Publicidade

Posts com a Tag Gourcuff

terça-feira, 15 de setembro de 2009 Brasileiros contra a França, Brasileiros na França, Torneios europeus | 17:39

Até aqui, França 2 x 3 Itália

Compartilhe: Twitter

Não é todo dia que times franceses enfrentam rivais do porte de Milan e Juventus (de Turim, não da Mooca!). Ainda mais ao mesmo tempo, por uma Liga dos Campeões. Portanto, fiquei de olho na TV que passou o Bordeaux (cujo áudio na redação do iG teve de competir com Zurich x Real Madrid) e ouvido na rádio que transmitiu o Marselha. O que deu pra pescar:

Olympique 1 x 2 Milan

Pippo e Heinze (AFP)

Pippo e Heinze (AFP)

Chuva em Marselha e muito equilíbrio no minutos iniciais. Aos 27 minutos, porém, Filippo Inzaghi, velho de guerra no faro de gol, fez um a zero (apêndice: não fiquei com raiva, pois Pippo é o cara pelo histórico que tem!), após bela trama envolvendo Alexandre Pato e Clarence Seedorf (que de claro não tem nada…), que achou o camisa 9 dentro da área, coisa que a zaga marselhesa não conseguiu fazer!

O Marselha partiu para cima, Lucho González chamou o jogo, mas no primeiro tempo, nada, até porque Storari, que deixou Dida na reserva, foi muito bem sob a meta milanesa. Até que aos 4 minutos da segunda etapa, Heinze cabeceia e ela passa debaixo das pernas do arqueiro (é só elogiar…), empatando. Os donos da casa ganharam ânimo, com Niang e Cheyrou dando muito trabalho aos visitantes. Mesmo sem merecer, o Milan foi novamente eficiente: de novo linda assistência de Seedorf e de novo conclusão oportunista de Inzaghi: 2 a 1. Houve mais pressão do OM, mas valeu a experiência rossonera, que nem precisou de Ronaldinho Gaúcho, todo banco hoje.

Juventus 1 x 1 Bordeaux

Amauri e Fernando

Amauri e Fernando

De vermelho, os Girondinos não se impressionaram com o Delle Alpi e começaram tocando bem no campo da Juve, com Fernando Menegazzo mostrando personalidade. Pelos italianos, Amauri era o perigo. Coincidentemente, começou a chover também em Turim. Sem muito perigo para as duas defesas, o primeiro tempo ficou no zero.

Nos três minutos iniciais do segundo tempo, Gourcuff teve duas boas chances, mas esbarrou no ótimo Buffon. Logo depois, Iaquinta perdeu grande chance para a Vecchia Signora. Aos 9, um fato inusitado: Carrasso se machucou e deu lugar para Ramé. O reserva pegou os dois primeiros chutes que vieram, mas não o terceiro, de Iaquinta, que bateu rasteiro e abriu o placar aos 17. Com o Bordeaux tendo que sair, deixou perigosos espaços para a Juventus ampliar, mas foi competente: aos 30, o volante tcheco Plasil aproveitou cruzamento e, em posição duvidosa, empurrou livre para as redes. A partida ganhou mais emoção, com os donos da casa pressionando, inclusive com bola no travessão, e os visitantes respondendo, sobretudo com Gourcuff. No fim, o empate foi bom para o campeão francês.

Lyon x Fiorentina, amanhã
O duelo não é nada novo pela Liga: na última edição, as equipes se encontraram também na fase de grupos, e deu empate na França e vitória lionesa na Itália. Por isso, a Viola não esconde que quer revanche. Os problemas do OL estão na defesa: Boumsong é desfalque, com lesão na virilha. Como Anderson ainda se recupera de uma lesão na perna, restam apenas dois zagueiros em condições: Cris e Mathieu Bodmer. Com Michel Bastos e Lisandro López em alta, dá pra vencer.

Antes de encerrar: Anelka, outro bom e velho, marcou o gol da vitória do Chelsea sobre o Porto. No Real, Lass foi titular e Benzema preterido por Higuaín, não entrando na goleada por 5 a 2 na Suíça.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 18:00

Pelo menos a repescagem: obrigação!

Compartilhe: Twitter

Cheguei mais cedo à redação do iG para acompanhar Sérvia x França ao vivo. Mais cedo, para mim, é 16h mesmo, porque às quartas eu costumeiramente faço o peculiar horário das 17 às 25 horas… Logo de cara, tive que aguentar os colegas jornalistas torcendo contra os bleus, afinal eles comungam do surpreendente fato de serem… brasileiros. Bom, vamos ao que rolou em Belgrado.

