Publicidade

Arquivo da Categoria Ex-jogadores

quarta-feira, 11 de maio de 2016 Copa do Mundo, Ex-jogadores, Seleção francesa | 13:42

Planeta Bola: Os brasileiros chamados Zidane

Compartilhe: Twitter

Publiquei hoje no blog Planeta Bola, também do iG, sobre a curiosa aderência do nome Zidane a brasileiros nascidos depois que o craque francês foi um dos principais responsáveis pela eliminação da seleção nacional em duas Copas do Mundo.

Para ler o post, CLIQUE AQUI.

(lembrando que, desde outubro de 2015, como postei aqui, passei a abastecer o Planeta Bola, deixando este blog sem posts originais)

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 20 de abril de 2015 Ex-jogadores, Extracampo | 23:12

12º Jogo contra a Pobreza e 6º aniversário do blog

Compartilhe: Twitter

 No último dia 17 completamos, eu e esta página, 6 anos de vida internética ininterrupta! Obrigado a todos que passaram por aqui, seja uma, 7 ou 70 vezes, e especialmente aos que ainda não nos abandonaram!! 😛

Falando em aniversário nos lembramos de festa, o que vemos no futebol quando há jogos beneficentes e descontraídos entre jogadores da atualidade e do passado, por exemplo. Como hoje, no 12º Match Against Poverty, organizado por Zinedine Zidane e Ronaldo Fenômeno. Os amigos dos ex-craques jogaram contra os atletas e veteranos do Saint-Etienne, justamente no estádio Geoffroy-Guichard, casa dos Verts.

E os “ASSE All Stars” fizeram bonito contra os amigos de Zizou e R9, também chamados de time da United Nations Development Programme (UNDP), braço da ONU que tem o francês e o brasileiro como embaixadores. Com alguns jogadores em atividade na equipe, o que evidentemente lhe deu mais gás na segunda metade do segundo tempo, venceram de virada por 9 a 7 com gols de Aubameyang (3), hoje atacante do Borussia Dortmund, Mollo (2), meia do elenco atual, Battles (2), meia aposentado em 2012, Feindouno, meia guineense ainda em atividade, e o brasileiro Alex Dias, que parou em 2012 mas voltou este ano, no interior de SP.

map

 Clique sobre a foto para visualizá-la sem esse embaço

Aliás, acompanhando a partida pelo Twitter, com as postagens da hashtag #MAP2015, deu para perceber o saudosismo dos torcedores do Sainté em relação a Dias, que marcou um belo gol de virada e comemorou imitando uma pantera, como fazia nos bons tempos defendendo o clube (teve duas passagens, 1999 a 2001, e 2002 a 2003). Um chegou a sugerir que, no final da temporada, o ASSE troque o atual centroavante Erding por ele…

Assim como no tempo em que destruíam defesas adversárias, Ronaldo se destacou em gols, com três, e Zidane em passes açucarados. Os franceses Trezeguet e Djorkaeff, além de Seedorf e Jay Jay Okocha, nigeriano que passou pelo PSG, foram os outros goleadores da equipe dos embaixadores. Também estiveram em campo Barthez, Abidal, Karembeu, do lado visitante, além de Janot, ex-goleiro stephanois, e Zouma, zagueiro revelado pelo clube verde e hoje no Chelsea.

A beneficência do jogo foi que dois terços da arrecadação se destinaram a famílias de vítimas do Ebola na África, e o terço restante para a fundação do Saint-Étienne. Assista a todos os 16 gols da partida neste vídeo.

Ah, amanhã tem Barcelona x PSG, belo programa prum feriado! E na quarta, menos badalado mas tão importante quanto, Monaco x Juventus, também pela Liga dos Campeões da Europa.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 30 de março de 2015 Brasileiros na França, Ex-jogadores, Torneios europeus | 14:55

Nos 90′, PSG eliminou Barça e Juve o Monaco pela Champions

Compartilhe: Twitter
Valdo com a bola contra o Barça em 1995: o meia brasileiro era outro destaque aquele PSG

Valdo com a bola contra o Barça em 1995: o meia brasileiro era outro destaque aquele PSG

Após sorteio no último dia 20, ficou decidido que PSG e Barcelona vão se enfrentar nas quartas de final da Champions League 2014/2015. Em 1995, as equipes duelaram por uma vaga nas semifinais do torneio europeu. Relembre, conforme relato do site da ESPN:

O jogo de ida das quartas de final do duelo foi no Camp Nou, na Espanha. O Barcelona abriu o placar com Igor Korneev, aos 47min, após frango de Bernard Lama. O empate veio com George Weah, aos 54min. O 1 a 1 foi ótimo para os franceses.

