Publicidade

Posts com a Tag Deschamps

quarta-feira, 27 de março de 2013 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 12:22

Ô, dó: França 0 x 1 Espanha na "final antecipada" das Eliminatórias

Compartilhe: Twitter

Atualizado em 28/03

No fim das contas, os Bleus se saíram melhor encarando La Roja fora de casa do que dentro, pelo qualificatório para o Mundial no Brasil.

O jogo mais importante do ano pra França teve resultado negativo e sabor amargo, pois o time conseguiu criar oportunidades pra marcar, chegou a pressionar a campeã mundial mas saiu derrotada no Stade de France (não perdia em casa pelas Eliminatórias pra Copa desde o fatídico torneio de 1993).

O técnico Deschamps sacou Giroud do time e colocou Cabaye, reforçando a marcação na meia cancha. O voto de confiança em Benzema, porém, não foi suficiente para poupá-lo dos apupos dos torcedores quando foi substituído pelo mesmo Di-di-di-di-di-di-er (c/c Vinicius Ramos) em Saint Denis. Que draga a de Karim!

No primeiro tempo os franceses tiveram sorte, quando o goleiro Lloris cometeu pênalti claro no atacante Pedro, entretanto não assinalado pelo árbitro. Já no segundo, o mesmo Pedrito vingou-se balançando as redes de Hugo, ao que, logo depois, pude ouvir na transmissão que acompanhava ouvindo a rádio francesa RTL o lamento “Ai ai ai ai ai, c’est cruel!”.

Momento difícil e seca de gols para o atacante ex-Lyon, hoje no Real Madrid (Photo: lemonde.fr)

A equipe anfitriã não se abateu, Ribéry namorou a trave de Valdés, e o portero espanhol foi um dos responsáveis pela vitória desse time muito difícil de bater de uns anos pra cá. Mas a guerra não está perdida, pois a diferença entre as seleções no grupo I é de apenas um ponto e ainda restam três partidas para ambas (as primeiras colocadas das nove chaves se garantem na Copa, e as oito melhores vices se degladiam em repescagens ida e volta).

O próximo compromisso francês pelo quali é só em 6 de setembro, visitanto a Geórgia (vide calendário para o restante do ano). Antes, em 5 de junho, irá ao Centenário do Uruguai para amistoso contra a Celeste e, quatro dias depois, disputa na nossa terra brasilis um amical contra a Canarinho, na Arena Grêmio, Porto Alegre (aliás, minha maior chance de presenciar essa partida do estádio é ganhando a promoção da rede de supermercados Extra, que sorteará oito afortunadas famílias para estar no camarote ao lado do veterano-propaganda Ronaldo Fenômeno… #quepobreza).

Podcast especial
O último Le Podcast du Foot, o de número 25, deixou o Campeonato Francês um pouco de lado para abordar principalmente a seleção francesa. Ouça no player abaixo:

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013 Seleção francesa | 17:29

França leva virada e perde invencibilidade para a Alemanha

Compartilhe: Twitter

Legenda pra imagem acima: O amistoso em Saint-Denis teve a diplomática presença da chanceler alemã Angela Merkel, recepcionada pelo presidente François Hollande, dois dos principais chefes de Estado do planeta. Imagino a conversa no momento da foto: “- Aquele feinho da sua França eu já vi na minha Alemanha, não??”.” – Sim, minha cara, e até que a madame foi bondosa em relação ao Ribéry…”

No primeiro compromisso de 2013, a seleção de Deschamps acabou derrotada em casa, 2 a 1 para os germânicos em amistoso no Stade de France, ontem. Desde 1987 que os alemães não venciam os franceses, e desde 1935 jogando na França, como publicou o colega Blog do Alemão. Porém, a vantagem no retrospecto histórico ainda é dos campeões mundiais de 1998: 11 vitórias francesas e 8 alemãs nos 25 duelos até aqui.

O time da casa atuou com Lloris – Debuchy, Koscielny (Rami), Sakho, Evra – Sissoko (Giroud), Cabaye, Matuidi (Capoue) – Valbuena (Menez), Benzema, Ribery.

Os anfitriões saíram na frente com Valbuena, pouco antes do intervalo: Benzema acertou o travessão em cobrança de falta, Sissoko mandou de cabeça para o meio da área, No rebote, e o meia do Olympique de Marseille apareceu livre para completar a gol.

