Publicidade

Posts com a Tag Copa 1998

quarta-feira, 11 de maio de 2016 Copa do Mundo, Ex-jogadores, Seleção francesa | 13:42

Planeta Bola: Os brasileiros chamados Zidane

Compartilhe: Twitter

Publiquei hoje no blog Planeta Bola, também do iG, sobre a curiosa aderência do nome Zidane a brasileiros nascidos depois que o craque francês foi um dos principais responsáveis pela eliminação da seleção nacional em duas Copas do Mundo.

Para ler o post, CLIQUE AQUI.

(lembrando que, desde outubro de 2015, como postei aqui, passei a abastecer o Planeta Bola, deixando este blog sem posts originais)

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 28 de março de 2015 Brasileiros contra a França, Seleção francesa | 00:14

No palco de 98, Brasil quebra série invicta francesa

Compartilhe: Twitter
Decepção. é claro, dando o tom da saída de campo em Saint-Denis (menos para Galvão Bueno e cia. pacheca...)

Decepção. é claro, dando o tom da saída de campo em Saint-Denis (menos para Galvão Bueno e cia. pacheca…)

Ontem (publiquei ainda na sexta, mas o fuso horário do blog é 1h na frente…rs), Dunga e Deschamps voltaram a se enfrentar no Stade de France, mas agora como treinadores das seleções que lideraram dentro de campo em 1998.

E diferentemente do que vimos na primeira Copa vencida pela França, desta vez o Brasil prevaleceu, quase repetindo o placar do Mundial. Saiu perdendo (o zagueiro Varane abriu o placar, de cabeça), reagiu, virou e consolidou seu sétimo triunfo nos sete jogos da “nova” era Dunga com o placar de 3 a 1.

Como grafou o jornal L’Equipe em sua manchete da edição de hoje, foi um cartão amarelo para o time de Deschamps, que depois da Copa no Brasil vinha invicto. Começou bem no primeiro tempo, porém não conseguia atacar com a bola rolando, graças à marcação brasileira. E no segundo tempo a superioridade visitante foi marcante, diante da apatia bleu, em que pese estar desfalcado de nomes importantes, como Pogba e Cabaye.

Ok, foi só um amistoso, não há preocupação grande com resultados na preparação para a Euro 2016, para a qual a França, por ser a anfitriã, já está garantida. Domingo já tem novo compromisso, dessa vez contra a Dinamarca, vamos ver se a equipe supera a timidez. E não dá pra dizer que o Brasil deu troco por 1998 e/ou 2006 (como não tinha dado quando voltou a bater os algozes, em 2013, naquele amistoso em Porto Alegre). Copa é outra história e outro peso!

PS: A quem tb não conseguiu ver a partida ao vivo (eu tava voltando de viagem…) e gostaria de revê-la, NESTE LINK é possível baixá-la!

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

sábado, 28 de fevereiro de 2015 Ex-jogadores, Seleção francesa | 17:18

O que fazem os campeões do mundo hoje?

Compartilhe: Twitter

Em 1998, pela primeira (e única) vez uma Copa do Mundo acabou com a França. Onde estão atuando aqueles jogadores atualmente?

Fabien Barthez (goleiro titular): Era diretor esportivo do Luzenac até setembro passado, quando saiu depois que a Federação Francesa de Futebol se negou a autorizar a ascensão do clube para a Ligue 2.

Laurent Blanc (zagueiro titular, fora da final por expulsão na semifinal): Treinador do Paris Saint Germain desde 2013.

Alain Boghossian (meia reserva): Consultor para TV da Eurosport França. Já foi assistente técnico da seleção francesa durante a passagem de Blanc como técnico bleu.

Vincent Candela (lateral-direito e esquerdo reserva): Participou recentemente do programa “Dancing with the Stars” na TV italiana. Tem investido em vários restaurantes na Italia.

Lionel Charbonnier (goleiro reserva): É técnico do Istres, que caiu para a terceira divisão no ano passado.

