Publicidade

Posts com a Tag Escudé

quarta-feira, 13 de abril de 2011 Extracampo, Seleção francesa | 19:11

Internautas escolhem Sakho para o lugar de Mexès

Compartilhe: Twitter

Com Philippe Mexès fora de combate pelos próximos meses, Laurent Blanc deverá arrumar outro titular ao lado de Adil Rami na zaga da seleção francesa para os jogos que se avizinham.

Enquete promovida pelo site da revista France Football revelou a preferência dos internautas por Mamadou Sakho, beque do PSG (acho que a popularidade do time da capital pesou na escolha dos votantes tanto quanto os critérios técnicos…), como se vê:

> Mamadou Sakho (PSG):  52%
> Laurent Koscielny (Arsenal, ING):  25%
> Sebastien Squillaci (Arsenal, ING):  8%
> Younes Kaboul (Tottenham, ING):  5%
Julien Escudé (Sevilla, ESP):  2%
> Um outro:  7%
(número de votos: 10.577)

Sakho disputa bola com Yohan Mollo no último jogo do PSG, contra o Caen (AFP)

Eu daria mais chances a Kaboul, gostei do que vi dele em campo. Mas o jogador do Tottenham* também está fora de combate… Então fico com Koscielny, acho mais preparado do que Sakho. 

E você, quem escolheria?

*Tottenham que, nesta quarta, tombou diante do Real Madrid na Liga dos Campeões da Europa com o veterano William Gallas na defesa, incapaz de parar os gols merengues…

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 Franceses no mundo | 19:15

Cuidado com ele, Mano

Compartilhe: Twitter
benzema_marca

Site do jornal espanhol Marca

Karim Benzema é o principal atacante da seleção francesa hoje. Vem mostrando isso nos últimos jogos dos Bleus, como na vitória contra a Inglaterra lá em Wembley, embora oscile no Real Madrid, onde até agora não ganhou a confiança necessária para ser considerado titular – basta lembrar que, quando Higuaín foi pro estaleiro e “Benzebut” começou a ganhar uma sequência de jogos, o clube merengue foi atrás de Van Nistelrooy, conseguiu trazer Adebayor e já tinha Klose como próximo alvo. Até o bom moço Kaká cutucou o colega, cobrando-o publicamente.

Pois bem. Karim já fora o responsável pelo gol da vitória madridista contra o Málaga, no último final de semana. E agora fez mais: un golazo que decidiu a primeira semifinal da Copa do Rei da Espanha contra o Sevilla, em pleno Ramón Sánchez-Pizjuan.

Iniciou a jogada próximo ao meio de campo, tabelou com Ozil, carregou, carregou, passou por Alexis, deu um corte seco no compatriota Escudé e finalizou por baixo de Palop. Na corrida para o abraço, um cumprimento no aniversariante José Mourinho, 48 anos. Presentão pro chefinho, heim?

Ele deixou o gramado aos 23 do 2º tempo, substituído por Di María. Vale registrar que Lassana Diarra também foi titular e jogou bem, chegando ao ataque para finalizar inclusive.

Portanto, convém à seleção brasileira que não pense que o soneca do Benze é de todo inofensivo. Quando ele acorda, já viu né…

Abajo, o vídeo do gol

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010 Franceses no mundo, Torneios europeus | 17:58

Lille obtém vaga na Liga Europa. PSG avançou em primeiro

Compartilhe: Twitter

Primeiro, os jogos de quarta: Karpaty 1 x 1 PSG e Sevilla 2 x 2 Borussia Dortmund.