Mas logo aos seis minutos da segunda etapa, Capoué vacilou na saída de bola e entregou para Gundogan, que lançou Muller. O meia alemão saiu cara a cara com Lloris, e com um toque por cima, no meio do gol, empatou.

A França buscou a reação, criou oportunidades porém não soube aproveitá-las. E foi castigada aos 28: Ozil acertou lindo passe para Khedira, seu companheiro de Real Madrid, que entrava livre pelo lado direito da área. Com um leve toque no canto esquerdo de Lloris, o volante fez o gol da virada.

Aí a Alemanha assumiu o controle do jogo, neutralizou a maioria das tentativas de ataque da França, e quando não o fez teve sorte, porque os donos da casa até marcaram, aos 44, mas Giroud estava impedido ao dar a assistência para Benzema, e o gol foi invalidado.

Pelo que li (não pude ver ao vivo ou melhores momentos), Lloris, Valbuena e Ribery foram bem. Evra, Capoue e Benzema, há 10 jogos sem marcar pelos Bleus, mal.

O próximo compromisso da seleção vale três pontos, pelas eliminatórias da Copa 2014, no final de março. Vejaí o calendário bleu pro restante do ano:

> Vendredi 22 mars 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014: France-Géorgie
> Mardi 26 mars 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014: France-Espagne
> Mercredi 5 juin 2013 – Match amical au Stade Centenario, à Montevideo (21h heure française): Uruguay-France
> Dimanche 9 juin 2013 – Match amical au Gremio Arena de Porto Alegre (21h00 heure française): Brésil-France
> Vendredi 6 septembre 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014: Géorgie-France
> Mardi 10 septembre 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014: Biélorussie-France
> Mardi 15 octobre 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014: France-Finlande

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013 Copas francesas, Franceses no mundo, Seleção francesa | 11:49

Le Classique na Copa da França, destaques internacionais e convocação bleu!

Compartilhe: Twitter

Ontem não teve zebra no jogo que fora adiado da Coupe de France. Mesmo fora de casa, o Olympique de Marselha passou pelo Rouen, da 3ª divisão, por 2 a 1, com gols de Valbuena e do recém-chegado Sougou (embora a bola não tivesse ultrapassado totalmente a linha do gol, como o árbitro posteriormente reconheceu).

E assim as oitavas de finais da competição ganham um grande clássico, inicialmente previsto para 26 de fevereiro, entre Paris Saint-Germain e OM no estádio Parc des Princes. Superbe!

Franceses fora da França
A semifinal da Copa do Rei da Espanha e a 24ª rodada do Campeonato Inglês viram dois gauleses brilharem.

Por falar em enormes rivalidades, no El Clásico entre Real Madrid x Barcelona na capital espanhola, também ontem, um francês foi destaque, e não foi o atacante Benzema, titular na peleja, mas o jovem zagueiro Raphael Varane, de 19 anos, que salvou um gol blaugrana praticamente em cima da risca e marcou de cabeça o tento do empate, por 1 a 1, a cerca de 10 minutos do fim da partida.

Já pela Premier League, o Arsenal perdia por 2 a 0 do Liverpool e foi buscar o empate, com mais um gol para a conta do centroavante Olivier Giroud, que vem acumulando tentos e boas atuações nos últimos jogos dos Gunners.

Premiados por Deschamps
Varane e Giroud apareceram hoje na convocação do técnico Didier Deschamps para França x Alemanha, dia 6, ao lado da novidade Romain Alessandrini, revelação do Rennes no atual Campeonato Francês. Eis a lista:

Gardiens > Lloris (Tottenham/ANG), Mandanda (Marseille), Landreau (Bastia)

Défenseurs > Clichy (Manchester City/ANG), Evra (Manchester United/ANG), Debuchy (Newcastle/ANG), Sakho (PSG), Rami (Valence/ESP), Koscielny (Arsenal/ANG), Varane (Real Madrid/ESP), Sagna (Arsenal/ANG)

Milieux > Cabaye (Newcastle/ANG), Gonalons (Lyon), Matuidi (PSG), Valbuena (Marseille), Capoue (Toulouse), M. Sissoko (Newcastle/ANG).

