Publicidade

Posts com a Tag Desailly

sábado, 28 de fevereiro de 2015 Ex-jogadores, Seleção francesa | 17:18

O que fazem os campeões do mundo hoje?

Compartilhe: Twitter

Em 1998, pela primeira (e única) vez uma Copa do Mundo acabou com a França. Onde estão atuando aqueles jogadores atualmente?

Fabien Barthez (goleiro titular): Era diretor esportivo do Luzenac até setembro passado, quando saiu depois que a Federação Francesa de Futebol se negou a autorizar a ascensão do clube para a Ligue 2.

Laurent Blanc (zagueiro titular, fora da final por expulsão na semifinal): Treinador do Paris Saint Germain desde 2013.

Alain Boghossian (meia reserva): Consultor para TV da Eurosport França. Já foi assistente técnico da seleção francesa durante a passagem de Blanc como técnico bleu.

Vincent Candela (lateral-direito e esquerdo reserva): Participou recentemente do programa “Dancing with the Stars” na TV italiana. Tem investido em vários restaurantes na Italia.

Lionel Charbonnier (goleiro reserva): É técnico do Istres, que caiu para a terceira divisão no ano passado.

Marcel Desailly (zagueiro titular, embora também tenha se destacado na carreira como volante. Foi capitão uma vez, na ausência de DD): É consultor para as emissoras de TV francesas Canal+ e Al Jazeera Sport, e segue presente no mundo da publicidade (no site do L’Equipe vc costuma vê-lo em banners animados…)

Didier Deschamps (volante titular e capitão da campanha): É “somente” o técnico da seleção francesa. Antes, passou pelos bancos do Olympique de Marselha, Mônaco e Juventus-ITA, depois de uma vitoriosa carreira de jogador que incluiu passagens por OM e Juve, inclusive.

Bernard Diomède (ponta-esquerda reserva): É presidente da academia que leva seu nome em Issy-les-Moulineaux, uma associação que combina futebol e educação.

Youri Djorkaeff (meia titular)É presidente do Décines, clube que fica nos subúrbios de Lyon. Também é proprietário de um restaurante em Nova York.

Christophe Dugarry (atacante reserva): É consultor do Canal+ francês.

Líderes do elenco vencedor, Blanc e Deschamps se tornaram os técnicos mais de ponta dentre aquele grupo de jogadores

Líderes do elenco vencedor, Blanc e Deschamps se tornaram os técnicos mais de ponta dentre aquele grupo de jogadores

Stéphane Guivarc’h (atacante titular. Não marcou gol): É vice-presidente executivo e treinador do seu primeiro clube amador, o US Trégunc. Paralelamente, trabalha em uma empresa onde vende piscinas.

Thierry Henry (atacante que começou titular e terminou reserva de Karembeu): Recém-aposentado, como maior artilheiro da história da seleção. É consultor para a TV britânica na Sky Sports e disse recentemente que pretende se preparar para virar treinador no futuro.

Christian Karembeu (volante que ganhou a titularidade de Henry): É Embaixador Estratégico em Relações Internacionais do Olympiakos-GRE, onde jogou de 2001 a 2004.

Bernard Lama (terceiro goleiro): É treinador do UD Montjoly, da Guiana Francesa, e da própria seleção da Guiana!

Frank Leboeuf (zagueiro reserva que substituiu Blanc na final): É consultor para a emissora francesa TF1 e também… ator. Esteve no filme “A Teoria de Tudo”, sobre a vida de Stephen Hawking (é o médico que diz à esposa dele que a traqueostomia deixá-lo-ia sem voz), concorrente ao Oscar deste ano. Aliás, uma bela história essa película!

Bixente Lizarazu (lateral-esquerdo titular): É consultor para a emissora de TV francesa TF1 e tem seu próprio programa na rádio francesa RTL. Depois do futebol, partiu para o jiu-jitsu e não fez feio, sendo até campeão europeu em 2009.

Emmanuel Petit (volante titular): É consultor nas emissoras públicas da France Télévisions.

Robert Pires (meia reserva): Após acabar seu contrato com o FC Goa na Liga da India, voltou para a Europa, com a esperança de encontrar uma oportunidade para seguir atuando. Sim, é o único ainda jogador!

Lilian Thuram (lateral-direito titular): É o fundador e presidente da Fundação para a Educação Lilian Thuram contra o racismo.

David Trezeguet (atacante reserva): Anunciou a aposentadoria no mês passado, tendo anunciado que seria uma espécie de embaixador da Juventus da Itália, onde mais se destacou, na América do Sul, ajudando na prospecção de talentos.

Patrick Vieira (volante reserva): Aposentou-se no Manchester City em 2o11 e segue no clube, agora gerenciando a formação de atletas (CT e categorias de base).