Marcel Desailly (zagueiro titular, embora também tenha se destacado na carreira como volante. Foi capitão uma vez, na ausência de DD): É consultor para as emissoras de TV francesas Canal+ e Al Jazeera Sport, e segue presente no mundo da publicidade (no site do L’Equipe vc costuma vê-lo em banners animados…)

Didier Deschamps (volante titular e capitão da campanha): É “somente” o técnico da seleção francesa. Antes, passou pelos bancos do Olympique de Marselha, Mônaco e Juventus-ITA, depois de uma vitoriosa carreira de jogador que incluiu passagens por OM e Juve, inclusive.

Bernard Diomède (ponta-esquerda reserva): É presidente da academia que leva seu nome em Issy-les-Moulineaux, uma associação que combina futebol e educação.

Youri Djorkaeff (meia titular)É presidente do Décines, clube que fica nos subúrbios de Lyon. Também é proprietário de um restaurante em Nova York.

Christophe Dugarry (atacante reserva): É consultor do Canal+ francês.

Líderes do elenco vencedor, Blanc e Deschamps se tornaram os técnicos mais de ponta dentre aquele grupo de jogadores

Líderes do elenco vencedor, Blanc e Deschamps se tornaram os técnicos mais de ponta dentre aquele grupo de jogadores

Stéphane Guivarc’h (atacante titular. Não marcou gol): É vice-presidente executivo e treinador do seu primeiro clube amador, o US Trégunc. Paralelamente, trabalha em uma empresa onde vende piscinas.

Thierry Henry (atacante que começou titular e terminou reserva de Karembeu): Recém-aposentado, como maior artilheiro da história da seleção. É consultor para a TV britânica na Sky Sports e disse recentemente que pretende se preparar para virar treinador no futuro.

Christian Karembeu (volante que ganhou a titularidade de Henry): É Embaixador Estratégico em Relações Internacionais do Olympiakos-GRE, onde jogou de 2001 a 2004.

Bernard Lama (terceiro goleiro): É treinador do UD Montjoly, da Guiana Francesa, e da própria seleção da Guiana!

Frank Leboeuf (zagueiro reserva que substituiu Blanc na final): É consultor para a emissora francesa TF1 e também… ator. Esteve no filme “A Teoria de Tudo”, sobre a vida de Stephen Hawking (é o médico que diz à esposa dele que a traqueostomia deixá-lo-ia sem voz), concorrente ao Oscar deste ano. Aliás, uma bela história essa película!

Bixente Lizarazu (lateral-esquerdo titular): É consultor para a emissora de TV francesa TF1 e tem seu próprio programa na rádio francesa RTL. Depois do futebol, partiu para o jiu-jitsu e não fez feio, sendo até campeão europeu em 2009.

Emmanuel Petit (volante titular): É consultor nas emissoras públicas da France Télévisions.

Robert Pires (meia reserva): Após acabar seu contrato com o FC Goa na Liga da India, voltou para a Europa, com a esperança de encontrar uma oportunidade para seguir atuando. Sim, é o único ainda jogador!

Lilian Thuram (lateral-direito titular): É o fundador e presidente da Fundação para a Educação Lilian Thuram contra o racismo.

David Trezeguet (atacante reserva): Anunciou a aposentadoria no mês passado, tendo anunciado que seria uma espécie de embaixador da Juventus da Itália, onde mais se destacou, na América do Sul, ajudando na prospecção de talentos.

Patrick Vieira (volante reserva): Aposentou-se no Manchester City em 2o11 e segue no clube, agora gerenciando a formação de atletas (CT e categorias de base).

Zinedine Zidane (não precisa relembrar, né?): Foi manager, assistente técnico do Real Madrid e agora dirige o Castilla (Real Madrid B), além de ser consultor ocasional para o Canal + França.

Adaptado deste post do blog em espanhol Futbol desde Francia

Para saber mais sobre o desempenho francês na campanha do título de 98, uma página com vários dados é a da Wikipedia francesa

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014 Ex-jogadores, Franceses no mundo | 19:12

Merci, Thierry Henry!