Empate na Ucrânia e liderança assegurada do grupo J, o que pode colocar rivais menos espinhosos no caminho do PSG na próxima fase da Europa League, cujo sorteio acontece na sexta-feira, assim como o da Liga dos Campeões da Europa. Foram necessárias bola e linhas laranjas no gramado pela intensa neve em Lviv. Claro que estava um frio de gelar, apesar de ter visto uns loucos sem camisa torcendo pro Paris na arquibancada… 

Sem boa parte dos titulares (Nenê, Hoarau, Makelele, Chantôme, Sakho e Edel) e com muitos garotos no banco, o Saint-Germain abriu o placar com Luyindula, aos 39 minutos iniciais, após boa jogada de Ceará, que roubou a bola, cruzou, Erding dividiu com a zaga e a bola sobrou limpa para o meia, que não pegou firme mas conseguiu vencer o goleiro Tlumat. Porém, antes mesmo do intervalo, Fedetskiy bateu forte em cobrança de falta e Coupet se atrapalhou todo, deixando a bola passar a risca do gol – provavelmente ela deveria estar assaz escorregadia. Mas seria o caso de manter Edel como titular mesmo…?

A impressionante série invicta do PSG está mantida: agora são 12 jogos sem derrota, que aconteceu pela última vez no dia 24 de outubro (2 x 3 contra o Auxerre). Finalizando o grupo, o Sevilla empatou em casa contra o Borussia Dortmund e ficou com a segunda vaga da chave. Assim, os zagueiros franceses Julien Escudé e Mohamadou Dabo seguem na competição.

karpaty_psg_luyindula_afp

Péguy Luyindula caiu no gélido gramado, mas pelo gol valeu o sacrifício (AFP)

Agora, as partidas desta quinta: Lille 3 x 0 GentLevski 1 x 0 Sporting.

Com neve caindo na França, dá-lhe bola laranja. Precisando de qualquer forma da vitória, o Lille partiu pra cima, com Túlio de Melo no ataque e Sow no banco. De tanto pressionar, o time da casa se aproveitou de uma bobeada do zagueiro Suler, que tocou curto, talvez se esquecendo do gramado escorregadio, e deixou Obraniak na cara do goleiro Jorgacevic: o polonês driblou e só tocou para fazer 1 a 0 aos 30 minutos. As chances de aumentar o placar apareceram, duas bolas acertaram a trave do Gent, mas o marcador ficou daquele jeito na saída para o intervalo, o que me deixou temoroso com aquele “quem não faz, toma…”

O segundo tempo começou com neve mais intensa, dificultando ainda mais o andamento da partida, com 1 grau negativo no Lille-Métropole. Pelo menos, se a bola não mais colaborasse, o LOSC já tinha o resultado que precisava. Mas 1 a 0 nunca é seguro, e parece que a defesa belga novamente “entendeu o recado”: se atrapalhou ao trocar passes na intermediária, Frau roubou a bola de Lepoint, invadiu a área e tocou no contrapé de Jorgacevic aos 11 minutos.

Logo em seguida, Hazard sentiu lesão e pediu substituição, dando lugar a Sow, artilheiro da Ligue 1. Porém o ataque lilleano seguiu agudo, trazendo novos perigos ao adversário, inclusive com uma bola laranja na trave branca. Até que o terceiro gol veio, curiosamente pela primeira vez numa jogada toda do LOSC, sem “presentes” da defesa rival: Sow foi lançado no “costado da zaga”, como gostam de dizer os narradores e comentaristas da Band (rs), driblou o goleiro e só não entrou com bola e tudo porque foi humilde… Vendido no jogo, o La Gantoise, como dizem os franceses, acabou levando de 3 e viu o Lille se juntar ao Sporting Lisboa, que mesmo perdendo para o Levski Sofia (1 a 0, na Bulgária) se classificou em primeiro no grupo C.

frau_lille_gent_reuters

Pierre Alain Frau supera Marko Suler e mete a laranjinha pra dentro (Reuters)

 

Patrick Vieira
Hoje o volante do Manchester City disputou seu centésimo jogo por competições europeias. É o sexto francês nesse quesito, atrás de Thierry Henry (138 partidas, hoje nos EUA), Claude Makelele (PSG), Lilian Thuram (aposentado), Zinedine Zidane (idem) e Robert Pires (Aston Villa). O City empatou contra a Juventus, com gol do brasileiro Jô, e também segue no páreo pelo título europeu, ao contrário da Vecchia Signora.