Logo aos 8 minutos, não poderia ficar pior: Lloris derruba Zigic na área, é expulso e o pênalti está marcado. Quatro minutos depois, Gignac é sacrificado e Mandanda vai para o gol, mas o placar está aberto: Milijas bateu no alto, com eficiência, 1 a 0. 

Indecisão de Gallas e Abidal + precipitação de Lloris = tudo mais difícil (AFP)

Apesar de jogar com um a menos, a França adiantou a marcação, afinal, para a Sérvia, o jogo podia acabar ali. Mas chegar à área adversária estava difícil; aos 24, Gourcuff tentou de longe, mas o chute foi mais longe ainda. Henry brigava muito, mas nada produtivo. 

Até que os franceses “acharam” um gol: Anelka abriu espaço, chutou na direção de Stojkovic mas o goleirão bateu roupa e largou nos pés de Thierry: 1 a 1 e sobrevida aos Bleus! A partida ficou equilibrada, com os visitantes, com destaque para Lass, se defendendo bem das investidas de Stankovic e companhia. O volante do Real Madrid faria a primeira boa jogada do 2º tempo, arrancando pelo meio e provocando o primeiro cartão amarelo do jogo, justamente para o meia da Inter de Milão. 

Em três minutos, dois lances de perigo: Anelka chutou bola venenosa aos 12, deixando Stojkovic irritado com sua defesa. Aos 15, Mandanda foi testado e respondeu muito bem, desviando bomba de Jovanovic que explodiu no travessão. O duelo ficava mais aberto e agradável de acompanhar, pois a Sérvia, buscando o ataque, dava espaços para Henry e Anelka. Evidentemente, os ânimos se acirraram também.

Aos 30, Domenech trocou Henry por Ribéry, afinal um gás extra era necessário no ataque francês, sempre minoria contra a defesa sérvia. Estar em desvantagem numérica aumentava o número de faltas cometidas e cartões amarelos para o lado dos Bleus. Também cansado, Gourcuff deu lugar a Alou Diarra aos 40 minutos. Com 44, Lazovic leva vermelho por reclamação, mas aí era tarde demais para a França: fim de papo, 1 a 1. 

Não veio a vitória, mas ainda restam razões para se manter a cabeça erguida (AFP)

Agora o babado é o seguinte: restam duas rodadas para todos no grupo 7 (seis pontos a disputar) e quatro pontos separam a vice França tanto da líder Sérvia quanto da terceira, a Áustria. Ou seja, ganhar as duas próximas é preciso para manter alguma chance de liderança ou, se apenas sobrar a segunda colocação, espantar a possibilidade de ser a pior segunda colocada dos nove grupos europeus. Veja os próximos jogos: 

10 de outubro 
França x Ilhas Faroe 
Áustria x Lituânia
Sérvia x Romênia

14 de outubro
 
França x Áustria
Romênia x Ilhas Faroe
Lituânia x Sérvia

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 5 de setembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 06:02

Vale a vida nas Eliminatórias

Compartilhe: Twitter

Siguinte, Ribérra: se não vencer pelo menos uma das próximas duas, a turma dança (AP)

A França tem pela frente a Romênia neste sábado, às 21 horas locais, por mais uma rodada do grupo 7 das Eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2010. Mas não se trata de só mais um jogo, o que para o grupo de Raymond Domenech não é novidade, já que a necessidade de somar pontos vem sendo uma constante desde o começo do ano.

O trio de arbitragem no Stade de France será croata, numa partida que interessa diretamente outra ex-república iugoslava, a Sérvia. Porque os franceses estão cinco pontos atrás dos sérvios, líderes da chave, que têm um jogo a mais. Porque se les Bleus vencerem, a diferença cai para dois pontos. Porque Sérvia x França é o jogaço de quarta-feira que vem, entre os dois maiores cotados para a liderança do grupo, que vale vaga direta na África do Sul – o segundo da chave terá que se matar em um mata-mata contra um outro segundo europeu.