Compartilhe: Twitter

“Foi uma viagem incrível”, disse Thierry Henry no último dia 16, terça-feira, ao declarar a aposentadoria do futebol profissional aos 37 anos.

É claro que o atacante não se refere apenas aos cinco anos passados nos Estados Unidos, sua última caminhada na carreira iniciada no Principado mais famoso da Europa, há duas décadas.

Começando a carreira, à la Ruud Gullit (Thierry revelou que a preferência pela camisa 12 na seleção vem da admiração por outro holandês, Van Basten)

Começando a carreira, à la Ruud Gullit (Thierry revelou que a preferência pela camisa 12 na seleção vem da admiração por outro holandês, Van Basten)

Foram muitas conquistas e tantos, tantos gols na trajetória que incluiu Monaco, Juventus, Arsenal, Barcelona e New York Red Bulls, em cinco países diferentes. Com o cume no clube inglês, onde o camisa 14 se tornou o maior artilheiro da agremiação (quase 230 gols) e ganhou até estátua, em 2011.

Carreira vencedora e recordista também na seleção: foi do sub 16 aos Espoirs, galgando os degraus da base, até chegar aos Bleus em 1997. Até 2010, somou 123 partidas (só perde para Lilian Thuram, 142) e 51 gols: goleador-mor da história da França como seleção. Esteve nos dois feitos máximos do país no maior dos torneios que há, como meio titular/meio reserva na Copa de 1998 (o artilheiro daquele time) e titular na de 2006, quando foi “o carrasco” brasileiro da vez (artilheiro francês ao lado de Zidane).

Até pra dar um tapa pro gol o nêgo tinha estilo!

Até pra dar um tapa pro gol o nêgo tinha estilo!

Nos fiascos dos Mundiais de 2002 (expulso no segundo jogo) e 2010 foi titular também, tendo contribuído de forma bem peculiar, naquela repescagem contra a Irlanda em 2009, para que a equipe de Domenech fosse à África do Sul no ano seguinte. Enfim, é o jogador que mais Copas disputou com os Bleus, 4. Como ainda tem um título europeu (2000) e uma Copa das Confederações (2003), dá pra dizer que a passagem, no geral, foi positiva de fato.

França x Irlanda, 2009: A versão francesa da mão de Deus de Maradona-1986...

França x Irlanda, 2009: A versão francesa da mão de Deus de Maradona-1986…

Agora será comentarista da TV inglesa Sky Sports, mas vamos torcer para que apareça numas peladas de vez em quando, como esses jogos entre amigos que acabam sendo transmitidos pra preencher lacunas de programação televisiva em dias xoxos que todo ano tem. Porque aí vamos poder matar um pouco da saudade do craque, finalizador de classe e elegância que tanto aplaudimos (e tentamos imitar sem sucesso) nos últimos anos.

Merci Henry!

No final da carreira, com a camisa do NY Red Bulls, pela liga estadunidense, a MLS

No final da carreira, com a camisa do NY Red Bulls, pela liga estadunidense, a MLS

-> 14 momentos inesquecíveis (como golaços épicos) do 14 do Arsenal: leia no site Trivela

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 3 de julho de 2014 Extracampo | 19:36

Alagoano homenageia três ídolos franceses no seu nome!

Compartilhe: Twitter

Acho que, hoje no Brasil, há mais simpatizantes da Alemanha do que da França em se tratando de futebol. Isso por conta da repercussão das duas ligas, da força das seleções nos últimos anos, e porque os Bleus foram bem mais pedra no sapato brasileiro do que os germânicos nas Copas em que a canarinho fracassou.

Mesmo assim, vários brasileiros torcerão pra seleção francesa amanhã, contra a alemã pelas quartas de finais da Copa 2014 que define o adversário do Brasil em uma das semifinais se, é claro, a Colômbia for batida nesta sexta também. Assim como torcerá a família do garoto do exótico nome grifado na imagem abaixo…

O menino e seu pai, que o batizou assim (…), apareceram no início de uma reportagem do Bom Dia Brasil, da TV Globo, exibida hoje (clique aqui para assisti-la).

