Publicidade

Posts com a Tag Irlanda

sexta-feira, 15 de novembro de 2013 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 22:32

Ucrânia complica França na repescagem das Eliminatórias pra Copa 2014

Compartilhe: Twitter
De quem mais se esperava no time francês, Ribéry foi anulado e teve de aceitar a festa ucraniana (Photo: Reuters)

De quem mais se esperava no time francês, Ribéry foi anulado e teve de aceitar a festa ucraniana (Photo: Reuters)

Les Bleus sucumbiram no segundo tempo, levaram 2 a 0 em Kiev e vão ter que suar muito para evitar o vexame de se ausentar do Mundial no Brasil. A decisão acontece em Saint Denis, na próxima terça, dia 19, às 18h (Fox Sports é um dos canais que transmitem ao vivo).

Lloris; Debuchy, Koscielny, Abidal e Evra; Matuidi, Pogba, Nasri e Ribery; Remy e Giroud foi o time francês no primeiro tempo, com poucas chances dos dois lados e nenhuma criatividade na equipe de Deschamps.

Na segunda etapa, quando o técnico gaulês já preparava uma alteração, os anfitriões tramaram boa jogada pela esquerda, Zozulya recebeu do brasileiro Edmar na área, se desvencilhou de Abidal e chutou por baixo de Lloris, abrindo o placar. Sissoko (no lugar de Remy), Valbuena (no de Nasri) e Benzema (Giroud) entraram, porém o quadro não se alterou.

Cenário ruim, que se agravou minutos antes do fim, quando Yarmolenko definiu o marcador e a bela vantagem ucraniana, para grande apreensão francesa. Em dia muito negativo, o zagueiro Koscielny ainda foi expulso e não vai poder jogar na terça (o que não é de todo mal…).

No último duelo entre as partes, pela Euro 2012, havia dado Bleus: 2 a 0, uma vitória aliviante e sobre um dilúvio na época. Ou seja: reverter a vantagem não é impossível, não percamos as esperanças!

Que a classificação para a Copa 2014 venha, mas sem interferência da arbitragem de preferência, para deixarmos ainda mais no fundo do baú da memória aquele 1 a 1 contra Irlanda, que levou a França pra África do Sul com a ajuda da mão esperta de Henry no gol de Gallas… Aliás, os irlandeses festejaram ou festejaram muito o placar no Estádio Olímpico de Kiev?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 16 de outubro de 2012 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 22:17

Empate com gosto de vitória em Madri: Espanha 1 x 1 França

Compartilhe: Twitter

As circunstâncias dos gols e a dificuldade de enfrentar a campeã mundial em casa nos levam a concluir que a igualdade no placar foi muito boa para os Bleus, jogando visualmente como “Blancs”. Embora no desempate o saldo de gols coloque os espanhóis como líderes do Grupo I das Eliminatórias para a Copa 2014, os franceses também somam 7 pontos, o que é bastante relevante nessa dura disputa pela vaga direta para o Mundial no Brasil.

Melhores no primeiro tempo, os donos da casa abriram o marcador aos 25 minutos, com Sergio Ramos aproveitando falhas de Lloris e da marcação francesa na área. O goleiro do Tottenham, ex-Lyon, se redimiu em outras ocasiões, especialmente no pênalti que Koscielny cometeu em Pedro e Fábregas desperdiçou, com grande defesa do arqueiro de amarelo. Ainda na etapa inicial a França teve um gol mal anulado, por conta de impedimento atribúído a Menez, depois de escorar toque também de cabeça de Benzema.

A França deu o troco no segundo tempo, em termos de desempenho, e confirmou a reação só nos acréscimos dos acréscimos, quando o contra-ataque chegou a Ribéry, que encontrou a cabeça de Giroud (substituto do machucado Benzema) sem marcação, no último lance da partida. (ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS E AOS GOLS)

Para termos uma ideia do que é não ser derrotado pela esquadra de Vicente Del Bosque, a Fúria acumulava 24 vitórias seguidas em jogos de eliminátórias (Euro e Copa)! E não é batida em casa, por partidas oficiais, desde junho de 2003 (0-1 para a Grécia pelo qualificatório da Euro 2004, que seria vencido pela própria Hellas!). O último gol bleu no estádio Vicente Calderón, do Atlético de Madri, havia sido Alain Giresse, contra a Irlanda, encerrando os 4 a 1 pela Copa de 1982, ano em que nasci, e curiosamente também de cabeça!

