-liderança do ranking geral com o também convocado Cavani, do Uruguai, ambos atrás do sueco Zlatan Ibrahimovic, lamentavelmente fora desta Copa.

Colômbia: David Ospina (goleiro do Nice); Ábel Aguilar (volante do Toulouse); James Rodríguez (meia do Monaco).

O goleador monegasco Radamel Falcao García foi pré-relacionado entre os 30, mas não se recuperou da cirurgia no joelho como torcíamos. Porém, o país conta com a habilidade de Rodríguez, maior assistente da última Ligue 1.

Costa do Marfim: Serge Aurier (lateral-direito do Toulouse); Benjamin Angoua (zagueiro do Valenciennes); Jean Daniel Akpa-Akpro (ala do Toulouse); Ismäel Diomande (meia do Saint Étienne); Salomon Kalou (meia do Lille) e Max-Alain Gradel (atacante do Saint Étienne). O lateral-direito Brice Dja Djedje, do Olympique de Marseille, e o volante Romaric (Bastia) não ficaram entre os 23.

Tem o único técnico francês de nascimento entre uma seleção estrangeira do Mundial: Sabri Lamouche, 42 anos, naturalizado tunisiano.

Croácia: Danijel Subasic (goleiro titular do Monaco).

Estados Unidos: Alejandro Bedoya (meia do Nantes).

Gana: Jonathan Mensah (zagueiro do Évian Thonon Gaillard); John Boye (zagueiro do Stade Rennais); Andre Ayew (atacante do Olympique de Marseille); Jordan Ayew (atacante do Sochaux) e Abdul Majeed Waris (atacante do Valenciennes) – que fez uma segunda metade de temporada muito boa na Ligue 1.

Andre é irmão mais velho de Jordan Ayew, ambos filhos do ex-atacante Abedi Pelé, que é o maior artilheiro da história da seleção mas, ironicamente, nunca disputou uma Copa do Mundo.

Itália: Salvatore Sirigu (goleiro titular); Thiago Motta (volante/meia); Marco Verratti (volante/meia), todos do Paris Saint Germain, e acima da média, principalmente os dois de linha.

México: Guillermo Ochoa (goleiro que disputou a última temporada pelo Ajaccio e está sem clube) – costuma pegar muito quando acossado;

Nigéria: Vincent Enyeama (goleiro titular do Lille). O meia Sunday Mba (CA Bastia, Ligue 2) foi pré-relacionado, mas acabou fora.

Enyeama fez uma excelente Ligue 1 2013/14 pelo LOSC, sendo um dos arqueiros menos vazados do campeonato francês.

Portugal: João Moutinho (volante/meia do Monaco).

Uruguai: Edinson Cavani (atacante do Paris Saint Germain) – craque!

-> Link para todos os convocados para a Copa 2014 do site do O Globo

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 19 de maio de 2014 Ex-jogadores, Extracampo | 19:24

Zidane ataca de novo em comercial para Copa; assista!

Compartilhe: Twitter

Abri 2014 neste blog postando um vídeo de propaganda da Visa para a Copa, com Zidane como um dos carrascos brasileiros históricos.

Abaixo, uma nova peça da campanha, agora explorando a rivalidade França x Itália com Zizou e Cannavaro. Ambos os garotos-propaganda da empresa de crediário participaram dos dois últimos duelos entre as seleções em Mundiais.

A campanha do título francês em casa em 1998 teve vitória sobre a Itália nos pênaltis, nas quartas de finais. Em 2006, veio o troco em grande estilo da Azzurra, na decisão, também nas penalidades.

Veja o vídeo com Zidane em apuros numa cantina cheia de italianos:

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 16 de outubro de 2012 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 22:17

Empate com gosto de vitória em Madri: Espanha 1 x 1 França

Compartilhe: Twitter

As circunstâncias dos gols e a dificuldade de enfrentar a campeã mundial em casa nos levam a concluir que a igualdade no placar foi muito boa para os Bleus, jogando visualmente como “Blancs”. Embora no desempate o saldo de gols coloque os espanhóis como líderes do Grupo I das Eliminatórias para a Copa 2014, os franceses também somam 7 pontos, o que é bastante relevante nessa dura disputa pela vaga direta para o Mundial no Brasil.