Attaquants > Alessandrini (Rennes), Giroud (Arsenal/ANG), Gomis (Lyon), Ménez (PSG), Ribéry (Bayern Munich/ALL), Benzema (Real Madrid/ESP)

Algo a comentar sobre este post sortido??

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

sábado, 13 de outubro de 2012 Seleção francesa | 12:05

França esbarra no velho problema da eficiência e perde amistoso pro Japão

Compartilhe: Twitter

Os onze que começaram o jogo. Se Deschamps poupou Ribéry para terça OK, porque o jogador do Bayern não pode ficar fora dessa foto em partidas decisivas (fff.fr)

Se ontem em Saint-Denis o maior objetivo era testar a equipe e corrigir os erros, uma deficiência já conhecida voltou a aparecer: os Bleus criam bastante, às vezes até mais que o adversário, mas não aproveitam e acabam saindo sem a vitória. Tudo bem que a motivação num amistoso é diferente, que Ribéry só entrou nos minutos finais, poupado que foi, mas a lição de que o aproveitamento precisa melhorar está posta. Jogaram Lloris (cap); Débuchy (Jallet), Koscielny, Sakho e Clichy; Capoue (Gonalons), Sissoko, Matuidi (Chantôme); Ménez (Ribéry), Benzema (Valbuena) e Giroud. (Assista aos melhores momentos).

Assim foi com o 1 a 0 para o Japão (gol de Shinji Kagawa, talvez o melhor jogador japonês da atualidade, aos 43 minutos do segundo tempo), primeira vitória do país asiático sobre os franceses na história dos confrontos. “Le Japon par ippon”, resumiu com eficácia a manchete no site da France Football. Mano Menezes esteve na plateia, afinal o Brasil encara os japoneses na terça-feira.

Acertar o pé logo passa a ser primordial (sobretudo Benzema, por ser a referência no ataque e amargar uma seca ruim para todo o time), até porque já na terça-feira o jogo é pra valer e o rival é de altíssimo nível: Espanha, que ontem não tomou conhecimento da Bielorrússia fora de casa (4 a 0) e se igualou à França na liderança do grupo nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, com seis pontos em dois jogos disputados por cada seleção.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Seleção francesa | 14:21

Seleção tem sparring Japão antes do "pega pra capar" contra a Espanha

Compartilhe: Twitter

Aproveitando a folga na terceira rodada das Eliminatórias europeias para a Copa 2014, a França agendou um bom teste antes de encarar a pedreira espanhola, na quarta rodada do classificatório. Enfrenta o Japão nesta sexta-feira, 12, no Stade de France. A seleção japonesa, que fez um bom papel na Copa 2010, depois joga contra o Brasil, na terça-feira (16), na Polônia.

O esperado duelo contra a bicampeã europeia acontece também no dia 16, em Madri. Veja quem Didier Deschamps convocou para essas duas partidas, visando especialmente a revanche contra a seleção que eliminou os Bleus da última Eurocopa, embora um empate fora de casa não seja mau resultado:

Pra mim, Carrasso merecia chance nessa lista de convocados e Landreau, por estar numa fase bola murcha, não estaria dando autógrafos na concentração em Clairefontaine nessa segunda, dia 8 (fff.fr)

Gardiens
Hugo Lloris (Tottenham/ANG)
Steve Mandanda (Olympique de Marseille)
Mickaël Landreau (LOSC Lille)

Défenseurs
Christophe Jallet (Paris SG)
Mamadou Sakho (Paris SG)
Mapou Yanga-Mbiwa (Montpellier HSC)
Gaël Clichy (Manchester City/ANG)
Patrice Evra (Manchester United/ANG)
Laurent Koscielny (Arsenal/ANG)
Adil Rami (Valencia CF/ESP)
Mathieu Debuchy (LOSC Lille)

Milieux de terrain
Etienne Capoue (Toulouse FC)
Maxime Gonalons (Olympique Lyonnais)
Blaise Matuidi (Paris SG)
Yohan Cabaye (Newcastle/ANG)
Clément Chantôme (Paris SG) – chamado para o lugar do adoentado Lassana Diarra (Anzhi Makhachkala/RUS)
Moussa Sissoko (Toulouse FC)

Attaquants
Karim Benzema (Real Madrid/ESP)
Olivier Giroud (Arsenal/ANG)
Bafétimbi Gomis (OIympique Lyonnais)
Mathieu Valbuena (Olympique de Marseille)
Franck Ribéry (Bayern Munich/ALL)
Jérémy Ménez (Paris SG)

E você, o que espera dos Bleus nesses dois jogos??