Nas equipes prováveis para o prélio (como dizem os palmeirenses), é alentador saber que Adrian Mutu não joga do outro lado. A França deve alinhar com Lloris (ou Mandanda); Sagna, Gallas, Abidal (ou Escudé) e Evra; Lassana Diarra, Toulalan e Gourcuff; Anelka, Henry e Benzema (ou Gignac). A Romênia, com Coman; Maftei, Radoi, Chivu e Rat; Mara, Max Nicu, Ghioane e I. Apostol; Surdu e Marica.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 24 de agosto de 2009 Brasileiros na França, Francês da 1ª divisão, Torneios europeus | 23:11

Voltamos à normalidade

Compartilhe: Twitter

Nenê agradece ao Papai pelo gol na vitória monegasca sobre o Lorient (AFP)

Até a rodada passada, tínhamos o Nancy como grata surpresa entre os líderes da Ligue 1. Exactement: tínhamos. Ao fim da terceira journée, o Bordeaux lidera isolado, seguido por Lyon, PSG e Olympique, empatados. Ou seja, voltamos ao estado natural das coisas, nos seguintes termos: os quatro grandes comandam.

A façanha de ganhar todas as partidas disputadas, entretanto, cabe só ao atual campeão. Na segunda partida em casa, os Girondinos golearam de novo, por quatro gols novamente, e já somam 11 tentos em 3 jogos. Nos 4 a 0 sobre o time da tia Nice, pobrezinha, dois foram do mestre Gourcuff, um de Alou Diarra e outro do compatriota Jussiê. O até então surpreendente Nancy caiu na real ao cair em Le Mans: 2 a 1 para os donos da casa.

PSG e Lyon mostraram força e triunfaram longe dos seus domínios. O primeiro fez 3 a 2 no Valenciennes (o bom Luyiundula marcou) e o segundo aplicou 3 a 0 no Auxerre, com o já mencionado uniforme-marca-texto (veja post “Fim de semana na redação 1”), gols de Boumsong (uma pintura de letra, acredite!), Makoun e Pjanic – o bósnio a cada jogo mostra seu valor. 

O Marselha ficou no empate com o Rennes, 1 a 1. Como foi fora de casa e o rival não é pouca coisa, beleza vai. E os destaques brazucas ficam para Nenê, ex-Palmeiras e Santos, e Eduardo Santos, importantes para colocarem Monaco e Lens em boa situação na tabela (que você pode CONFERIR AQUI).

>> LIGA DOS CAMPEÕES: Amanhã acontece o jogo de volta entre Lyon e Anderlecht, às 15h30, e quem quiser acompanhar lance a lance pode clicar no Placar iG!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 14 de agosto de 2009 Extracampo, Francês da 1ª divisão, Franceses no mundo | 22:04

Uma gracinha e uns golaços

Compartilhe: Twitter

*FRANCK RIBÉRY não é propriamente um galã. Aliás, muito pelo contrário, quem o conhece há de concordar. Eu o conheço bem: de fotos e vídeos… Mas dependendo da incidência da luz e certos retoques, o Scarface pode até se tornar um cara com algum atrativo… Não me estranhem, heim… Mas vejam que olhar!

*NA SEGUNDA, EU DISSE aqui que o golaço da goleada do Bordeaux sobre o Lens foi de Gourcuff. Oui, claro que foi. Mas também foi golaço a pintura de Wendell, e para destacar ambos os feitos, eis um vídeo com gols e melhores momentos do 4 a 2:

*AH, UM SALVE para o tenista francês Jo-Wilfried Tsonga, que nesta sexta conseguiu a proeza de eliminar o número 1, Roger Federer, do Masters de Toronto, no Canadá. Ele enfrenta o britânico Andy Murray nas semifinais. Allez, Jo-Tson!

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 12 de agosto de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 15:01

Para o gasto e os três pontos

Compartilhe: Twitter



André-Pierre Gignac foi um dos raros a se destacar na ilha dinamarquesa

Não foi apenas o Brasil que enfrentou um inusitado adversário nesta quarta. Se a pitoresca Tallinn, na Estônia, viu o desfile dos pentacampeões mundiais, a gloriosa Torshavn, nas Ilhas Faroe, recebeu a França, que também tinha toda a obrigação da vitória. Não só pelo abismo técnico-estrutural entre as seleções, mas porque no caso francês se tratava de compromisso pelas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo e uma chance imperdível de diminuir a diferença de 8 pontos para a líder Sérvia, com dois jogos a mais.