Melhores no primeiro tempo, os donos da casa abriram o marcador aos 25 minutos, com Sergio Ramos aproveitando falhas de Lloris e da marcação francesa na área. O goleiro do Tottenham, ex-Lyon, se redimiu em outras ocasiões, especialmente no pênalti que Koscielny cometeu em Pedro e Fábregas desperdiçou, com grande defesa do arqueiro de amarelo. Ainda na etapa inicial a França teve um gol mal anulado, por conta de impedimento atribúído a Menez, depois de escorar toque também de cabeça de Benzema.

A França deu o troco no segundo tempo, em termos de desempenho, e confirmou a reação só nos acréscimos dos acréscimos, quando o contra-ataque chegou a Ribéry, que encontrou a cabeça de Giroud (substituto do machucado Benzema) sem marcação, no último lance da partida. (ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS E AOS GOLS)

Para termos uma ideia do que é não ser derrotado pela esquadra de Vicente Del Bosque, a Fúria acumulava 24 vitórias seguidas em jogos de eliminátórias (Euro e Copa)! E não é batida em casa, por partidas oficiais, desde junho de 2003 (0-1 para a Grécia pelo qualificatório da Euro 2004, que seria vencido pela própria Hellas!). O último gol bleu no estádio Vicente Calderón, do Atlético de Madri, havia sido Alain Giresse, contra a Irlanda, encerrando os 4 a 1 pela Copa de 1982, ano em que nasci, e curiosamente também de cabeça!

No outro jogo da chave, a Bielorrússia conquistou sua primeira vitória ao impor 2 a 0 na Geórgia, chegando a três pontos e assumindo a quarta colocação, à frente da Finlândia. Já a Geórgia se manteve em terceiro, com quatro pontos ganhos. As eliminatórias europeias voltam apenas em março de 2013: no dia 22, a Espanha recebe a Finlândia, e a França joga em casa contra a Geórgia.

Porém, antes disso, dois compromissos amistosos bem mais que amistosos para os Bleus: visitando a Itália, dia 14 de novembro, e abrindo a temporada 2013 com a recepção à Alemanha, em 6 de fevereiro.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 18 de junho de 2012 Eurocopa | 23:35

Euro 2012: França x Suécia, pra classificar, e em primeiro

Compartilhe: Twitter

Com Dener Anholetti

Depois de vencer a Ucrânia por 2×0, a seleção francesa volta a campo nesta terça-feira (19/06) pela Eurocopa. O adversário será a Suécia, que perdeu para a Inglaterra por 3×2 e não tem mais chances de classificação para as quartas de finais.

Se vencerem ou empatarem, os Bleus avançam. Tão importante quanto seguir adiante, seria avançar na primeira colocação do Grupo D, para “fugir” da Espanha e enfrentar a Itália, que creio que todos consideramos menos pior hoje em dia, certo?? Portanto, vale ficar de olho em Inglaterra x Ucrânia, que rola simultaneamente. Os ingleses chegam à última rodada com a mesma pontuação dos franceses (4 pontos), mas um gol a menos no saldo (1 x 2), enquanto os ucranianos somaram 3 pts.

Informações do jogo
Quando: 19/06/2012, terça-feira
Onde: Olímpico de Kiev, em Kiev (UCR)
Porque: Eurocopa – última rodada da fase de grupos
Horário: 15h45 (de Brasília)
Na TV: BAND e SporTV (ao vivo)

Gols de França e Suécia pela 2ª rodada da Euro

A França ganhou da Ucrânia por 2×0, com gols do Menez e Cabaye:

Na mesma rodada, a Suécia perdeu para a Inglaterra por 3×2:

Retrospecto
Suécia e França se enfrentaram quatro vezes, com duas vitórias da França, uma derrota e um empate.

Prováveis escalações
França: Lloris – Debuchy, Rami, Mexes, Clichy – Diarra, M’Vila, Nasri, Ribéry, Menez – Benzema.

Suécia: Isaksson – Granqvist, Mellberg, Jonas Olsson, Martin Olsson – Larsson, Svensson, Kallstrom, Elm – Ibrahimovic, Elmander.

Grupos da Eurocopa 2012

Qual seu placar para o jogo? Comente abaixo!

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 7 de junho de 2012 Seleção francesa | 21:08

Momento retrô: Inspirações francesas para a Eurocopa

Compartilhe: Twitter

Daqui a quatro dias, os Bleus começam a busca pelo tricampeonato europeu. Sabem como foram as conquistas em 1984 e 2000? Eu pouco sabia, até assistir aos filmes oficiais da Uefa dos respectivos torneios, que a SporTV transmitiu e felizmente arquivou em seu site. Ambos têm pouco mais de 50 minutos, em forma de documentários, e é claro que recomendo ao fã do foot!