Zinedine Zidane (não precisa relembrar, né?): Foi manager, assistente técnico do Real Madrid e agora dirige o Castilla (Real Madrid B), além de ser consultor ocasional para o Canal + França.

Adaptado deste post do blog em espanhol Futbol desde Francia

Para saber mais sobre o desempenho francês na campanha do título de 98, uma página com vários dados é a da Wikipedia francesa

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 Brasileiros contra a França, Copa do Mundo, Ex-jogadores, Seleção francesa | 17:55

France vs Brésil: História é o que não falta

Compartilhe: Twitter

Quarta-feira agora, cotidianamente conhecida como amanhã, as seleções masculinas de futebol de França e Brasil farão o 14º confronto desde sempre. A vantagem é ligeiramente brasileira: cinco vitórias, contra quatro francesas (21 gols canarinhos, 18 bleus). Foram quatro empates também, o que permite enxergar bastante equilíbrio no retrospecto.

Se bem que, nos últimos cinco embates, nada de vitória brasuca – a última foi há quase 20 anos, em 1992. De todos os participantes do jogão que se aproxima, cinco são os personagens que já disputaram um França x Brasil: Laurent Blanc, Eric Abidal, Alou Diarra, Florent Malouda e Robinho. O único francês que perdeu foi o técnico, quando era jogador, ainda no século 20…

Eis os duelos:

lequipe_13_07_1998

"Para a eternidade", sobre 12/07/1998 (Zidane, Djorkaeff e Petit na foto)

01/07/2006França 1 x 0 BrasilCopa do Mundo (Alemanha)
Apesar da desvantagem histórica, a última lembrança, entretanto, é doce para os europeus e catastrófica para os sul-americanos. A maestria de Zinedine Zidane e o gol de Thierry Henry em Frankfurt classificaram a França para a semifinal, mandando o Brasil de Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Kaká para casa na Copa. Quer rever os melhores momentos? Vídeo no pé do post! (com Galvão Bueno é mais gostoso…)

20/05/2004 – França 0 x 0 BrasilAmistoso (Saint-Denis)
Comemoração do centenário da Fifa, com os então campeões do mundo e da Europa em campo. Uniformes à moda antiga, pompa e circunstância, mas nada de gols, até porque Grégory Coupet foi muito bem.

07/06/2001Brasil 1 x 2 FrançaCopa das Confederações (Suwon, Coreia do Sul)
Semifinal do torneio ocorrido um ano antes do Mundial asiático. Pirés abriu o placar, Ramon empatou para a seleção de Emerson Leão (que tinha Leomar, Carlos Miguel, Robert e outros craques) e Desailly deu a vitória aos franceses.

12/07/1998 – França 3 x 0 BrasilCopa do Mundo (Saint-Denis) 
Eis que o mundo da bola conhece e reverencia Zizou – premiado, dias atrás, com o Laureus por sua carreira no esporte – autor de dois gols e vencedor de um duelo que não houve com Ronaldo, na época ainda Ronaldinho. Petit fechou o caixão do time do mestre Zagallo (veja o que o ex-volante faz da vida hoje). No último domingo, a edição impresa do L’Équipe relembrou o fato. O vídeo está lá no pé (tem Galvão? mas é claro!)

03/06/1997 – França 1 x 1 BrasilTorneio da França (Lyon)
Partida inaugural do mini-campeonato, que reuniu ainda Inglaterra (a campeã) e Itália. Roberto Carlos abriu o placar com aquela célebre bomba que fez uma impressionante curva para vencer Barthez. No segundo tempo, o empate veio com o obscuro Marc Keller, atacante que passou por clubes medianos nos anos 1990 e atualmente é dirigente do Monaco. Em seis jogos pelos Bleus, seu único gol foi aquele propiciado pelo rebote de Taffarel.
 
26/08/1992 – França 0 x 2 Brasil Amistoso (Parc des Princes, Paris)
Não me lembro deste jogo (tinha 10 anos na época…), nem achei vídeo no YouTube. Os Bleus, que tinham demitido Michel Platini do comando da equipe quase dois meses antes, foram comandados por Gerard Houllier, com Aimé Jacquet como preparador físico. O time já tinha os futuros campeões mundiais Blanc, Deschamps e Petit, assim como Papin e Ginola lá na frente. 

 
 

platini_alemao_86

Platini precedeu Zidane no posto de "francês mais odiado pelos brasileiros no futebol"

21/06/1986 Brasil 1 (3) x 1 (4) França Copa do Mundo (México)
Embora o estádio Jalisco tenha sido o principal palco do tricampeonato mundial em 1970, a última aparição canarinho por lá em Copas teve sabor amargo para a torcida brasileira: no duelo dos craques de então, Michel Platini deixou Zico para trás nas quartas-de-finais em Guadalajara, quando o Galinho perdeu pênalti, defendido por Joel Bats, que alteraria o placar de 1 a 1 no tempo normal e poderia ter evitado a posterior disputa por penalidades. Platini marcou o único gol sofrido pelo Brasil na Copa nos 90 minutos regulamentares. 
 