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 6 de setembro de 2012 Eliminatórias da Copa, Seleção francesa | 21:01

Seleção debuta nas Eliminatórias para 2014 contra Finlândia e Bielorrússia

Compartilhe: Twitter

A estreia do técnico Deschamps em torneios oficiais, considerando que as Eliminatórias já fazem parte da Copa do Mundo, o que não está errado, será neste 7 de setembro, sexta-feira de feriado pros brasileiros, contra a Finlândia (20h30 locais em Helsinque, 14h30 de Brasília). Quatro dias depois, nessa data emblemática que se tornou o 11 de setembro para o mundo ocidental, Les Bleus recebem a velha conhecida Bielorrússia, no Stade de France (21h locais, 16h de Brasília).

Digo velha conhecida não porque são adversários tradicionais, considerando que Belarus é uma ex-república soviética que até o fim dos anos 1980 pertencia à URSS. Mas porque nos últimos dois anos já se enfrentaram duas vezes, ambas pelo qualificatório da Euro 2012: vitória visitante na França, 0 a 1, em setembro de 2010, e empate no jogo de volta, 1 a 1 em junho de 2011.

Contra a Finlândia o confronto tem bem mais história, remontando a 1960 o primeiro duelo. Detalhe importante: nos seis jogos até aqui, a França venceu todos! Escrita que será mantida?

Deschamps tentará sua primeira vitória como treinador contando com os seguintes jogadores (uma convocação bastante criticada negativamente pelos colegas da comunidade Ligue 1 Brasil no Facebook):

Goleiros: Hugo Lloris (Tottenham/ING), Steve Mandanda (Marselha/FRA), Mickaël Landreau (Lille/FRA) – os dois primeiros, na foto acima;

Defensores: Christophe Jallet (Paris SG/FRA), Mamadou Sakho (Paris SG/FRA), Mapou Yanga-Mbiwa (Montpellier/FRA), Gaël Clichy (Manchester City/ING), Patrice Evra (Manchester United/ING), Laurent Koscielny (Arsenal/ING), Adil Rami (Valencia/ESP), Anthony Réveillère (Lyon/FRA);

Meias: Etienne Capoue (Toulouse/FRA), Maxime Gonalons (Lyon/FRA), Rio Mavuba (Lille/FRA), Blaise Matuidi (Paris SG/FRA), Yohan Cabaye (Newcastle/ING), Abou Diaby (Arsenal/ING), Mathieu Valbuena (Marselha/FRA), Franck Ribéry (Bayern/ALE), Jérémy Ménez (Paris SG/FRA);

Atacantes: Karim Benzema (Real Madrid/ESP), Olivier Giroud (Arsenal/ING), Bafétimbi Gomis (Lyon/FRA).

> Veja ou reveja como foi a estreia de Deschamps, no empate francês contra o Uruguai em agosto;
– Quer receber notícias e opiniões sobre futebol francês no seu Twitter, interagindo comigo? Me segue lá!
– Quer ficar por dentro do futebol francês e debater com outros antenados e interessados no Facebook? Peça para entrar na comunidade Ligue 1 Brasil (Já são mais de 60 membros!)

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 15 de agosto de 2012 Seleção francesa | 21:11

França não sai do zero contra Uruguai na estreia de Deschamps treinador

Compartilhe: Twitter

Técnico novo, estigma antigo: os últimos cinco treinadores que comandaram a seleção francesa (Roger Lemerre, Jacques Santini, Raymond Domenech, Laurent Blanc e, agora, Didier Deschamps) não conseguiram levar o time à vitória em suas partidas de estreia! O derradeiro a conseguir tal “feito” foi Aimé Jacquet, que levaria os Bleus ao título mundial em casa, quando debutou em 1994, ano em que a seleção não foi à Copa nos EUA.

Agora é contigo, Monsieur Didier! (fff.fr)

Mais curioso que isso, só o fato de os últimos quatro França x Uruguai acabarem sem um mísero golzinho. Antes do amistoso de hoje, eles haviam se encontrado no Mundial de 2010, quando estrearam no torneio na África do Sul.