No Parc des Princes, na França, o PSG martelou, martelou e martelou… mas só acertava a trave. Até que José Mari Bakero, no início do segundo tempo, abriu o placar para o Barcelona, que, com o 1 a 0, iria à semi. No entanto, o time francês reagiu e, com gols de Raí e Vincent Guérin, virou o jogo e garantiu a vaga na próxima fase da Champions.

*O PSG enfrentou o Milan na semifinal daquela temporada e acabou eliminado ao perder na ida e na volta: 3 a 0 no agregado.

-> Assista aos gols do duelo de 1995 no vídeo deste link

Juventus x Monaco, outro duelo das quartas da atual Liga dos Campeões, também aconteceu nos anos 1990. Em 1998, as equipes duelaram nas semifinais do torneio europeu e o site da ESPN novamente relembra:

O moleque Henry tenta superar marcação da Juve em 1998: prevaleceu o time italiano, que tinha Zidane e Del Piero em ótimas fases

O moleque Henry tenta superar marcação da Juve em 1998: prevaleceu o time italiano, que tinha Zidane e Del Piero em ótimas fases

Alessandro Del Piero infernizou a vida do Monaco na temporada 1997/1998 da Champions League. Isso porque foi o italiano que decidiu a classificação da Juventus para a final da competição daquele ano.

Na vitória da por 4 a 1 da Vecchia Signora no jogo de ida, no Delle Alpi, foram três gols de Del Piero e um de Zidane. Costinha descontou para o Rouge et Blanc.

Com um pé na final, a Juve foi tranquila para o joga da volta e relaxou: derrota por 3 a 2 para os franceses, no Stade Louis II, mas classificação assegurada para a decisão. Philippe Léonard, Thierry Henry e Robert Spehar marcaram os gols do triunfo do Monaco. Nicola Amoruso e Del Piero fizeram para os italianos. Relembre os confrontos!

*Na grande decisão em Amsterdam, na Holanda, a Juventus acabou derrotada pelo Real Madrid por 1 a 0 – Mijatovic marcou o gol dos Merengues.

-> Assista aos gols do duelo de 1995 no vídeo deste link

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 28 de fevereiro de 2015 Ex-jogadores, Seleção francesa | 17:18

O que fazem os campeões do mundo hoje?

Compartilhe: Twitter

Em 1998, pela primeira (e única) vez uma Copa do Mundo acabou com a França. Onde estão atuando aqueles jogadores atualmente?

Fabien Barthez (goleiro titular): Era diretor esportivo do Luzenac até setembro passado, quando saiu depois que a Federação Francesa de Futebol se negou a autorizar a ascensão do clube para a Ligue 2.

Laurent Blanc (zagueiro titular, fora da final por expulsão na semifinal): Treinador do Paris Saint Germain desde 2013.

Alain Boghossian (meia reserva): Consultor para TV da Eurosport França. Já foi assistente técnico da seleção francesa durante a passagem de Blanc como técnico bleu.

Vincent Candela (lateral-direito e esquerdo reserva): Participou recentemente do programa “Dancing with the Stars” na TV italiana. Tem investido em vários restaurantes na Italia.

Lionel Charbonnier (goleiro reserva): É técnico do Istres, que caiu para a terceira divisão no ano passado.

Marcel Desailly (zagueiro titular, embora também tenha se destacado na carreira como volante. Foi capitão uma vez, na ausência de DD): É consultor para as emissoras de TV francesas Canal+ e Al Jazeera Sport, e segue presente no mundo da publicidade (no site do L’Equipe vc costuma vê-lo em banners animados…)

Didier Deschamps (volante titular e capitão da campanha): É “somente” o técnico da seleção francesa. Antes, passou pelos bancos do Olympique de Marselha, Mônaco e Juventus-ITA, depois de uma vitoriosa carreira de jogador que incluiu passagens por OM e Juve, inclusive.

Bernard Diomède (ponta-esquerda reserva): É presidente da academia que leva seu nome em Issy-les-Moulineaux, uma associação que combina futebol e educação.

Youri Djorkaeff (meia titular)É presidente do Décines, clube que fica nos subúrbios de Lyon. Também é proprietário de um restaurante em Nova York.