*SORTEIOS: LIGA DOS CAMPEÕES E LIGA EUROPA*
Amanhã, sexta-feira, tanto PSG e Lille como Lyon e Olympique de Marselha conhecerão seus adversários nas oitavas de finais dos dois torneios continentais. ESPN transmite ao vivo, às 9h de Brasília, o sorteio da Champions League, que será seguido pelo da Europa League, por volta das 10h.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 Brasileiros na França, Extracampo, Torneios europeus | 18:02

Paris Saint-Germain vence Sevilla e se classifica na Liga Europa

Compartilhe: Twitter

Com os 4 a 2 sobre o Sevilla, no Parc des Princes, o PSG foi a 11 pontos, reassumiu a liderança do grupo J e se garantiu na próxima fase da Europa League, pois Sevilla e Borussia Dortmund (vitorioso hoje sobre o Karpaty, 3 a 0), que ainda podem atingir ou superar a mesma pontuação, se enfrentarão na sexta e última rodada da fase.

psg_sevilla_hoarau_nene_afp

Hoarau, dois gols, e Nenê, um gol, mais uma vez protagonizaram os gols parisienses (AFP)

Friaca da p… de dois graus negativos em Paris, a ponto de termos bola e linhas do gramado laranjas (efeito neve), juizão com o corpo todo coberto e o goleiro do Sevilla de cacharrel até o nariz! Enquanto isso, mais de 30 graus no começo da tarde em SP…

O PSG não teve Erding, lesionado, embora o Sevilla também não tenha podido contar com Luís Fabiano e Jesús Navas, importantes armas ofensivas. Dois escanteios cobrados por Nenê propiciaram aos donos da casa abrir 2 a 0: primeiro com Bodmer, que aproveitou desvio de Camara, e depois com Hoarau, que usou bem seus 1m92 para superar a marcação de Cáceres.

Entretanto, a vantagem no placar foi efêmera, pois Kanouté resolveu aparecer decisivamente, em duas cabeçadas, expondo as falhas de marcação da defesa (Ceará sobretudo no 2º gol), incluindo o instável goleiro Edel. Mas felizmente o Paris tinha Nenê, que depois de receber de Sessegnon na entrada da área girou o corpo e chutou de canhota com curva, sem chance para Palop.

Mal recomeçou o jogo no segundo tempo e os franceses decidiram a parada, quando Hoarau recebeu na frente e suas longas passadas ganharam do também francês Escudé na corrida. A conclusão “de frente para o crime” foi de biquinho à la Romário, rasteiro e eficiente: 4 a 2. O time espanhol batia muito, a ponto de o técnico Antoine Kombouaré reclamar acintosamente com o bandeira após uma entrada em Chantôme e ser expulso do banco pelo árbitro. O time parisiense, mesmo vencendo, mostrava nervosismo com o juiz deixando o jogo rolar solto.

Edel chegou a se assustar com um cabeceio de Negredo, que tocou no travessão antes de sair. No entanto mesmo com as substituições o PSG não perdeu o poder de segurar o rival, fazendo aquela tradicional cera nos últimos dez minutos para o tempo passar. O apito final ainda trouxe um pequeno tumulto, aparentemente iniciado entre Jallet e Perotti, mas nada que a turma do deixa disso não conseguisse dissipar, levando todo mundo pro vestiário em paz, afinal ficar no gramado parado seria de congelar até a alma…

Classificação do grupo J
PSG – 11 pontos
Sevilla – 9 pontos
Borussia – 8 pontos
Karpaty – o ponto

Última rodada da chave – 15/12:
Karpaty x PSG
Sevilla x Dortmund


*O vitorioso do dia*
Fora de campo, Zinedine Zidane conquistou uma importante vitória hoje: viu a candidatura do Catar, da qual foi embaixador, triunfar na escolha da sede da Copa do Mundo de 2022, minutos depois da Rússia ser eleita para abrigar o Mundial de 2018. Zizou disse ainda não saber se continuará com alguma função ligada à preparação catarense para o torneio. Mas que foi pé quente, foi!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 13 de maio de 2010 Copa do Mundo, Seleção francesa | 21:19