No outro jogo da chave, a Bielorrússia conquistou sua primeira vitória ao impor 2 a 0 na Geórgia, chegando a três pontos e assumindo a quarta colocação, à frente da Finlândia. Já a Geórgia se manteve em terceiro, com quatro pontos ganhos. As eliminatórias europeias voltam apenas em março de 2013: no dia 22, a Espanha recebe a Finlândia, e a França joga em casa contra a Geórgia.

Porém, antes disso, dois compromissos amistosos bem mais que amistosos para os Bleus: visitando a Itália, dia 14 de novembro, e abrindo a temporada 2013 com a recepção à Alemanha, em 6 de fevereiro.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 20 de maio de 2010 Copa do Mundo, Extracampo | 22:05

Pizza Hut contra a França

Compartilhe: Twitter

Os irlandeses não esqueceram a traumática eliminação para os franceses na repescagem das Eliminatórias para a Copa 2010, com aquela mãozona de Thierry Henry valendo vaga no Mundial. Protestaram, tentaram fazer outro jogo, procuraram autoridades de tudo que é canto, mas não teve jeito de alterar o que o árbitro validou naquele dia no Saint-Denis.

Bom, se a Irlanda não tem como estar na Copa, o que sobra para diminuir a tristeza entre junho e julho? Secar a França! A torcida contra o sucesso dos Bleus ganhou a internet, em comunidades anti-Henry no Facebook, por exemplo, e “se institucionalizou” com a notícia de que a Pizza Hut irlandesa oferecerá cotas de pizzas grátis a cada gol que os franceses levarem na África do Sul, é mole??

Pizza Hut

Pessoal do iG, peçamos o rango de quarta em outro lugar!

Considerando que nenhuma loja quer o fracasso de uma promoção sua e toda promoção gratuita como essa traz vantagens como o consumo de outros produtos e a possível fidelização de clientes, é lógico concluir que a Pizza Hut torcerá contra a França e vai fazer muita gente faminta na Irlanda proceder da mesma forma…

Enquanto isso, em Tignes
Depois de fazerem ciclismo, alpinismo, biatlo (?) e passar a noite na parte mais alta (e gelada) do hotel, os franceses finalmente foram para o campo e tiveram contato com a bola, em treinos leves e descontraídos, “só na maciota”. Lá na concentração não deve ter pizza, e para a falar a verdade também não faz falta…

França treinos Tignes para Copa 2010

Raymond Domenech instrui jogadores: "Pizza Hut, non!"

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 18 de novembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 21:01

O dia da glória chegou!

Compartilhe: Twitter

“Allons, enfants de la patrie, le jour de gloire est arrivée!”. Assim começa o hino francês, a Marselhesa: “vamos, filhos da pátria, o dia da glória chegou!”. Depois de 210 minutos de nervossísima repescagem contra a Irlanda (90 em Dublin + 120 em Saint-Denis), o placar agregado de 2 a 1 favoreceu quem tinha mais peso, com presença nas últimas três Copas, duas finais e um título mundial no currículo. A França está na Copa do Mundo de 2010. Graças muito mais à mão esquerda de Henry do que aos seus dois pés. Vamos ao desenrolar do drama:

Houve uma mudança no time titular em relação à escalação que se previa ontem: Escudé e não Squillaci foi quem formou a dupla com Gallas. Mas alguma coisa dizia que era para Squillaci jogar: logo aos 8 minutos, Escudé sobe junto com Evra e leva um choque no rosto, que sangra. Ele tem de sair, e o reserva imediato era o colega de Sevilla supracitado.

Como quem precisava da vitória de qualquer jeito eram os irlandeses, o jogo começou muito mais no campo da França, que tentava não se deixar acuar. Várias bolas foram alçadas diante de Lloris, que fez uma bela intervenção aos 23 minutos. Dois minutos depois, Doyle foi atrapalhado no cabeceio por Sagna mas causou perigo, pois a bola passou perto.