15/05/1981 – França 1 x 3 Brasil – Amistoso (Parc des Princes)
Zico, Reinaldo e Sócrates decretaram a vitória brasileira, com Didier Six descontando perto do final para os Bleus, que tinham Jean Tigana, hoje técnico do Bordeaux, naquele grupo.

01/04/1978 – França 1 x 0 Brasil – Amistoso (Parc des Princes)
Michel Platini decidiu aos 41 minutos do 2º tempo.
 
30/06/1977
 – Brasil 2 x 2 FrançaAmistoso (Maracanã, Rio de Janeiro)
Edinho e Roberto Dinamite deixaram os brasileiros em vantagem, mas Didier Six e Marius Trésor igualaram o placar final. Platini jogou os 90 minutos, assim como Bernard Lacombe, então atacante e posteriormente treinador e dirigente do Lyon.

28/04/1963França 2 x 3 BrasilAmistoso (Olympique des Colombes, Paris)
Os três gols brasileiros constam no currículo de um tal de Edson Arantes do Nascimento…

24/06/1958 – Brasil 5 x 2 FrançaCopa do Mundo (Suécia)
Just Fontaine, artilheiro do Mundial com incríveis 13 gols em 6 jogos (recorde até hoje), fez um dos gols franceses em Estocolmo. Raymond Kopa deu passe para os dois tentos gauleses. Mas Pelé, três vezes, Vavá e Didi arruinaram o sonho europeu de chegar à final. No YouTube dá para assistir a essa relíquia histórica, dividida em várias partes (procure por “World Cup 1958 Full Game Semifinal Brazil vs France”).

01/08/1930 – Brasil 3 x 2 FrançaAmistoso (Laranjeiras, Rio de Janeiro)
Primeiro duelo da história, vitória dos anfitriões de virada.

*Mais curiosidades sobre Brasil x França, como as comparações dos valores de passe de todos os jogadores convocados pro jogo de amanhã, você acha no blog Futebol em Números, do iG.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 28 de agosto de 2009 Eliminatórias da Copa, Ex-jogadores, Seleção francesa | 20:26

Seleção multicultural

Compartilhe: Twitter

Semana passada, o leitor Victor me perguntou quais e quantos jogadores se naturalizaram para defender a seleção francesa, e eu respondi que ia pesquisar, porque tinha uma ideia de que eram muitos. E realmente são, em consonância com os fatos de o país ter sido uma potência imperial, com várias colônias na África e Américas, e de atrair muitos imigrantes destas colônias que se transformaram em pequenas e menos desenvolvidas nações.

Se incluirmos ainda os atletas nascidos na França mas com pais estrangeiros, a lista cresce muito. São os casos de Zinedine Zidane, Karim Benzema e Samir Nasri, de origem argelina, e Hatem Ben Arfa, cuja família é tunisiana.

No elenco atual dos Bleus, composto por muitos afrofranceses, temos, entre outros, estes países-fontes: Costa do Marfim: Abou Diaby; Guadalupe: Thierry Henry e William Gallas; Guiné-Bissau: Bafétimbi Gomis; Mali: Alou e Lassana Diarra; Martinica: Nicolas Anelka; Senegal: Bacary Sagna. Há, é claro, naturalizados: Florent Malouda nasceu na Guiana Francesa, vizinha do Brasil; Patrice Evra é senegalês; Steve Mandanda, congolês, e Jean-Alain Boumsong é camaronês.

Vamos a um breve recorrido histórico dos naturalizados: o artilheiro da Copa da Suécia de 1958 (13 gols em 6 jogos!), Just Fontaine, nasceu no Marrocos. No grupo que chegou à semifinal do Mundial de 1982, estavam o zagueiro Marius Trésor, de Guadalupe (ilha da América Central), e o meio-campo Jean Tigana, vindo do Mali.

A geração do primeiro título mundial (1998) tinha o lateral-direito Lilian Thuram, outro de Guadalupe, e os volantes Patrick Vieira, de Senegal, Marcel Desailly, de Gana, e Christian Karembeu, da Nova Caledônia (colônia na Oceania). Na equipe vice-campeã do mundo em 2006, estava o volante Claude Makélélé, originário do antigo Zaire, atual República Democrática do Congo.

**FALANDO EM SELEÇÃO, Raymond Domenech convocou ontem 23 jogadores para os duríssimos confrontos contra Romênia (dia 5) e Sérvia (dia 9), pelas Eliminatórias. Vieira está fora e Ribéry dentro. Para ver os nomes, CLIQUEZ ICI.

Henry, o da coxa acariciada (ui!), participou da conquista
de hoje do Barcelona, supercampeão europeu (Reuters)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,