Dungamenech. E o substituto muito provável

Compartilhe: Twitter

Raymond Domenech não é Dunga, mas as reações que causaram nesta semana, após os anúncios dos convocados e pré-convocados para a Copa do Mundo, os aproximam bastante: deixaram talentos de fora, apostaram em nomes duvidosos e vão pra África com muita desconfiança e desaprovação popular. Como muitos leitores deste espaço, também mais desaprovei do que aprovei a lista dos 30 da França, por julgar que nomes como Benzema (principalmente), Nasri e Vieira seriam muito úteis neste Mundial – mesmo que os dois primeiros sejam de difícil temperamento e relacionamento dentro do grupo, como se faz supor.

Agora famosos, os convocáveis do Rennes: Fanni, M'Vila e Briand (AFP)

Vamos conferir as surpresas da convocação divulgada na terça-feira:

Goleiros: Lloris, Mandanda, Carrasso e Landreau. Pelas últimas convocações, Landreau deve estar fora dos 23. Nomes esperados, embora a revelação Ruffier, do Monaco, pudesse aparecer também.

Defensores: Sagna, Abidal, Gallas, Evra, Fanni, Rami, Squillaci, Clichy, Planus e Reveillère. Reveillère é surpresa, pois, dos laterais do Lyon, acho que Cissokho estava mais esperançoso. Rami também corria por fora (pra mim, Reveillére e Rami estão além dos 23). Testados por Domenech em mais ou menos ocasiões, Escudé, Méxès, Boumsong e Ciani acabaram decepcionados.

Meio-campistas: Toulalan, L. Diarra, A. Diarra, Gourcuff, Diaby, M’Vila e Malouda. O super-rodado Patrick Vieira, do Manchester City, que até poderia ser o capitão na África do Sul, é a maior ausência. Se for por problema de condição física, aceito, porque sua experiência não pode ser descartada sem outro motivo. O talentoso Samir Nasri, do Arsenal, estaria na minha lista certamente – assim como Diaby, objeto de discussão nos comentários do post de terça. Cheyrou, do Olympique de Marselha, poderia aparecer no lugar do surpreendente M’Vila, de 19 anos e nenhuma participação na seleção adulta.

Atacantes: Govou, Ribéry, Henry, Anelka, Cissé, Gignac, Valbuena, Ben Arfa e Briand. Alguém apostaria que Karim Benzema, vendido a peso de ouro do Lyon para o Real Madrid na última janela de transferências, não estaria aqui? Nem eu. Tudo bem que o cara decepcionou indo pra reserva na Espanha, mas não desaprendeu do muito que pode render em campo. Se é problemático e desagregador, creio que uma conversa séria em particular entre ele e Dôme resolveria a questão. Valbuena e Briand surpreendem, mas fizeram um bom Francês e merecem, para mim, estar entre os 30, só que não entre os 23.

Blanc em treino do Bordeaux: dos Girondinos para os Bleus? (AFP)


PÓS-COPA: Laurent Blanc, o favorito

Já se sabia na França, desde o início da semana, que Blanc deixaria o Bordeaux no fim desta temporada europeia, agora no cair de maio. E, como é sabido também que Domenech deixará os Bleus após a Copa, tudo leva a crer que o ex-zagueiro campeão do mundo assumirá o posto de professeur da seleção. Hoje, o ex-colega de Blanc em 1998 e também treinador Didier Deschamps “entregou” que Laurent será mesmo comandante bleu, segundo o site da France Football.