Entretanto, a solidez defensiva que se anunciava nos Bleus foi por água abaixo aos 33: Duff faz boa jogada pela esquerda, vai à linha de fundo e acha Keane sozinho na marca do pênalti, que só tem o trabalho de tirar do alcance de Lloris: 1 a 0. Apreensão total no Stade de France, já que o placar, igual ao da partida da ida, leva a decisão para a prorrogação.

A execução da Marselhesa (AFP)

A execução da Marselhesa (AFP)

No restante do primeiro tempo, nada de chances reais de gols para nenhum lado e pulga atrás da orelha da torcida francesa. Porém, pela TV deu para perceber que os espectadores em Saint-Denis mantinham a confiança, balançando as flâmulas e lenços azuis. Mas logo no comecinho da segunda etapa, por muito pouco a Irlanda não ampliou, quando O’Shea aproveitou rebatida de escanteio e, sozinho, finalizou por cima, do meio da grande área.

Com muitas dificuldades para se aproximar da área rival, a França via seu adversário jogar melhor e estar mais perto do segundo gol quando Raymond Domenech colocou Govou no lugar de Gignac, aos 11 minutos. Pensei o mesmo que o comentarista Sílvio Lancelotti, da ESPN: por que não Benzema?

Aos 16, dois lances de arrepiar, um para cada lado: Duff recebe sozinho na intermediária, avança e chuta para excelente defesa de Lloris. Os franceses contra-atacaram e Henry teve boa chance na área irlandesa, sendo travado por dois zagueiros na hora H.

Com 24, Gourcuff emendou de fora da área, mas ela desviou na zaga e saiu; dois minutos depois, Anelka perdeu boa oportunidade de cabeça. Por sua vez, a Irlanda quase matou a parada novamente em bola enfiada para Keane, que chegou a driblar Lloris mas deixou a bola escapar pela linha de fundo, para desespero dos colegas.

No tempo regulamentar, o cenário foi esse (AFP)

No tempo regulamentar, o cenário foi esse (AFP)

Sem organização, a França começava a se exasperar e, com isso, ceder perigosos espaços aos visitantes. Sagna estava num dia ruim, deixando brechas na marcação e cruzando errado sempre que chegava ao ataque. Domenech queimou sua última substituição colocando Malouda no lugar de Gourcuff, deixando Benzema na mesma condição de torcedor dos ex-selecionáveis Zidane e Barthez e do presidente Sarkozy. A última chance dos donos da casa seria com Henry, que cruzou na pequena área, Given soltou, mas não havia quem empurrasse para o gol. Não teve jeito: prorrogação!

Quem pensava que o medo de tomar gol paralisaria as duas seleções no “extra-tempo”, enganou-se. Boas oportunidades foram criadas, aumentando a tensão de todos, e sinceramente acho que o lance de Anelka driblando Given e caindo foi pênalti, embora o árbitro sueco discordasse. Govou chegou a balançar as redes, mas estava impedido.

Aos 14 do 1º tempo da prorrogação, viria o lance capital do jogo: Alou Diarra levanta na área da Irlanda, a bola passa por quase todo mundo, Henry “domina” com a mão esquerda (se não o fizesse, ela sairia), toca para o meio da pequena área, e Gallas só escora de cabeça com Given vendido: 1 a 1. Festa imensa francesa, reclamação acintosíssima irlandesa, afinal Martin Hansson validou o gol.

Nos últimos 15 minutos, os anfitriões se retraíram, não tiveram vergonha de dar chutões e ainda perderam um gol praticamente feito com Govou. Não precisou, porque o empate seria o bastante. Fim de partida e glória assegurada até junho de 2010!

Mas na prorrogação, acabou assim (AFP)

Mas na prorrogação, acabou assim (AFP)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 17 de novembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 21:13

Amanhã, meu filho!