Zinédine Yazid Zidane é o nome completo Dele, é claro, Mestre Zizou, maior jogador francês da história. Thierry Hanry faz referência, obviamente, a Thierry Henry (o “Hanry” vem de como se pronuncia…), maior artilheiro bleu até hoje. E o Barthez antes do Eric homenageia, exatamente, Fabien Barthez, goleiro carequinha também campeão mundial em 1998, como os anteriores, e igualmente ícone dessa geração vencedora.

Gostos à parte, se todos gostamos da França, então vamos fortalecer a torcida! #Allez

-> Leia as últimas notícias francesas na Copa na página do iG Esporte

No twitter @obrunopessa, com a hashtag #leblogdufoot, tem mais informações e comentários meus sobre a França e a Copa ;)

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 25 de junho de 2014 Copa do Mundo, Seleção francesa | 20:02

França e Equador ficam no zero: classificação em primeiro!

Compartilhe: Twitter
Terceira combinação de uniforme diferente da França: hoje toda de branco, contra Suíça de branco-azul-branco, e contra Honduras de azul-azul e vermelho, de cima para baixo (Le Monde)

Terceira combinação de uniforme diferente da França: hoje toda de branco, contra Suíça de branco-azul-branco, e contra Honduras de azul-azul-vermelho, de cima para baixo (Le Monde)

Não deu para repetir a façanha da Copa de 1998, com 100% de aproveitamento na fase de grupos, mas a invencibilidade foi mantida hoje no Rio de Janeiro e, o que é mais importante, o posto de líder do Grupo E para o próximo desafio nesta Copa 2014. Pelas oitavas de finais, o adversário a ser batido é a Nigéria, segunda colocada do Grupo F, na segunda-feira, dia 30, às 13h, em Brasília. À Suíça, que se classificou atrás dos Bleus, cabe a tarefa inglória de encarar a Argentina, na terça-feira, 13h, em São Paulo.

-> Principal jogador francês na Copa, Karim Benzema não canta o hino nacional em protesto contra a xenofobia

Benzema, que havia marcado 9 vezes nas últimas 8 partidas pela França, passou em branco pela primeira vez no torneio, mantendo-se com 24 gols com a camisa francesa – é o 9º maior artilheiro bleu, dois gols atrás de Wiltord, que atuou de 1999 a 2006 e foi vice-campeão mundial na última Copa disputada na Alemanha. O duelo do 10 gaulês contra Enner Valencia, goleador equatoriano, prometia ser bom, porém não estavam calibrados nesta quarta-feira – tanto que o melhor em campo, segundo o Man of The Match, foi o arqueiro Domínguez…

O jogo
Com Cabaye suspenso e a classificação 99% assegurada antes do apito inicial, Deschamps optou por poupar alguns titulares, como Debuchy, Varane, Evra e Valbuena. O primeiro tempo foi mais pegado do que bem jogado, com poucas chances claras de gols, algumas trombadas e até uma cotovelada de Sakho, que ainda bem que o árbitro não viu…

Os jogadores deixaram o gramado para o intervalo sob vaias dos brasileiros no Maracanã, que teve mais de 73 mil pessoas de público! Os franceses estavam tranquilos, e os equatorianos apreensivos, pois com o empate e a vitória da Suíça por 2 a 0 sobre Honduras, era preciso vencer para seguir no Mundial.

-> Em família: belas esposas e namoradas dos atletas franceses posam para foto no Maraca

O segundo tempo começou muito bom para os Bleus. Logo no primeiro minuto, Sagna apareceu bem, perto da linha de fundo, cruzou rasteira e Griezmann desviou rumo ao gol. Domínguez defendeu no reflexo e a bola tocou a trave! Dois minutos depois, Digne tentou desarmar Antonio Valencia no carrinho, e o meia-atacante sul-americano deixou as travas da chuteira na perna do lateral do PSG: vermelho pra ele!