Raymond Domenech começou a única partida do grupo 7 nesta quarta com Lloris, Sagna, Gallas, Escudé e Evra; Lassana Diarra, Toulalan e Gourcuff; Anelka, Gignac e Malouda. E a superiodade visitante se fez sentir na primeira etapa, na posse de bola e chances criadas de gols: foram 17 chutes a gol contra apenas 1 dos anfitriões! Mas nada de bola na rede…

Isso até o artilheiro do último Francês evitar dores de cabeça no treinador um pouco antes do intervalo: aos 42 minutos, Gignac recebeu do sempre perigoso Malouda dentro da área, girou e chutou no cantinho, para abrir o placar e fazer seu primeiro gol pelos Bleus. Sem poder contar com o novamente machucado Henry, Domenech encontrou, no jogador do Toulouse, um atacante com muita presença ofensiva na partida.

Aos 20 do 2º tempo, Ribéry, voltando de lesão, veio para o lugar de Malouda. O rápido ponteiro do Bayern de Munique mostrou estar recuperado, se movimentando bem. A França voltava a tocar a bola no ataque, mas Faroe se fechava bem, como se estivesse ganhando, afinal time pequeno até quando ataca tem que pensar em se defender… Gignac, Anelka e Gourcuff perdiam boas chances (inclusive houve um gol do girondino anulado acertadamente por impedimento), e, tirando um ataque ou outro dos donos da casa, Les Bleus não tiveram mais com o que se preocupar.

O magrinho 1 a 0, com a cara de Domenech, pode parecer frustrante pela goleada perfeitamente viável que se propunha. Mas os três pontos foram garantidos, e agora restam cinco para a Sérvia. Como ainda há um jogo a menos e o confronto direto entre líder e vice, matematicamente é possível alcançar o topo em caso de duas vitórias. A França pode continuar não convencendo, mas, se chegar à África do Sul, isso vai ser mero detalhe.

{ detalhes, comentários, números e lance a lance do jogo você encontra no tempo real da France Football }

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 10 de agosto de 2009 Brasileiros na França, Francês da 1ª divisão | 22:55

Bordeaux bastante auspicioso

Compartilhe: Twitter

 
Wendell mostra quem continua no topo do futebol na França

Retornamos! O Campeonato Francês e o metido a francês nesta URL. Foram 27 gols nos 10 primeiros jogos, uma média nada mal para um futebol considerado enfadonho por alguns injustos detratores. Os resultados? Voilá: 

Bordeaux 4 x 1 Lens
Grenoble 0 x 2 Marseille 
Le Mans 2 x 2 Lyon
Montpellier 1 x 1 Paris S.G.
Monaco 1 x 0 Toulouse
Saint-Etienne 0 x 2 Nice
Rennes 3 x 0 Boulogne-sur-Mer
Lille 1 x 2 Lorient
Valenciennes 1 x 3 Nancy 
Auxerre 0 x 1 Sochaux 

Ou seja, a goleada veio justamente do campeão, diante de mais de 30 mil entusiasmados torcedores, com direito a gol brasileiro (Wendell) e golaço de quem sempre resolve para os Girondinos: Gourcuff, que aliás fez dois. Confesso que só vi os gols do jogo, mas já dá pra dizer que as previsões são excelentes para quem busca o bi. O Marselha não fez feio, e graças a Cheyrou e Niang bateu o Grenoble, fora.

Os que derraparam, a exemplo do que fizeram na fase final da última Ligue 1, foram Lyon e PSG. Com Cris, Ederson e a novidade Michel Bastos, o OL só não perdeu porque o argentino Lisandro López marcou aos 45 do 2º tempo. O time da capital viveu cenas diferentes e desfecho semelhante: saiu na frente do Montpellier, com o veterano Giuly, mas cedeu a igualdade aos 49 da etapa complementar, vendo a vitória fora de casa ir para o espaço.  

Merece registro ainda o gol de Nenê, ex-Santos e Palmeiras, responsável pelo triunfo do Monaco. Já teve gente palpitando aqui sobre melhores e piores para esta temporada, no post anterior, mas sou deveras cauteloso (porque não pega bem dizer cagão) e não digo nada hoje que não seja: Bordeaux favorito, pelo entrosamento do grupo que permaneceu junto e permanece jogando bem.

Amanhã devo trazer as novidades dos times para a temporada, resultados do entra e sai da janela europeia (que aliás ainda vai até o dia 31). E na quarta tem Ilhas Faroe x França, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Agora deixa eu descansar porque tô desacostumado com a rotina de trampo, que recomeçou pesado!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 8 de junho de 2009 Francês da 1ª divisão | 21:18

Quem seria a jóia de Deschamps?