Amigo de Blanc, com o qual troca conselhos, Deschamps disse que a escolha da Federação Francesa é muito boa. A France Football informa que o agente de Laurent está negociando o contrato com a FF. No domingo, um dia após o fim do Campeonato Francês, o técnico do Bordeaux deverá reunir todo o elenco e comissão para se despedir. Olhando no horizonte, parece que a França deverá chegar mais animada para a Copa de 2014.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 Copa do Mundo, Seleção francesa | 16:40

Convocados para França x Espanha

Compartilhe: Twitter

A pouco mais de 100 dias para a Copa do Mundo, Raymond Domenech anunciou nesta quinta-feira os 24 jogadores chamados para o amistoso da França contra a Espanha, na próxima quarta-feira (03/03), no Stade de France. São eles:

Goleiros: Hugo Lloris (Lyon), Steve Mandanda (Olympique de Marselha), Cédric Carrasso (Bordeaux)

Defensores: Jean-Alain Boumsong (Lyon), Mickaël Ciani (Bordeaux), Julien Escudé (Sevilla, ESP), Aly Cissokho (Lyon), Patrice Evra (Manchester United, ING), Bacary Sagna (Arsenal, ING), Rod Fanni (Rennes), Adil Rami (Lille)

Meio-campistas: Lassana Diarra (Real Madrid, ESP), Yoann Gourcuff (Bordeaux), Moussa Sissoko (Toulouse), Jérémy Toulalan (Lyon), Benoît Cheyrou (Olympique de Marselha), Florent Malouda (Chelsea, ING).

Atacantes: Nicolas Anelka (Chelsea, ING), Hatem Ben Arfa (Olympique de Marselha), Franck Ribéry (Bayern de Munique, ALE), Thierry Henry (Barcelona, ESP), Sidney Govou (Lyon), Loïc Rémy (Nice), Louis Saha (Everton, ING).

Domenech já tinha dito que é a partir desta partida que o clima de Copa começa a valer para os franceses. De fato, enfrentar a atual campeã europeia a três meses do Mundial é mais do que propício para este sentimento. Ainda restam outros três amistosos* antes da estreia na África do Sul, mas já é possível considerar que esses 24 de hoje estão perto de estarem entre os 23 de maio, quando sai a lista da Copa. Veja bem: eu disse “perto” e não “muito perto”, porque esta lista teve de excluir nomes que, se não estivessem machucados, fatalmente seriam chamados: Gallas, Abidal, Squillaci, Alou Diarra, Diaby, Benzema e Gignac, par exemple.  

As grandes novidades da relação são o retorno do zagueiro Ciani, que marcou o gol da vitória do Bordeaux contra o Olympiacos na terça-feira, e a primeira chance dada ao volante Cheyrou, do Olympique – na minha opinião, duas justas oportunidades. Elogiado pelo técnico da seleção recentemente, o meia Ben Arfa voltou a jogar bem no Marselha e foi novamente relacionado. O mesmo não aconteceu com o atacante Djibril Cissé, apesar de ter decidido as duas partidas da Liga Europa, contra a Roma, a favor do Panathinaikos – desafortunadamente, Djibra acabou preterido por Louis Saha, do Everton, cujos gols no Campeonato Inglês devem valer muito mais do que os do compatriota no Campeonato Grego…

Uma breve passada pelas posições: no gol, Lloris-Mandanda-Carrasso deve ser mesmo o trio da Copa (Frey, da Fiorentina, mereceria ser visto, penso eu). Na defesa, Ciani e Rami devem aproveitar a chance, pois ela só veio com as lesões de Gallas, Abidal e Squilacci. Méxès e Clichy ficaram de fora, estando mais longe da África. No meio, Vieira ainda não veio, mas se obtiver uma sequência de jogos pelo Manchester City pode ser incluído por Domenech em maio. Sissoko e Cheyrou se aproveitaram das ausências dos lesionados Alou Diarra e Diaby, avançando em relação a nomes como Flamini e Nasri (gosto desses dois) na luta por vagas no setor. E no ataque, sem Benzema e Gignac, fora de combate, Rémy se pôs à frente de Gomis (faz sentido) e Saha deixou Cissé “ainda com raiva”, como mencionei.

E você, o que achou dos convocados? Algum esquecido?

*A França vai encarar Costa Rica (26 de maio), Tuinísia (30 de maio) e China (4 ou 5 de junho). A estreia na Copa é no dia 11 de junho, contra o Uruguai.