A partida ganhava em emoção, pois o Equador não esmorecia, mesmo com um a menos, pela necessidade premente do gol, consequentemente dando mais espaço para a França contra-atacar com perigo. Com 15 minutos, Deschamps colocou Varane, para poupar Sakho, com dor na coxa esquerda, e dar ritmo de jogo ao zagueiro do Real Madrid.

-> A ESPN do Brasil deslocou o competente comentarista Leonardo Bertozzi para acompanhar a França na Copa. Para acompanhá-lo, seu Twitter é @lbertozzi

Outro que teve mais uma chance foi Giroud, aos 21, substituindo o motor do time, Matuidi – fez muito bem Didier em dar uma descansada nele! O Equador foi cansando, se arriscando e dando mais posse de bola aos franceses, enquanto a Suíça ampliava pra 3 a 0 sua vitória… Aos 28, Sissoko levantou na medida para Pogba, mas o cabeceio do volante da Juventus saiu torto, que chance desperdiçada!

Cinco minutos depois, a última troca de DD, permitindo a Rémy estrear na Copa com a saída de Griezmann. Valente, o adversário não desistia de atacar e preocupar, ao passo que Les Bleus também não abdicavam do jogo, apesar de errar e se lamentar muito na frente – Pogba era um dos que mereciam o gol. E assim foi até o final, na segunda vez em que as seleções se enfrentaram – na primeira, houve vitória francesa por 2 a 0 em amistoso disputado em 2008.

Que venham os nigerianos! Lembrando que, todas as vezes em que foi além da primeira fase, nossa seleção chegou pelo menos às semifinais (58, 82, 86, 98 e 06)!!

Ficha técnica francesa: Lloris; Sagna, Koscielny, Sakho (Varane), Digne; Pogba, Matuidi (Giroud), Sissoko e Schneiderlin; Griezmann (Rémy) e Benzema. Técnico: Deschamps

No twitter @obrunopessa, com a hashtag #leblogdufoot, tem mais informações e comentários meus sobre a França e a Copa ;)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 12 de junho de 2014 Copa do Mundo, Seleção francesa | 23:04

Retrospecto francês contra os adversários na 1a fase

Compartilhe: Twitter
Tabela com os gols marcados pelas maiores artilheiras em todos os Mundiais

Tabela com os gols marcados pelas maiores artilheiras em todos os Mundiais

A França está a quatro gols da marca do centésimo em sua trajetória nas Copas do Mundo (conforme tabela acima, antes de considerar os gols brasileiros na estreia de hoje). Participou de 13 das 19 edições até aqui. A campeã do mundo em 1998 repetiu o feito de chegar a uma final em 2006, mas decepcionou feio ao se despedir nas primeiras fases em 2002, quando vinha como defensora do título, e 2010, a primeira Copa da Era Le Blog du Foot.

É a primeira vez que enfrentará Honduras, seu adversário na estreia, no domingo. O país centro-americano ainda busca sua primeira vitória num Mundial (3 empates e 3 derrotas). Apesar do retrospecto mais vitorioso, os Bleus não ganham em uma Copa desde a derrota imposta a Portugal (1 a 0) na semifinal de 2006. Empatou a final com a Itália, no tempo regulamentar, e nos três jogos na África do Sul foram duas derrotas, um empate e apenas um mísero gol marcado.

Apesar de teoricamente mais frágil do que suíços e equatorianos, o time hondurenho foi visto de perto por um espião francês nos testes antes de vir ao Brasil.

Contra a Suíça, pelo contrário, já existe uma história de 36 duelos de 1905 a 2006, com 15 vitórias francesas, 12 suíças e 9 empates. O último foi na Copa da Alemanha, um zero a zero na fase de grupos – um placar com a cara do estilo de jogo que os suíços têm implantado nos últimos anos. Agora novamente pelo torneio mais importante do mundo, dia 20.

França e Equador se encontraram apenas uma vez antes do jogo que acontecerá dia 25. Foi um amistoso em Grenoble, em maio de 2008, com triunfo dos donos da casa por 2 a 0.