Compartilhe: Twitter

“Para o gol” é o que se espera que Deschamps não apenas leia, mas realize no OM (clique para ampliar)

Didier Deschamps, novo técnico do Olympique de Marselha, conversou com a France Football e já apresentou seu projeto para o clube. Em entrevista cuja íntegra será publicada nesta terça-feira, o substituto de Eric Gerets identificou uma falha grave do time no último Francês (perder pontos em demasia no Vélodrome) e deixou claro que pretende contar com novas e prontas peças para fortalecer o elenco.

Além disso, DD simplesmente afirmou: “Quero um Juninho ou um Gourcuff” (só você, meu filho??). Ou seja, um meia capaz de ser decisivo e marcar gols (coisa que Ben Arfa poderia fazer, mas não vem fazendo). Como Juninho não joga mais na França e Gourcuff não deixa Bordeaux tão cedo, os dois só valem como metáfora. Quem seria a jóia de Deschamps ao alcance do Marselha? Um Michel Bastos estaria de bom tamanho??

Falando em novo técnico, o mercado francês anda agitado desde o fim da Ligue 1, há pouco mais de uma semana. Veja como foi o troca-troca (com todo o respeito) dos últimos dias na França:

Paris Saint-Germain: Antoine Kombouaré subiu na vida ao se mudar de Valenciennes para Paris
Monaco: rompeu o namoro com o brasileiro Ricardo Gomes e assumiu outro com Guy Lacombe, ex-Rennes
Rennes: como perdeu Lacombe, foi atrás de Frederic Antonetti, ex-Nice
Le Mans: trouxe o português Paulo Duarte, que conciliará o cargo com a seleção de Burkina Faso (caraca!)
Saint-Etienne: renovou com o técnico que deu o último caneco ao Lyon, Alain Perrin
Valenciennes: contratou Philippe Montanier, que levou o Boulougne-sur-Mer pela 1ª vez à Ligue 1
Boulogne-sur-Mer: o calouro agora conta com Laurent Guyot, ex-defensor do Nantes de 39 anos* 
Montpellier: “recém-subido” da Ligue 2, trocou Rolland Courbis por René Girard*incluído no dia 09/06

 

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 5 de junho de 2009 Seleção francesa | 17:59

Um ooutro jogo

Compartilhe: Twitter

Depois de uma fraca apresentação contra a Nigéria, Raymond Domenech felizmente percebeu que era necessário colocar em campo uma outra França contra a Turquia. E foi literalmente o que aconteceu, pois, com exceção de Anelka e Benzema, todo o restante da escalação foi trocada, do goleiro ao meia-atacante. Os onze bleus quando a bola começou a rolar em Lyon eram Lloris; Sagna, Méxès, Boumsong e Abidal; Lassana Diarra, Toulalan e Gourcuff; Malouda, Anelka e Benzema.

A equipe começou com boa posse de bola, lances de habilidade e muita disposição. Diante de uma Turquia preocupada primeiro em se defender para depois sair para o jogo, eram poucos os espaços existentes para lances de perigo, o que ficou ainda mais evidente quando a chuva apertou sobre o estádio Gerland. Mesmo assim, Malouda demonstrava que sua presença era importante entre os titulares, principalmente se seu colega de ataque na seleção é o mesmo de Chelsea – no caso, Anelka, esse aí da foto.  

As melhores chances de gol no 1º tempo vieram somente depois dos 30 minutos. Aos 31, Anelka carregou a bola do meio-de-campo até a área turca, pela direita, mas chutou muito mal, torto. No minuto seguinte, os visitantes chegaram com perigo e só não abriram o placar porque Sahin, livre no meio da área, errou por muito pouco o canto de Lloris.

Até que aos 37 veio o presente que Domenech queria: bola alçada para Anelka, o zagueiro Üzülmez Ibrahim tenta recuar para o goleiro Volkan Demirel, mas cabeceia para o lado, como se driblasse o companheiro. Antes que o 39 da França pudesse marcar, Ibrahim fez pênalti e acabou expulso. A cobrança de Benzema não foi um primor, mas o chute saiu mais forte do que Demirel pudesse desviar, abrindo o placar do jogo.

Mesmo jogando em sua casa, no Gerland, Benzema acabaria substituído na volta para o 2º tempo, dando lugar a Gignac, artilheiro do Francês 2008/2009. O atacante do Toulouse não perdeu tempo e mostrou personalidade: nas três bolas que recebeu em condições de finalizar, assim o fez, mas só a primeira levou mais perigo ao goleiro “vulcânico”.