Compartilhe: Twitter
À frente, o capitão Henry no último treino em Clairefontaine (AFP)

À frente, o capitão Henry no último treino em Clairefontaine (AFP)

Não vão faltar meios para acompanhar França x Irlanda nesta decisiva quarta-feira, a partir das 18 horas de Brasília. SporTV exibe a partida pelas Eliminatórias Europeias ao vivo e em VT na quinta, às 13 horas. ESPN também mostra ao vivo e com VT às 3h30 da madrugada de quinta. E pela internet, dá para acompanhar, como sempre, em tempo real pelo Placar iG (o link é este aqui).

O técnico Raymond Domenech é só mais um dos milhões de franceses ansiosos para a bola rolar. A pressão é grande para que se cumpra a obrigação de não fracassar; portanto, toda concentração é pouca. De acordo com o site da revista France Football, as prováveis escalações para o jogaço em Saint-Denis são:

França: Lloris; Sagna, Gallas, Squillaci e Evra; Alou Diarra, Lassana Diarra, Gourcuff e Henry; Anelka e Gignac.

Irlanda: Given; O’Shea, St Ledger, Dunne e Kilbane; Lawrence, Whelan, Andrews e Duff; Doyle e Keane.

Para quem está por fora, lembro que os franceses fizeram 1 a 0 nos irlandeses no sábado, em Dublin, e se classificam para a Copa do ano que vem se vencerem ou empatarem amanhã no Stade de France. Ou se perderem por um gol e se garantirem nos pênaltis, mas é melhor não tocar no assunto. Qualquer derrota maior significa o vexame de assistir ao Mundial como espectadores. Mas é melhor não tocar nesse assunto também.

“Franco-brasileiros”
Michel Bastos voltou a ser o lateral-esquerdo titular da seleção brasileira, agora contra Omã. De novo jogou a partida inteira, e desta vez participou diretamente do segundo gol, cruzando para Hulk no lance em que Al Ghalani teve a infelicidade de cabecear contra as próprias redes. Cris, outro lionês, entrou no segundo tempo da vitória por 2 a 0.

Findado o ano do time de Dunga, e com apenas um amistoso por fazer antes da convocação para a Copa do Mundo, em março, os brasileiros do Lyon mantêm esperança de ir à África do Sul. Muito mais o lateral/meia, que teve mais tempo para aparecer. Se as contusões inesperadas de sempre atingirem os zagueiros, pode sobrar lugar até para Cris. Desculpe o lugar-comum, mas só mesmo o tempo dirá.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

segunda-feira, 16 de novembro de 2009 Brasileiros na França, Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 20:37

Só faltam 90 minutos

Compartilhe: Twitter
Será apenas o início de muita comemoração na quarta? (AFP)

Será apenas o início de muita comemoração na quarta? (AFP)

Das oito seleções europeias que entraram em campo no sábado para as partidas de ida das Eliminatórias para a Copa, a França foi a que encerrou a rodada mais perto da África do Sul. Rússia venceu Eslovênia em casa (2 a 1), Portugal bateu Bósnia também em casa (1 a 0) e Ucrânia e Grécia não saíram do zero; contando com a sorte de Nicolas Anelka (veja o vídeo do gol do atacante do Chelsea no post anterior), os franceses fizeram 1 a 0 na Irlanda em território rival. Agora, na quarta, basta um empate em solo pátrio para o 2010 dos Bleus ter a importância que merece para qualquer país de peso no futebol.

Admito que pra mim um empate em Dublin estaria de ótimo tamanho; com a vantagem, a coisa fica pra lá porreta, em bom brasilianês. De positivo, ainda, vimos grandes atuações do goleirão Hugo Lloris – que pode ser considerado salvador da pátria no Croke Park – e do elegante meia Yohann Gourcuff, considerado pela Fifa como o “homem da partida”.

O lado negativo do que rolou no sábado foi a lesão do zagueiro e lateral-esquerdo Eric Abidal. O defensor do Barcelona, que participou do jogo inteiro, teve diagnosticado posteriormente um problema muscular na coxa esquerda, sendo obrigado a amargar três semanas de estaleiro. Ele se junta ao volante Jérémy Toulalan, poupado do duelo na Irlanda por conta de contusão nos músculos adutores. Mas nada que cause muita dor de cabeça a Raymond Domenech, muito próximo de calar seus inumeráveis críticos quando garantir a vaguinha no Mundial.