No twitter @obrunopessa, com a hashtag #leblogdufoot, tem mais informações e comentários meus sobre a França e a Copa

-> FALTAM 3 DIAS PARA A ESTREIA FRANCESA NA COPA 2014!! <-

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 27 de maio de 2014 Seleção francesa | 19:28

Giroud, Valbuena e Griezmann aproveitam bem amistoso contra Noruega

Compartilhe: Twitter

Incorpado em 28/05

Em seu segundo jogo pela seleção, Ruffier mostrou a segurança que estamos acostumados a ver no Saint-Etienne (Reuters)

Em seu segundo jogo pela seleção, Ruffier mostrou a segurança que estamos acostumados a ver no Saint-Etienne (Reuters)

Fazia tempo que a França não metia quatro no Stade de France (outubro de 2005, contra o pobre Chipre), por isso a alegria do placar de hoje contra os nórdicos, no primeiro teste dos convocados pra Copa 2014.

Com o goleiro Lloris poupado, Ruffier foi o titular sob as balizas e o zagueiro Sakho o terceiro capitão da era Deschamps (Lloris e Matuidi o antecederam). Didier escalou Ruffier; Debuchy, Sakho, Koscielny, Evra; Cabaye, Pogba, Matuidi, Valbuena; Griezmann e Giroud.

-> Impulsionadora de talentos: conheça a Casa do Futebol que a Federação Francesa mantém em Clairefontaine, concentração número 1 da seleção

Logo aos 15 minutos, Pogba abriu o placar, o primeiro gol de cabeça da seleção desde março de 2013 (Giroud contra a Geórgia), após cruzamento de um impedido Valbuena. No segundo tempo, Sissoko e Digne vieram pros lugares de Pogba e Evra, e a goleada surgiu.

Mathieu Valbuena foi decisivo de novo, assistindo o arremate de Giroud aos 6 minutos. Rémy substituiu o participativo Griezmann aos 20, e dois minutos depois deixou o seu, após receber muito bom passe de Debuchy. Os 4 a 0 já vieram com 24 minutos, novamente num centro de Valb para a testada de Olivier Giroud, uma sombra real para o descansado Benzema.

O meia baixinho do Olympique de Marseille repetiu as três assistências que o poupado Ribéry conseguiu na última goleada francesa, os 6 a 0 na Austrália. Grenier, Mavuba e o estreante Cabella também participaram, nos lugares de Valbuena, Matuidi e Cabaye.

-> Confira os melhores lances do amistoso segundo o site do L’Equipe

A última vitória francesa sobre os noruegueses fora lááá em 1988, gol de Jean-Pierre Papin. O derradeiro embate, antes do de hoje em Saint-Denis, acontecera na estreia da Era Blanc: derrota por 2 a 1 em agosto de 2010.

A Noruega, que derrotou o Brasil na nossa Copa do Mundo de 1998, não consegue ir a um Mundial desde então.

Nostalgia
Apareceu na minha timeline tuítica hoje um vídeo com gol de Zidane sobre a Noruega, naquele mágico ano de 1998. Assista clicando aqui e, mais do que a conclusão pras redes, repare no domínio do mestre ao receber o lançamento de Djorkaeff. SEN-SA-CIO-NAL!

-> FALTAM 19 DIAS PARA A ESTREIA FRANCESA NA COPA 2014! <-

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 19 de maio de 2014 Ex-jogadores, Extracampo | 19:24

Zidane ataca de novo em comercial para Copa; assista!

Compartilhe: Twitter

Abri 2014 neste blog postando um vídeo de propaganda da Visa para a Copa, com Zidane como um dos carrascos brasileiros históricos.

Abaixo, uma nova peça da campanha, agora explorando a rivalidade França x Itália com Zizou e Cannavaro. Ambos os garotos-propaganda da empresa de crediário participaram dos dois últimos duelos entre as seleções em Mundiais.

A campanha do título francês em casa em 1998 teve vitória sobre a Itália nos pênaltis, nas quartas de finais. Em 2006, veio o troco em grande estilo da Azzurra, na decisão, também nas penalidades.