Ciani e Cheyrou foram colegas no Auxerre em 2004. Mas seriam rivais no PS2? (France Football) Ciani e Cheyrou foram colegas no Auxerre em 2004. Mas seriam rivais no PS2? (France Football)
Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 19 de novembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 20:26

Le balancê française de la Qualification pour la Coupe

Compartilhe: Twitter
AFP recupera imagem de TV e eu pergunto: pela Copa, você não faria o mesmo que Henry?

AFP recupera imagem de TV e eu pergunto: pela Copa, você não faria o mesmo que Henry?

Deu pra entender que se trata do balanço francês das Eliminatórias para a Copa? Se não deu, desculpa. O qualificatório europeu para uma Copa do Mundo (10 jogos) não é tão extenso quanto o sul-americano (18 jogos), mas é tão importante quanto. E, no caso de quem tem mata-mata de repescagem pela frente, como teve a França, tudo fica mais dramático e, ao se olhar para trás, epopéico. Portanto, digno de um balancê (não, não quero brincar com você, como diz aquela música…), apesar de todos os terráqueos terem visto que o gol da classificação francesa foi irregular, que a Irlanda foi injustiçada, e etecétera, etecétera… O fato é que Les Bleus se classificaram pro Mundial (e, por extensão, Le Blog também!) e isso em si já é histórico, mesmo que o futebol apresenteado e as escolhas de Raymond Domenech sejam altamente questionáveis, como concordo que o são.

Somando fase de grupos e repescagem, a seleção francesa disputou 12 partidas. Venceu sete, empatou quatro e perdeu uma, ficando invicta em solo próprio – o aproveitamento de 69% dos pontos. Marcou 20 gols e levou 10. Recebeu 13 cartões amarelos e um vermelho. Veja quem mais atuou e balançou as redes nessa campanha, que se estendeu de 6 de setembro de 2008 a 18 de novembro de 2009:

Por ordem de jogos:

1. Bacari SAGNA – 11 partidas, 1001 minutos em campo
     Thierry HENRY – 11 p, 968 min
3. William GALLAS – 10 p, 930 min
     Patrice EVRA – 10 p, 930 min
     Lassana DIARRA – 10 p, 930 min
     Yoann GOURCUFF – 10 p, 759 min    
7. Jeremy TOULALAN – 8 p, 692 min
     Nicolas ANELKA – 8 p, 625 min
     Andre-Pierre GIGNAC – 8 p, 440 min
     Karim BENZEMA – 8 p, 361 min
11. Steve MANDANDA – 7 p, 618 min
      Alou DIARRA – 7 p, 493 min
13. Hugo LLORIS – 6 p, 499 min 
       Franck RIBÉRY – 6 p, 341 min
       Florent MALOUDA – 6 p, 254 min
16. Eric ABIDAL – 5 p, 450 min
       Sidney GOVOU – 5 p, 387 min
18. Sebastien SQUILLACI – 4 p, 381 min
       Julien ESCUDÉ – 4 p, 279 min
20. Gael CLICHY – 2 p, 180 min
21. Peguy LUYINDULA – 2 p, 132 min
22. Mowssa SISSOKO – 2 p, 118 min
23. Samir NASRI – 2 p, 91 min
24. Rod FANNI – 1 p, 90 min
25. Philippe MÉXÈS – 1 p, 90 min
26. Jean-Alain BOUMSONG – 1 p, 90 min
27. Bafetimbi GOMIS – 1 p, 11 min     
28. Mathieu FLAMINI – 1 p, 1 min 

Por ordem de gols:

1. Andre-Pierre GIGNAC – 4 gols em 8 partidas (média de 0,5)
2. Thierry HENRY – 4 g em 11 p (0,36)
3. Franck RIBÉRY – 3 g em 6 p (0,5)
4. Nicolas ANELKA – 3 g em 8 p (0,37)
5. Karim BENZEMA – 2 g em 8 p (0,25)
6. William GALLAS – 2 g em 10 p (0,2)
7. Sidney GOVOU – 1 g em 5 p (o,2)
8. Yohann GOURCUFF – 1 g em 10 p (0,1)

**Nesta sexta tem jogão!**
Sim, e é claro que não me refiro à segunda divisão francesa, que normalmente tem rodada às sextas. Amanhã, Olympique de Marselha e Paris Saint-Germain fazem o clássico da 10ª rodada do Campeonato Francês, adiado na ocasião por causa da gripe suína no elenco parisiense. Como vou trabalhar neste feriado de Consciência Negra + fim de semana, Le Blog não parará suas máquinas (= meus dedos)!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 18 de novembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 21:01

O dia da glória chegou!