Christophe Dugarry (atacante reserva): É consultor do Canal+ francês.

Líderes do elenco vencedor, Blanc e Deschamps se tornaram os técnicos mais de ponta dentre aquele grupo de jogadores

Líderes do elenco vencedor, Blanc e Deschamps se tornaram os técnicos mais de ponta dentre aquele grupo de jogadores

Stéphane Guivarc’h (atacante titular. Não marcou gol): É vice-presidente executivo e treinador do seu primeiro clube amador, o US Trégunc. Paralelamente, trabalha em uma empresa onde vende piscinas.

Thierry Henry (atacante que começou titular e terminou reserva de Karembeu): Recém-aposentado, como maior artilheiro da história da seleção. É consultor para a TV britânica na Sky Sports e disse recentemente que pretende se preparar para virar treinador no futuro.

Christian Karembeu (volante que ganhou a titularidade de Henry): É Embaixador Estratégico em Relações Internacionais do Olympiakos-GRE, onde jogou de 2001 a 2004.

Bernard Lama (terceiro goleiro): É treinador do UD Montjoly, da Guiana Francesa, e da própria seleção da Guiana!

Frank Leboeuf (zagueiro reserva que substituiu Blanc na final): É consultor para a emissora francesa TF1 e também… ator. Esteve no filme “A Teoria de Tudo”, sobre a vida de Stephen Hawking (é o médico que diz à esposa dele que a traqueostomia deixá-lo-ia sem voz), concorrente ao Oscar deste ano. Aliás, uma bela história essa película!

Bixente Lizarazu (lateral-esquerdo titular): É consultor para a emissora de TV francesa TF1 e tem seu próprio programa na rádio francesa RTL. Depois do futebol, partiu para o jiu-jitsu e não fez feio, sendo até campeão europeu em 2009.

Emmanuel Petit (volante titular): É consultor nas emissoras públicas da France Télévisions.

Robert Pires (meia reserva): Após acabar seu contrato com o FC Goa na Liga da India, voltou para a Europa, com a esperança de encontrar uma oportunidade para seguir atuando. Sim, é o único ainda jogador!

Lilian Thuram (lateral-direito titular): É o fundador e presidente da Fundação para a Educação Lilian Thuram contra o racismo.

David Trezeguet (atacante reserva): Anunciou a aposentadoria no mês passado, tendo anunciado que seria uma espécie de embaixador da Juventus da Itália, onde mais se destacou, na América do Sul, ajudando na prospecção de talentos.

Patrick Vieira (volante reserva): Aposentou-se no Manchester City em 2o11 e segue no clube, agora gerenciando a formação de atletas (CT e categorias de base).

Zinedine Zidane (não precisa relembrar, né?): Foi manager, assistente técnico do Real Madrid e agora dirige o Castilla (Real Madrid B), além de ser consultor ocasional para o Canal + França.

Adaptado deste post do blog em espanhol Futbol desde Francia

Para saber mais sobre o desempenho francês na campanha do título de 98, uma página com vários dados é a da Wikipedia francesa

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014 Ex-jogadores, Franceses no mundo | 19:12

Merci, Thierry Henry!

Compartilhe: Twitter

“Foi uma viagem incrível”, disse Thierry Henry no último dia 16, terça-feira, ao declarar a aposentadoria do futebol profissional aos 37 anos.

É claro que o atacante não se refere apenas aos cinco anos passados nos Estados Unidos, sua última caminhada na carreira iniciada no Principado mais famoso da Europa, há duas décadas.

Começando a carreira, à la Ruud Gullit (Thierry revelou que a preferência pela camisa 12 na seleção vem da admiração por outro holandês, Van Basten)

Começando a carreira, à la Ruud Gullit (Thierry revelou que a preferência pela camisa 12 na seleção vem da admiração por outro holandês, Van Basten)

Foram muitas conquistas e tantos, tantos gols na trajetória que incluiu Monaco, Juventus, Arsenal, Barcelona e New York Red Bulls, em cinco países diferentes. Com o cume no clube inglês, onde o camisa 14 se tornou o maior artilheiro da agremiação (quase 230 gols) e ganhou até estátua, em 2011.