Lionês no Brasil

Michel, trombando com Wayne Rooney (AFP)

Michel, trombando com Wayne Rooney (AFP)

Michel Bastos estreou pela seleção pentacampeã mundial no amistoso contra a Inglaterra também no sábado, no Catar. Há que se fazer algumas ressalvas: no Lyon ele vem sendo aproveitado como meia, e com Dunga foi lateral-esquerdo; se o convocado Fábio Aurélio não tivesse se contundido na semana passada, provavelmente Bastos começaria na reserva; o Brasil tinha alguns reservas, e a Inglaterra vários, para não dizer quase todos.

Mas o que mais importa é que ele teve sua chance a alguns meses da Copa. É verdade que foi discreto, se preocupou muito com a marcação pelo seu setor e só chegou com perigo ao ataque em um chute que passou perto da trave inglesa. Só que seus poucos erros não viraram cagadas e o arroz-com-feijão parece tê-lo agradado. Amanhã, contra Omã (rima!), ele deve ser titular novamente. Contra um adversário mais frágil e sem o peso da primeira vez, tomara que tenha mais confiança para ousar e isso faça diferença para o capitão do tetra.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sábado, 14 de novembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 19:53

Irlanda 0 x 1 França

Compartilhe: Twitter
Lloris e Keane: franceses fizeram mais que segurar os irlandeses (AFP)

Lloris e Keane: franceses fizeram mais que segurar os irlandeses (AFP)

Na segunda-feira, comento a vitoria dos Bleus (gol de Anelka), que abrem vantagem na repescagem e se aproximam da Copa! Mas se quiser, comente ai embaixo.

Veja o gol da partida em Dublin: Lass passa para Gourcuff, que toca de primeira para Anelka. O chute do atacante do Chelsea, aos 27 minutos do segundo tempo, desvia no zagueiro St Ledger, mata o goleiro Given, bate na trave e entra. Nada mal a sorte francesa:

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 13 de novembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 19:17

Tudo que cerca o pega de amanhã

Compartilhe: Twitter
Henry e Domenech, já em Dublin: é hora de deixar as diferenças de lado (AFP)

Henry e Domenech: é hora de deixar as diferenças de lado (AFP)

 

O escrete que Raymond Domenech deve levar a campo contra a Irlanda, é: Lloris; Sagna, Gallas, Abidal e Evra; Lassana Diarra, Toulalan (Alou Diarra), Gourcuff e Henry; Gignac (Govou) e Anelka. Toulalan segue bastante incerto, mas Gignac participou normalmente do último treino antes da viagem para Dublin.

Os donos da casa devem aparecer com Given; Dunne, St. Ledger, O’Shea e Kilbane; Duff, Andrews, Rowlands e McGeady; Keane e Doyle. O árbitro é o alemão Felix Brych, auxiliado por seus compatriotas Thorsten Schiffner e Mark Borsch. As apostas irlandesas estão na força física dos comandados pelo italiano Giovanni Trapatoni e nas jogadas de bola parada, o que não é nenhuma novidade. Ah, todos os titulares atuam no futebol inglês.

Como eu já tornei público ontem, a partida de ida da repescagem das Eliminatórias Europeias para a Copa começa às 18h de Brasília, ao vivo na TV5 e com transmissão em VT pelo SporTV2 às 21h30. Quem quiser (ou só puder) acompanhar pela internet, pode clicar no Placar iG.

A França tem cinco jogadores pendurados com cartões amarelos, que ficarão de fora do jogo de volta na quarta-feira, em Saint-Denis, se levarem mais uma advertência: Sagna, Abidal, Gallas, Evra e Gourcuff.