Como não pude ver o jogo, preso ao trabalho no meio da tarde, e o amigo Vinicius Ramos, do blog Tabela Online, o fez e relatou com propriedade, achei mais informativo para convosco reproduzir o texto do post correspondente abaixo, com a licença ao citado:

De bonito mesmo, só o Estádio Océane em Le Havre, porque o nível técnico do amistoso entre França e Uruguai foi abaixo do esperado. Duas equipes com muita vontade, mas pouca classe, não saíram do zero no amistoso, para as vaias da torcida após o apito final.

Em campo, o estreante Didier Deschamps armou o time no 4-4-2 inglês, com dois pontas e dois centroavantes. Do outro lado, “El Maestro” Oscar Tabárez apostou no 3-6-1, com Forlán e C.Rodríguez como meias ofensivos que encostavam no centroavante Loco Abreu. A semelhança entre os dois esquemas era que não havia ninguém para armar e pensar as jogadas pelo meio. Com isso, muita correria e vontade, mas pouco toque de classe e armação para ambos os lados.

A França chegou apenas uma vez na primeira etapa, em um cruzamento que Muslera deu um tapa na bola, após cabeçada de Yanga-Mbiwa que ainda beijou a trave. No segundo tempo, o cenário foi o mesmo. O Uruguai chegou após um cochilo da defesa francesa, mas Loco Abreu parou nos pés de Lloris, que enfim sujava o uniforme. Já Les Bleus também aproveitaram vaciladas dos zagueiros laterais uruguaios, mas Valbuena (defesa de Muslera) e Benzema (no pé da trave) não fizeram gol.

Ficou óbvio que Didier e El Maestro terão muito que trabalhar nestas eliminatórias. A França ainda tem a esperança de recuperar Nasri ou Gourcuff para pensar o jogo pelo meio. Já a Celeste não tem um jogador com estas características desde Álvaro Recoba, e Diego Forlán não tem mais condições físicas de desempenhar esta função.

FICHA TÉCNICA – França 0 x 0 Uruguai

FRA: Lloris; Debuchy (Jallet), Yanga-Mbiwa, Sakho e Evra; Gonalons, Mabuva (Capoue), Valbuena (Briand) e Ribéry; Benzema (Martin) e Giroud (Gomis).

URU: Muslera; Lugano, Victorino e Godin; Maxi Pereira, Alvaro Pereira, Perez (Eguren), Gargano (González), Christian Rodriguez e Forlán (Fernandez); Loco Abreu.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 10 de julho de 2012 Seleção francesa | 14:29

A vez de Di-di-di-di-di-di-er Deschamps no comando bleu. Que tal?

Compartilhe: Twitter

Falou-se em Arsene Wenger, que talvez poderia aproveitar um desejo de o Arsenal se renovar. Zinedine Zidane também foi lembrado, dada a vontade de o ex-craque ser treinador e já ter colaborado com a comissão técnica de Laurent Blanc. Mas pesou o favoritismo de Didier Deschamps, nome que pareceu a escolha óbvia depois que o colega de conquistas francesas em 1998 e 2000 deixou o cargo de selecionador bleu (ambos tiveram longa vivência como jogadores da seleção, justamente no período de suas maiores conquistas).

A esperança é que o perfil de liderança mais disciplinadora de Deschamps acabe com os constantes problemas de vestiário entre os temperamentais talentos franceses, ou pelo menos abafe seus prejudiciais efeitos ao desempenho dos jogadores nos momentos decisivos, como vimos acontecer na última Copa e especialmente na última Euro, quando esperávamos bem mais do que a França conseguiu no torneio. Ontem, ao ser apresentado oficialmente à imprensa, Didier endossou essa tendência “dunguista”, ao dizer que priorizará a união e o espírito de grupo, sem tolerar a indisciplina. Conseguirá?

Deschamps ao lado do novo patrão, Noel Le Graet (fff.fr)

Deschamps ao lado do novo patrão, Noel Le Graet (fff.fr)

Lembremos que não basta ter um bom retrospecto estatístico, pois isso Blanc até conseguiu, acumulando 16 vitórias em 27 jogos (foram 7 empates e 4 derrotas) e mantendo a equipe invicta por 23 partidas. Mas as experiências de Deschamps como atleta e treinador vitorioso (recentemente teve passagem positiva pelo Olympique de Marselha, com títulos como o Campeonato Francês 2009/2010) podem nos deixar otimistas, não acham?