*1984 – Assista ao filme aqui
Depois de 24 anos, a Euro voltava ao país de seu criador, Henry Delaunay. E aquela edição representaria o momento de glória de uma geração habilidosa, que também foi a duas semifinais de Copas do Mundo, em 1982 e 86. Uma equipe que plantou as sementes (conforme análise do Trivela) de uma nova geração vitoriosa, marcada na história do futebol mundial em 1998 e 2000.

Como seria Zidane anos depois, Michel Platini foi o craque de 1984, ostentando até hoje o recorde de gols em uma única Euro: 9 (o ataque do time fez 14, feito também imbatível até aqui!). Excelente, e se considerarmos que foram só 5 jogos na campanha (eram apenas 8 seleções no campeonato), impressionante! Curiosamente, a artilharia-mor de uma única Copa também cabe a um francês, Just Fontaine, 13 em 1958. Mas não podemos olvidar que Platini compunha um meio-campo memorável, chamado até de mágico na época, ao lado de Jean Tigana, Alain Giresse e Luis Fernandez, espanhol naturalizado francês. Sob o comando de Michel Hidalgo, o time confirmou a expectativa da torcida, atuando em casa (em 2016 o filme se repetirá?), e garantiu o primeiro título de expressão para a França.

Campanha: França 1 x 0 Dinamarca – Paris, Parque dos Príncipes (a casa gaulesa pré-Stade de France)
França 5 x 0 Bélgica – Nantes
França 3 x 2 Iugoslávia – Saint-Etienne
Semifinal – França 3 x 2 Portugal – Marselha
Final – França 2 x 0 Espanha – Paris

**2000 – Assista ao filme aqui
Outra marca histórica da França foi conquistada quando a Euro teve sua primeira sede compartilhada, entre Bélgica e Holanda: nunca uma seleção fora campeã europeia logo após ter sido campeã mundial. Com Zizou em plena forma e a base de 1998, Roger Lemerre liderou um elenco que soube confirmar o favoritismo, embora tenha passado por dificuldades, como uma final “sufocante” contra os italianos. Deschamps se despediu da seleção levantando mais uma taça, o então zagueiro-líbero Blanc voltou a beijar a careca de Barthez após a decisão, e jovens como Henry e Trezeguet contribuíram decisivamente também, ao lado do mais velho Djorkaeff. No filme supracitado, Petit, Vieira e Pirés também depõem.

Campanha – França 3 x 0 Dinamarca
França 2 x 1 Rep. Tcheca
França 2 x 3 Holanda (Bleus com reservas, pois ambas já entraram classificadas)
Quartas – França 2 x 1 Espanha (Raúl desperdiçou pênalti idiotamente cometido por Barthez no final)
Semis – França 2 x 1 Portugal (repetindo 84. Zidane garantiu a vitória, de pênalti, com o gol de ouro na prorrogação)
Final – França 2 x 1 Itália (os italianos fizeram 1 a 0 em Roterdã, já no 2o tempo. Wiltord, Trezeguet e Pirès vieram do banco para suprir o cansaço bleu. O primeiro empatou pertinho do fim, quando a Azzurra preparava a festa, causando o tempo extra. Abalada, a Itália viu o segundo ir à linha de fundo e cruzar para um lindo meio-voleio do terceiro, gol de ouro e bicampeonato francês!)

Karim Benzema, Hatem Ben Arfa e Samir Nasri com o troféu da Eurocopa sub 17 de 2004, após a França ter batido a Espanha por 2 a 1, em 15 de maio daquele ano, em Châteauroux (Photo: Alain de Martignac)

Os títulos relatados acima não são os únicos links da França com um passado vitorioso no contexto europeu. Dentro do atual elenco do atual técnico Blanc, despontam talentos da chamada “Geração 87”, nascidos naquele ano e protagonistas do título expresso na fotografia acima. Além da tríade ilustrada, Menez e Matuidi também estavam lá e reaparecem aqui.