Veja o vídeo com Zidane em apuros numa cantina cheia de italianos:

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 Seleção francesa | 11:17

Convocados pra França x Holanda e vitórias do passado

Compartilhe: Twitter

Atualizado às 13h38

Didier Deschamps anunciou hoje os nomes para o amistoso do dia 5 de março (quarta que vem), contra os Países Baixos no Stade de France, em Saint-Dennis.

As novidades são as estreias do lateral-esquerdo Lucas Digne, atualmente reserva no PSG, e do atacante Antoine Griezmann, destaque do espanhol Real Sociedad (tem 15 gols na liga nacional), que já cumpriu suspensão depois de ter sido punido por indisciplina na seleção de base, à época com outros colegas. Ambos os debutantes, porém, já fizeram bonito nas categorias juvenis dos Bleus, Les Espoirs, que foram campeões mundiais sub-20 ano passado.

Abidal, Nasri, Lacazette e Thauvin não foram chamados. O primeiro está gripado, não tendo treinado com o Monaco nesta quinta, e é dúvida para o compromisso do time de depois de amanhã, contra o Saint-Etienne, pelo Campeonato Francês. O terceiro vem bem com o Lyon na Ligue 1, sendo artilheiro do time, e concordo com quem o considera mais merecedor do que o Payet de estar na lista.

Layvin Kurzawa vem fazendo ótima temporada na lateral-esquerda do Monaco, como eu disse recentemente aqui, mas acabou sendo chamado para a seleção sub 21, justamente os Espoirs, que enfrentam Belarus pelas Eliminatórias da Eurocopa 2015 da categoria no dia 4.

É a última convocação programada antes do técnico chamar seus selecionados e pré-selecionados para vir à Copa, que no caso francês terá amistosos preparatórios antes do início do Mundial. Hora dos caras abaixo mostrarem o melhor trabalho possível!

La liste des Bleus

GARDIENS : Lloris (Tottenham/ANG), Mandanda (Marseille), Ruffier (St-Etienne)

DEFENSEURS : Debuchy (Newcastle/ANG), Evra (Manchester United/ANG), Koscielny (Arsenal/ANG), Sagna (Arsenal/ANG), Sakho (Liverpool/ANG), Varane (Real/ESP), Mangala (FC Porto/POR), Digne (PSG)

MILIEUX : Matuidi (PSG), Pogba (Juventus/ITA), Sissoko (Newcastle/ANG), Grenier (Lyon), Cabaye (PSG), Mavuba (Lille), Valbuena (Marseille)

ATTAQUANTS : Benzema (Real Madrid/ESP), Giroud (Arsenal/ANG), Payet (Marseille), Ribéry (Bayern Munich/ALL), Rémy (Newcastle/ANG), Griezmann (Real Sociedad/ESP)

**

Plus
O site da FFF disponibilizou vídeos com duas vitórias bleus sobre os laranjas, que trazem curiosidades, confira:

18/11/1981 – 2 x 0 pelas Eliminatórias pra Copa de 1982, gols de Michel Platini e Didier Six no estádio Parc des Princes (a base daquele time chegaria à 4ª colocação no Mundial espanhol). A vitória foi 50% do que a seleção de Michel Hidalgo precisava para conquistar a vaga. Como os outros 50% eram vencer o Chipre em casa semanas depois, assim que acabou a partida contra os neerlandeses teve invasão de campo e festa generalizada…

26/02/19972 x 1 em amistoso, um ano antes da Copa de 1998, gols do meia Robert Pires e do atacante Patrick Loko pros Bleus, também no campo do PSG. Detalhe que nenhum dos dois goleadores da partida, assim como o então goleiro titular, Bernard Lama, compuseram o elenco campeão mundial em casa no ano seguinte…

-> Recomendo um texto de Andres Onrubia, colaborador do site Futbol desde Francia, sobre as opções (muitas, segundo ele) de Deschamps para a Copa.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última