Concordem ou não, bonne chance a Di-di-di-di-di-di-er, eternizado nessa marcante homenagem do grupo Raça Negra, ícone do pagode brasileiro (assista ao vídeo e repare no minuto 1’05”).

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 2 de julho de 2012 Eurocopa, Seleção francesa | 15:35

Melhor e pior da França na Euro 2012, e a vida pós-Blanc

Compartilhe: Twitter
Uma das mais belas imagens da competição!

Uma das mais belas imagens da competição!

O que nos deixou saudade e o que preferimos esquecer quanto à participação francesa na Eurocopa?

O futebol evidentemente decepcionou, levando a equipe até às quartas de finais, apenas, quando a escrita contra os espanhóis não se repetiu (nos dois títulos europeus da França, a Espanha foi derrotada. Desta vez é a campanha do título espanhol que teve um revés francês no caminho…). E o peso do fracasso foi mais do que Laurent Blanc pôde (ou será que quis?) suportar, com a demissão do treinador após cerca de dois anos de trabalho, praticamente no meio do ciclo até a próxima Copa.

Imagino que o “fator vestiário” também tenha contribuído para a saída de Blanc, visto que não é de hoje que os selecionáveis gauleses se indispõem de forma notória, ou batendo de frente um com o outro, ou com o técnico, ou com a imprensa. A “Geração 87”, se por um lado detém indiscutível talento, por outro não teve peito pra comandar o time em campo e deu trabalho fora dele, sobretudo Samir Nasri, pivô de desentendimentos com jornalistas materializados em ofensas que lamentavelmente baixaram o nível do comportamento que se espera para um atleta que representa seu país em um torneio do porte da Euro.

Deixo pros leitores avaliarem... (Trivela)A torcida costuma ser sempre um fator positivo, ainda mais quando há beleza natural envolvida (vide torcedoras ao lado, destoando sensivelmente de desafortunados como Franck Ribéry, abaixo…). Os uniformes azuis e brancos dos Bleus também foram elogiados – eu particularmente achei muito bonitos. A Federação Francesa de Futebol mandou bem ao divulgar algumas curiosidades além das notícias tradicionais, como os playlists favoritos dos jogadores e até um guia de orientação ao torcedor que fosse acompanhar o torneio na Ucrânia e na Polônia.

Longe dos estádios, mas constantemente presente nas redes sociais, a atriz pornô Virginie Caprice ganhou notoriedade na Internet por postar fotos em que palpitava os resultados da competição escrevendo nas próprias curvas corporais. Disseram até que ela foi “a única francesa que ganhou a Euro”. Falem bem ou mal da moça, indiscutível é que deve ter ganho dezenas de seguidores fora do seu país depois dessas “aparições”…

É ruim, heim! (fff.fr)

Vida que segue, enquanto procura por um novo treinador (Didier Deschamps, agora fora do Olympique de Marselha, por ora pinta como favorito para a vaga) a França volta a campo no mês que vem, e não tem como já não pensar em 2014 porque as Eliminátorias estão na mira, a partir de setembro. Vejamos o calendário que a espera:

> Mercredi, 15 août 2012 – Match international em Le Havre – France x Uruguay
>Vendredi, 7 septembre 2012 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014 – Finlande x France
> Mardi, 11 septembre 2012 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014 – France x Biélorussie
> Vendredi, 12 octobre 2012 – Match amical – France x Japon
> Mardi, 16 octobre 2012 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014 – Espagne x France (ai ai ai…)
> Mercredi, 14 novembre 2012 – Match amical – Italie x France

> Mercredi, 6 février 2013 – Match amical – France x Allemagne
> Vendredi, 22 mars 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014 – France x Géorgie
> Mardi, 26 mars 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014 – France x Espagne
> Vendredi, 6 septembre 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014 – Géorgie x France
> Mardi, 10 septembre 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014 – Biélorussie x France
> Mardi, 15 octobre 2013 – Eliminatoires Coupe du Monde 2014 – France x Finlande

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quinta-feira, 7 de junho de 2012 Seleção francesa | 21:08

Momento retrô: Inspirações francesas para a Eurocopa

Compartilhe: Twitter

Daqui a quatro dias, os Bleus começam a busca pelo tricampeonato europeu. Sabem como foram as conquistas em 1984 e 2000? Eu pouco sabia, até assistir aos filmes oficiais da Uefa dos respectivos torneios, que a SporTV transmitiu e felizmente arquivou em seu site. Ambos têm pouco mais de 50 minutos, em forma de documentários, e é claro que recomendo ao fã do foot!