Os países já se enfrentaram em cinco Eliminatórias para Copa, com retrospecto amplamente favorável aos franceses:

Pré-Copa de 1954: Irlanda 3 x 5 França / França 1 x 0 Irlanda (FRA 1 x 0 IRL)
Pré-Copa de 1974:  Irlanda 2 x 1 França / França 1 x 1 Irlanda (FRA 1 x 1 IRL) – Domenech debutou como jogador na seleção
Pré-Copa de 1978: França 2 x o Irlanda / Irlanda 1 x 0 França (FRA 2 x 1 IRL)
Pré-Copa de 1982: França 2 x 0 Irlanda / Irlanda 3 x 2 França (FRA 3 x 1 IRL)
Pré-Copa de 2006: França 0 x 0 Irlanda / Irlanda 0 x 1 França (FRA 4 x 1 IRL) – Com gol de Henry, a seleção se garantiu no Mundial da Alemanha

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 30 de outubro de 2009 Eliminatórias da Copa | 16:40

Dissecando a Inglaterra B

Compartilhe: Twitter

Ainda torcendo pela recuperação plena de Thierry Henry no Barcelona – o atacante foi liberado para voltar aos treinos hoje -, a França já sabe que não poderá contar com um reforço de peso para o ataque nos duelos pela repescagem das Eliminatórias europeias: Franck Ribéry sofreu inflamação em um tendão próximo ao joelho esquerdo e só deve voltar ao Bayern de Munique no final de novembro. No gol, se optar por manter Hugo Lloris e deixar Steve Mandanda no banco, Raymond Domenech deve irritar o Olympique de Marselha, que conta com seu arqueiro titular no clássico contra o Paris Saint-Germain – a partida, adiada da 10ª rodada por conta da gripe suína no PSG, ocorrerá no dia 20, dois dias após a decisiva volta de França x Irlanda.

O principal assunto deste texto será o selecionado irlandês, última pedra no caminho francês para a Copa do Mundo de 2010. Já falei da campanha dele nas Eliminatórias, vice-líder do grupo da Itália. Agora vamos aos jogadores que formam a base da equipe. Domenech classificou o time como uma espécie de “Inglaterra B”, referindo-se ao fato de a maioria dos jogadores da equipe adversária atuar no futebol inglês. Na visão do treinador dos Bleus, isso é uma vantagem, pois muitos dos seus atletas conhecem os rivais por jogarem frequentemente com ou contra eles.

Para se ter uma ideia, nos últimos dois jogos do qualificatório, contra Itália e Montenegro, apenas dois convocados pelo técnico italiano Giovanni Trapattoni (à frente da Azurra no Mundial de 2002) não eram de clubes ingleses, e sim escoceses: os meias Aiden McGeady, do Celtic, e Liam Miller, do Hibernian. Com um treinador experiente e jogadores acostumados a um campeonato de alto nível como a Premier League, não é descabido esperar dureza para os gauleses a partir do dia 14.

Veja idade, tempo de seleção e onde atuam os principais integrantes da campanha irlandesa nas Eliminatórias, bastante rodados e à moda inglesa: 

Shay Given (goleiro) – 32 anos, na seleção desde 1996, atua no Manchester City (ING)
Richard Dunne (zagueiro) – 30 anos, na seleção desde 2000, atua no Aston Villa (ING)

Sean St Ledger (zagueiro) – 24 anos, na seleção desde 2007, atua no Middlesbrough (ING)
John O’Shea (zagueiro, lateral e volante) – 28 anos, na seleção desde 2001, atua no Manchester United (ING)
Kevin Kilbane (meia) – 32 anos, na seleção desde 1997, atua no Hull City (ING)
Glenn Whelan (meia) – 25 anos, na seleção desde 2007, atua no Stoke City (ING)
Stephen Hunt (lateral-esquerdo e meia) – 28 anos, na seleção desde 2007, atua no Hull City (ING)
Damien Duff (meia) – 30 anos, na seleção desde 1998, atua no Fulham (ING)
Keith Andrews (meia) – 29 anos, na seleção desde 2008, atua no Blackburn (ING)
Leon Best (atacante) – 23 anos, na seleção desde maio, atua no Coventry City (ING – 2ª divisão)

Kevin Doyle (atacante) – 26 anos, na seleção desde 2005, atua no Wolverhampton (ING)
Robbie Keane (atacante) – 29 anos, na seleção desde 1998, atua no Tottenham (ING)

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 19 de outubro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 23:09

Escala na Irlanda

Compartilhe: Twitter

Calma, não vou esquecer de falar da rodada do Francês, a nona, deste fim de semana recém-passado. Mas hoje temos dois concorrentes de peso para a Ligue 1: a definição do rival francês na repescagem das Eliminatórias e a menção ao impactante duelo entre Lyon e Liverpool, amanhã, pela Liga dos Campeões.