Compartilhe: Twitter

“Allons, enfants de la patrie, le jour de gloire est arrivée!”. Assim começa o hino francês, a Marselhesa: “vamos, filhos da pátria, o dia da glória chegou!”. Depois de 210 minutos de nervossísima repescagem contra a Irlanda (90 em Dublin + 120 em Saint-Denis), o placar agregado de 2 a 1 favoreceu quem tinha mais peso, com presença nas últimas três Copas, duas finais e um título mundial no currículo. A França está na Copa do Mundo de 2010. Graças muito mais à mão esquerda de Henry do que aos seus dois pés. Vamos ao desenrolar do drama:

Houve uma mudança no time titular em relação à escalação que se previa ontem: Escudé e não Squillaci foi quem formou a dupla com Gallas. Mas alguma coisa dizia que era para Squillaci jogar: logo aos 8 minutos, Escudé sobe junto com Evra e leva um choque no rosto, que sangra. Ele tem de sair, e o reserva imediato era o colega de Sevilla supracitado.

Como quem precisava da vitória de qualquer jeito eram os irlandeses, o jogo começou muito mais no campo da França, que tentava não se deixar acuar. Várias bolas foram alçadas diante de Lloris, que fez uma bela intervenção aos 23 minutos. Dois minutos depois, Doyle foi atrapalhado no cabeceio por Sagna mas causou perigo, pois a bola passou perto.

Entretanto, a solidez defensiva que se anunciava nos Bleus foi por água abaixo aos 33: Duff faz boa jogada pela esquerda, vai à linha de fundo e acha Keane sozinho na marca do pênalti, que só tem o trabalho de tirar do alcance de Lloris: 1 a 0. Apreensão total no Stade de France, já que o placar, igual ao da partida da ida, leva a decisão para a prorrogação.

A execução da Marselhesa (AFP)

A execução da Marselhesa (AFP)

No restante do primeiro tempo, nada de chances reais de gols para nenhum lado e pulga atrás da orelha da torcida francesa. Porém, pela TV deu para perceber que os espectadores em Saint-Denis mantinham a confiança, balançando as flâmulas e lenços azuis. Mas logo no comecinho da segunda etapa, por muito pouco a Irlanda não ampliou, quando O’Shea aproveitou rebatida de escanteio e, sozinho, finalizou por cima, do meio da grande área.

Com muitas dificuldades para se aproximar da área rival, a França via seu adversário jogar melhor e estar mais perto do segundo gol quando Raymond Domenech colocou Govou no lugar de Gignac, aos 11 minutos. Pensei o mesmo que o comentarista Sílvio Lancelotti, da ESPN: por que não Benzema?

Aos 16, dois lances de arrepiar, um para cada lado: Duff recebe sozinho na intermediária, avança e chuta para excelente defesa de Lloris. Os franceses contra-atacaram e Henry teve boa chance na área irlandesa, sendo travado por dois zagueiros na hora H.

Com 24, Gourcuff emendou de fora da área, mas ela desviou na zaga e saiu; dois minutos depois, Anelka perdeu boa oportunidade de cabeça. Por sua vez, a Irlanda quase matou a parada novamente em bola enfiada para Keane, que chegou a driblar Lloris mas deixou a bola escapar pela linha de fundo, para desespero dos colegas.