*1984 – Assista ao filme aqui
Depois de 24 anos, a Euro voltava ao país de seu criador, Henry Delaunay. E aquela edição representaria o momento de glória de uma geração habilidosa, que também foi a duas semifinais de Copas do Mundo, em 1982 e 86. Uma equipe que plantou as sementes (conforme análise do Trivela) de uma nova geração vitoriosa, marcada na história do futebol mundial em 1998 e 2000.

Como seria Zidane anos depois, Michel Platini foi o craque de 1984, ostentando até hoje o recorde de gols em uma única Euro: 9 (o ataque do time fez 14, feito também imbatível até aqui!). Excelente, e se considerarmos que foram só 5 jogos na campanha (eram apenas 8 seleções no campeonato), impressionante! Curiosamente, a artilharia-mor de uma única Copa também cabe a um francês, Just Fontaine, 13 em 1958. Mas não podemos olvidar que Platini compunha um meio-campo memorável, chamado até de mágico na época, ao lado de Jean Tigana, Alain Giresse e Luis Fernandez, espanhol naturalizado francês. Sob o comando de Michel Hidalgo, o time confirmou a expectativa da torcida, atuando em casa (em 2016 o filme se repetirá?), e garantiu o primeiro título de expressão para a França.

Campanha: França 1 x 0 Dinamarca – Paris, Parque dos Príncipes (a casa gaulesa pré-Stade de France)
França 5 x 0 Bélgica – Nantes
França 3 x 2 Iugoslávia – Saint-Etienne
Semifinal – França 3 x 2 Portugal – Marselha
Final – França 2 x 0 Espanha – Paris

**2000 – Assista ao filme aqui
Outra marca histórica da França foi conquistada quando a Euro teve sua primeira sede compartilhada, entre Bélgica e Holanda: nunca uma seleção fora campeã europeia logo após ter sido campeã mundial. Com Zizou em plena forma e a base de 1998, Roger Lemerre liderou um elenco que soube confirmar o favoritismo, embora tenha passado por dificuldades, como uma final “sufocante” contra os italianos. Deschamps se despediu da seleção levantando mais uma taça, o então zagueiro-líbero Blanc voltou a beijar a careca de Barthez após a decisão, e jovens como Henry e Trezeguet contribuíram decisivamente também, ao lado do mais velho Djorkaeff. No filme supracitado, Petit, Vieira e Pirés também depõem.

Campanha – França 3 x 0 Dinamarca
França 2 x 1 Rep. Tcheca
França 2 x 3 Holanda (Bleus com reservas, pois ambas já entraram classificadas)
Quartas – França 2 x 1 Espanha (Raúl desperdiçou pênalti idiotamente cometido por Barthez no final)
Semis – França 2 x 1 Portugal (repetindo 84. Zidane garantiu a vitória, de pênalti, com o gol de ouro na prorrogação)
Final – França 2 x 1 Itália (os italianos fizeram 1 a 0 em Roterdã, já no 2o tempo. Wiltord, Trezeguet e Pirès vieram do banco para suprir o cansaço bleu. O primeiro empatou pertinho do fim, quando a Azzurra preparava a festa, causando o tempo extra. Abalada, a Itália viu o segundo ir à linha de fundo e cruzar para um lindo meio-voleio do terceiro, gol de ouro e bicampeonato francês!)

Karim Benzema, Hatem Ben Arfa e Samir Nasri com o troféu da Eurocopa sub 17 de 2004, após a França ter batido a Espanha por 2 a 1, em 15 de maio daquele ano, em Châteauroux (Photo: Alain de Martignac)

Os títulos relatados acima não são os únicos links da França com um passado vitorioso no contexto europeu. Dentro do atual elenco do atual técnico Blanc, despontam talentos da chamada “Geração 87”, nascidos naquele ano e protagonistas do título expresso na fotografia acima. Além da tríade ilustrada, Menez e Matuidi também estavam lá e reaparecem aqui.

Essa geração está pronta para o renascimento na Polônia e na Ucrânia?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. Última