Primeiro, Eliminatórias europeias
Entre Ucrânia, Bósnia, Eslovênia e Irlanda, a seleção francesa vai ter que enfrentar a última para poder viajar para a África do Sul na condição de país participante da Copa do Mundo de 2010. O sorteio aconteceu hoje, pela Fifa, e nos diz que a parada vai ser dura – provavelmente um jogo de muita paciência, porque os irlandeses ficaram em segundo lugar no grupo 8 (que tinha também Itália, Bulgária, Chipre, Montenegro e Geórgia) graças sobretudo a uma sólida defesa.

Em dez partidas, a Irlanda venceu quatro, empatou seis e não perdeu nenhuma – nem mesmo as duas disputadas contra os atuais campeões do mundo, que sofreram para empatar em Dublin -, tendo marcado 11 gols e sofrido sete. Com um futebol que tradicionalmente não encanta nem destoa dos demais, mas acaba sendo eficiente, deixou os cotados búlgaros e ascendentes cipriotas para trás e se garantiu como vice-líder da chave. Ou seja, promessa de endurecimento para os Bleus, que jogam a ida fora de casa, dia 14, e a volta na França, quatro dias depois (sinceramente, não vejo vantagem em decidir a parada em casa; se você vai mal na ida, a pressão depois diante de sua torcida é absurda…). Se tabu serve de consolo, os rivais não marcam gols nos franceses há quatro jogos.


Segundo, Ligue 1

Desta vez com menos espaço, mas sem destacar a grata surpresa chamada Montpellier, agora co-líder ao lado do Lyon com 20 pontos em nove partidas. Para que isso acontecesse, é claro que o OL teve de tropeçar, e foi um senhor tropeço, contra o então frágil Sochaux, na época o 14º, em pleno Gerland, por 2 a 0. E também, obviamente, que o MHSC teve de vencer, e nesse caso fez a lição de casa apropriadamente ao derrotar o Saint-Etienne, por 2 a 1.

Na cola dos ponteiros, despontam na tabela Bordeaux (19 pontos), Monaco (18), Olympique (17) e Lorient (17). Destes quatro, os Girondinos foram a Auxerre e se deram mal (1 a 0), permitindo a aproximação dos outros três, que venceram seus compromissos. Em alto relevo, eis a subida de Nenê, autor dos dois gols monegascos contra o Lens, ao topo isolado da artilharia, com sete gols em nove jogos, o que dá uma excelente média de 0,78. Brandão foi outro brazuca que marcou, na vitória do OM em Nancy, e agora soma três na tabela de goleadores. 

A nota triste é o Paris Saint-Germain, onde nada vai bem: derrota para o Toulouse, desempenho fraquíssimo nas últimas partidas – apenas três pontos conquistados dos 15 últimos disputados – e sem poder contar com a referência ofensiva Guillaume Hoarau, com ruptura ligamentar no joelho, pelo resto do ano. Rapaz…

Terceiro, Champions League
Finalmente, a Liga dos Campeões da Europa. É bom que o Lyon se esqueça logo do Sochaux porque nesta terça vai encarar simplesmete o Liverpool em Anfield Road e, o que acho que é pior, com o time inglês pressionado pelos últimos resultados decepcionantes. O pega vai ter acompanhamento em tempo real pelo Placar iG e transmissão ao vivo pela ESPN Brasil a partir das 16h30 de Brasília.

Na quarta, teremos Bordeaux x Bayern de Munique e Zurique x Olympique de Marselha. Considerando que na quinta ainda tem Liga Europa, com Lille e Toulouse, a semana promete!

Nenê (futuro Rei de Mônaco??) converte pênalti contra o Lens (AP)

Nenê (futuro Rei de Mônaco??) converte pênalti contra o Lens (AP)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última