No tempo regulamentar, o cenário foi esse (AFP)

No tempo regulamentar, o cenário foi esse (AFP)

Sem organização, a França começava a se exasperar e, com isso, ceder perigosos espaços aos visitantes. Sagna estava num dia ruim, deixando brechas na marcação e cruzando errado sempre que chegava ao ataque. Domenech queimou sua última substituição colocando Malouda no lugar de Gourcuff, deixando Benzema na mesma condição de torcedor dos ex-selecionáveis Zidane e Barthez e do presidente Sarkozy. A última chance dos donos da casa seria com Henry, que cruzou na pequena área, Given soltou, mas não havia quem empurrasse para o gol. Não teve jeito: prorrogação!

Quem pensava que o medo de tomar gol paralisaria as duas seleções no “extra-tempo”, enganou-se. Boas oportunidades foram criadas, aumentando a tensão de todos, e sinceramente acho que o lance de Anelka driblando Given e caindo foi pênalti, embora o árbitro sueco discordasse. Govou chegou a balançar as redes, mas estava impedido.

Aos 14 do 1º tempo da prorrogação, viria o lance capital do jogo: Alou Diarra levanta na área da Irlanda, a bola passa por quase todo mundo, Henry “domina” com a mão esquerda (se não o fizesse, ela sairia), toca para o meio da pequena área, e Gallas só escora de cabeça com Given vendido: 1 a 1. Festa imensa francesa, reclamação acintosíssima irlandesa, afinal Martin Hansson validou o gol.

Nos últimos 15 minutos, os anfitriões se retraíram, não tiveram vergonha de dar chutões e ainda perderam um gol praticamente feito com Govou. Não precisou, porque o empate seria o bastante. Fim de partida e glória assegurada até junho de 2010!

Mas na prorrogação, acabou assim (AFP)

Mas na prorrogação, acabou assim (AFP)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 7 de setembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 10:50

Maus lençóis, azuis!

Compartilhe: Twitter

Uma bonita imagem do triste gol contra (AFP)

Empatar com a Romênia em casa não era o que a França queria e precisava nas Eliminatórias. Ainda mais quando o único gol que você toma vem do pé de um dos seus próprios zagueiros – pobre Escudé -, anulando, de certa forma, a importância do oportunismo de Henry (leia mais sobre o jogo CLICANDO AQUI e confira a classificação dos grupos da Europa – o francês é o 7 – CLICANDO AQUI).

Como hoje é feriado e só volto amanhã, serei rápido e rasteiro: se os Bleus não vencerem a líder Sérvia na quarta, ficam impossibilitados de se classificarem em primeiro e terão, como única alternativa, segurar a vice-liderança para buscar a vaga para a Copa no mata-mata, desde que não seja o pior dos vices das nove chaves europeias. E aí, mon ami, haaja coração…

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 5 de setembro de 2009 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 06:02

Vale a vida nas Eliminatórias

Compartilhe: Twitter

Siguinte, Ribérra: se não vencer pelo menos uma das próximas duas, a turma dança (AP)

A França tem pela frente a Romênia neste sábado, às 21 horas locais, por mais uma rodada do grupo 7 das Eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2010. Mas não se trata de só mais um jogo, o que para o grupo de Raymond Domenech não é novidade, já que a necessidade de somar pontos vem sendo uma constante desde o começo do ano.

O trio de arbitragem no Stade de France será croata, numa partida que interessa diretamente outra ex-república iugoslava, a Sérvia. Porque os franceses estão cinco pontos atrás dos sérvios, líderes da chave, que têm um jogo a mais. Porque se les Bleus vencerem, a diferença cai para dois pontos. Porque Sérvia x França é o jogaço de quarta-feira que vem, entre os dois maiores cotados para a liderança do grupo, que vale vaga direta na África do Sul – o segundo da chave terá que se matar em um mata-mata contra um outro segundo europeu.

Nas equipes prováveis para o prélio (como dizem os palmeirenses), é alentador saber que Adrian Mutu não joga do outro lado. A França deve alinhar com Lloris (ou Mandanda); Sagna, Gallas, Abidal (ou Escudé) e Evra; Lassana Diarra, Toulalan e Gourcuff; Anelka, Henry e Benzema (ou Gignac). A Romênia, com Coman; Maftei, Radoi, Chivu e Rat; Mara, Max Nicu, Ghioane e I. Apostol; Surdu e Marica.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última