Essa geração está pronta para o renascimento na Polônia e na Ucrânia?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 12 de outubro de 2010 Eliminatórias da Eurocopa | 18:14

Ao menos é uma vitória

Compartilhe: Twitter
 
 

Yoann Gourcuff marcou gol nas duas últimas vitórias, sobre Romênia e Luxemburgo (AFP)

Yoann Gourcuff marcou gol nas duas últimas vitórias, sobre Romênia e Luxemburgo (AFP)

França 2 x 0 Luxemburgo (gols de Benzema e Gourcuff). Pouco. Mas não sejamos injustos, pois o principal objetivo (vitória) foi conquistado em Metz. O resultado mantém os Bleus na ponta do grupo D das Eliminatórias para a Eurocopa 2012 até 25 de março de 2011, quando o selecionado faz o jogo contra o mesmo Luxemburgo lá no minúsculo país. Com a vitória da Bielorrússia sobre a Albânia por 2 a 0 também, hoje também, os bielorrussos se garantem na vice-colocação, com um ponto a menos que os franceses (8 a 9), deixando os albaneses em terceiro (5).

Tudo bem, pois outros grandes europeus nem o gostinho da vitória puderam sentir nesta terça: a Inglaterra ficou no zero com Montenegro (em Wembley) e a Itália sequer conseguiu jogar, por causa da selvageria dos torcedores da Sérvia em Gênova. Azar o deles né?

Atualização de quarta, 13/10, com os jogadores que foram a campo: Lloris; Réveillère, Rami, Mexès e Clichy; Alou Diarra, Diaby, Malouda (Nasri) e Gourcuff; Benzema (Payet) e Hoarau (Rémy).

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 24 de junho de 2010 Copa do Mundo | 13:07

E os finalistas de 2006 se abraçam

Compartilhe: Twitter

Itália eliminada da Copa 2010 na primeira fase, assim como a França, sem conseguir vencer na África do Sul. Os finalistas do último Mundial dividem a dor da frustração antecipada.

Diminui um pouquinho a vergonha francesa, agora que uma potência da bola é outra “credenciada” ao posto de grande decepção da Copa. Como o mundo dá voltas em quatro anos!

Autor: Tags: , ,

sábado, 13 de fevereiro de 2010 Extracampo, Franceses no mundo | 16:43

As más notícias da semana

Compartilhe: Twitter

Antes que a semana se encerre, dois registros a se lamentar.

Primeiro, Gervinho, logo o marfinense do qual encho tanto a bola! Na quinta-feira, o atacante do Lille se acidentou com sua moto, colidindo com outro carro em Lille. Chegou a polícia francesa para conferir os documentos dele, e eis a revelação: a carteira de habilitação era falsa.

Gervinho reconheceu ter comprado o documento em Abidjan, na Costa do Marfim, mas não deixou de ser detido e ter que dar esclarecimentos. Felizmente, foi liberado, relacionado e escalado para o dérbi do norte francês entre Lille e Boulogne, neste sábado. Dentro de campo, precisa esquecer a decepção com sua seleção na Copa Africana de Nações e recuperar o faro de gol após um período de estagnação na artilharia. Fora dele, precisa usar um pouco mais a cabeça…

Não é novidade, mas é sempre repugnante

A capa do livro

A capa do livro

Segundo, Lilian Thuram. Nada contra o recordista de jogos pela França (142), de 38 anos, que nada fez de errado, muito pelo contrário. O que revolta no caso do ex-jogador é a forte acusação de que o racismo contamina a Itália, onde o ex-zagueiro e lateral atuou por dez anos. Não é possível que ele esteja exagerando; o que ganharia com isso?

“O racismo no futebol italiano é reflexo do racismo presente na sociedade”, disse Thuram, no lançamento do seu livro “Mes étoiles noires” (“Minhas estrelas negras”, em português). Ele fez referência a um cântico de torcedores da Juventus, cujo trecho é “um negro não pode ser italiano”. No livro, inclusive, Thuram fala das poucas referências de sucesso de cor negra que influenciaram a humanidade em suas épocas. Muito legal e surpreendente até para um ex-boleiro.

Não por acaso, foram justamente irracionais fãs da Vecchia Signora que ofenderam de forma racista, mais de uma vez, o atacante Mario Balotelli, da Inter de Milão, nos últimos confrontos entre as equipes – Balotelli ainda foi repreendido e multado por aplaudir ironicamente torcedores do Chievo que o insultaram numa partida recente!

A ignorância e crueldade inerentes a comportamentos racistas não combinam com um povo festivo e alegre como o italiano. Não combinam com nenhum povo, pra falar a verdade. Não fazem sentido no ser humano. Que triste.

Autor: Tags: , , , , ,