Aos 13, as últimas mudanças de Domenech: Ribéry e Govou vieram para os lugares de Anelka e Malouda. Os Bleus ganharam em poder ofensivo, abafando as vaias dos muitos torcedores turcos presentes em Lyon. Ribéry teve ótima chance de frente para o crime, mas chutou no pé de Demirel – o atacante do Bayern de Munique também tem condições de ser titular. Preocupado em resguardar o meio, Gourcuff estava mais discreto do que o usual, no Bordeaux, e Toulalan cumpria muito bem as funções de desarmar os rivais e iniciar as jogadas de ataque.

Pouco antes dos 30 minutos, Lloris mostrou serviço com a sorte que faltou a Mandanda na terça: bola cruzada rasteira na área, Méxès desviou para atrás e o goleiro do Lyon, quase passando da bola, desviou com o pé. Em seguida, a torcida turca mostrou falta de civilidade: atirou vários rojões em torno do gramado, atrás do gol de Lloris, obrigando o árbitro alemão Manuel Grafe a interromper a contenda. Um barrigudo sem camisa (lamentável) invadiu o gramado (duplamente lamentável) e teve de ser contido. Até o capitão Tuncay Sanli perdeu a paciência, indo até os baderneiros, também repreendidos por um sujeito que tomou o microfone do estádio e deu uma bronca geral…  

Os últimos minutos da partida, sob chuva com momentos de enxurrada, viram uma bateria de chances desperdiçadas da parte dos franceses, com Govou (trave), Gignac, Ribéry e Boumsong (de cabeça). No fim das contas, não foi uma apresentação brilhante, mas de conclusões esperançosas a Domenech e companhia pelo que se criou em campo. Em relação ao que se viu na terça-feira, com certeza um ooutro jogo (com dois “o” mesmo). 

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 3 de junho de 2009 Brasileiros na França, Francês da 1ª divisão | 21:13

Onze melhores e um golaço

Compartilhe: Twitter

Pouco conhecidos fora da França, Gignac e Hilton estão no top onze gaulês (AFP)

Antes mesmo de terminado o Campeonato Francês, a Union Nationale des Footballeurs Professionnels (UNFP) elegeu a seleção da temporada por lá. O evento também exaltou Yoann Gourcuff como o melhor da temporada, e é bom lembrar que o Bordeaux prestou um belo serviço aos seguidores da Ligue 1 segurando seu craque por mais quatro anos, para exaltação deste Le Blog.

Vamos aos onze escolhidos pela UNFP (uma seleção bem ofensiva, como é típico das eleições pós-torneios), com os respectivos pitacos deste que vos escreve:

Goleiro: Hugo Lloris (Lyon) – justo, embora Domenech prefira Mandanda na seleção
Lateral-direito: Rod Fanni (Rennes) – não conheço, mas foi titular da França ontem (qual será seu signo?)
Zagueiro: Hilton (Olympique de Marselha) – não vi muitos predicados, mas fico feliz pelo compatriota
Zagueiro: Souleymane Diawara (Bordeaux) – justo, xerifão que sai para o jogo com estilo e é forte no cabeceio
Lateral-esquerdo: Taye Taiwo (Olympique) – justo, apoia o ataque e cruza muito bem
Volante: Benoît Cheyrou (Olympique) – injusto, prefiro o girondino e campeão Fernando
Meia: Michel Bastos (Lille) – justíssimo, o brazuca foi o rei das assistências no torneio
Meia: Yoann Gourcuff (Bordeaux) – habilidoso, eficiente e decisivo (além de elogiado por mulheres…) Precisa mais?
Meia: Stéphane Sessègnon (Paris Saint-Germain) – habilidoso, mas poderia ser mais eficiente e decisivo
Atacante: Guillaume Hoarau (PSG) – justo: 17 gols em 33 jogos (média de 0,51), vice-artilheiro
Atacante: André-Pierre Gignac (Toulouse) – ser artilheiro fazendo sete gols a mais que o vice (24 em 38 – jogou todas as rodadas, o que mostra disciplina para evitar suspensões) não pode deixá-lo de fora

Aproveitando que o assunto é a nata do futebol francês, eis o gol que deu a Gourcuff mais um prêmio da UNFP. O tento contra o PSG, na goleada por 4 a 0 em Bordeaux (abertura do 2 º turno), foi eleito o mais bonito do campeonato. Assista e aplauda:

 

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 7
  3. 8
  4. 9
  5. 10
  6. 11
  7. Última