Carreira vencedora e recordista também na seleção: foi do sub 16 aos Espoirs, galgando os degraus da base, até chegar aos Bleus em 1997. Até 2010, somou 123 partidas (só perde para Lilian Thuram, 142) e 51 gols: goleador-mor da história da França como seleção. Esteve nos dois feitos máximos do país no maior dos torneios que há, como meio titular/meio reserva na Copa de 1998 (o artilheiro daquele time) e titular na de 2006, quando foi “o carrasco” brasileiro da vez (artilheiro francês ao lado de Zidane).

Até pra dar um tapa pro gol o nêgo tinha estilo!

Até pra dar um tapa pro gol o nêgo tinha estilo!

Nos fiascos dos Mundiais de 2002 (expulso no segundo jogo) e 2010 foi titular também, tendo contribuído de forma bem peculiar, naquela repescagem contra a Irlanda em 2009, para que a equipe de Domenech fosse à África do Sul no ano seguinte. Enfim, é o jogador que mais Copas disputou com os Bleus, 4. Como ainda tem um título europeu (2000) e uma Copa das Confederações (2003), dá pra dizer que a passagem, no geral, foi positiva de fato.

França x Irlanda, 2009: A versão francesa da mão de Deus de Maradona-1986...

França x Irlanda, 2009: A versão francesa da mão de Deus de Maradona-1986…

Agora será comentarista da TV inglesa Sky Sports, mas vamos torcer para que apareça numas peladas de vez em quando, como esses jogos entre amigos que acabam sendo transmitidos pra preencher lacunas de programação televisiva em dias xoxos que todo ano tem. Porque aí vamos poder matar um pouco da saudade do craque, finalizador de classe e elegância que tanto aplaudimos (e tentamos imitar sem sucesso) nos últimos anos.

Merci Henry!

No final da carreira, com a camisa do NY Red Bulls, pela liga estadunidense, a MLS

No final da carreira, com a camisa do NY Red Bulls, pela liga estadunidense, a MLS

-> 14 momentos inesquecíveis (como golaços épicos) do 14 do Arsenal: leia no site Trivela

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 18 de agosto de 2014 Brasileiros na França, Ex-jogadores, Extracampo, Franceses no mundo | 14:50

Quem trocou de camisa antes da temporada começar

Compartilhe: Twitter

tsilva-dluiz

Muita movimentação de jogadores nessa janela de transferências, afinal foi a transição de temporadas na Europa, e tivemos a Copa do Mundo que valorizou seus destaques.

Uma vez adversários quando Paris Saint-Germain e Chelsea se enfrentaram na Liga dos Campeões 2013/2014, como revela a foto acima, Thiago Silva e David Luiz agora repetem, no PSG, a companhia de zaga que já trazem da seleção brasileira. Titulares na Copa do Mundo, devem repetir o feito no clube francês, já que Thiago é o capitão e David chega como zagueiro mais caro da história do futebol francês (50 milhões de euros. É o 3º jogador mais caro, atrás de Edinson Cavani e Radamel Falcao – 66 e 64 milhões!)

Beque brasileiro que entra, beque brasileiro sai: Alex foi pro Milan, assim como o atacante francês Menez, também sem espaço no time estrelado de Laurent Blanc. O brasileiro Marquinhos sim, continua sendo zagueiro reserva no clube.

Se o atual bicampeão da Ligue 1 ganhou um grande reforço, seu maior rival no último campeonato perdeu seu jogador que mais se destacou na Copa brasileira. O Monaco não conseguiu segurar o meia colombiano James Rodríguez, artilheiro do Mundial e atraído pelo estrelado Real Madrid, que parece que tentou levar o também colombiano e monegasco Radamel Falcao Garcia, mas pela graça do bon Dieu (ainda) não conseguiu!

Teve mudança também no banco de reservas do bicolor do Principado: saiu o experiente italiano Cláudio Ranieri, chegou o jovem português Leonardo Jardim. Outros novos técnicos no foot são o veterano argentino Marcelo “El Loco” Bielsa, no Olympique de Marselha, e dois debutantes que quando jogadores atuaram pela seleção francesa: Claude Makelele, no Bastia, e Willy Sagnol, no Bordeaux.

Bielsa terá um bom reforço no ataque, Romain Alessandrini, que foi muito bem pelo Rennes recentemente. Quem saiu do OM foi o também ofensivo Jordan Ayew, agora no Lorient, e o lateral/zagueiro brasileiro Lucas Mendes, que foi para o Catar (El-Jaish). Porém, o maior destaque do time nos últimos anos se foi: o pequenino meia Mathieu Valbuena, que esteve nas Copas de 2010 e 2014, acertou com o Dynamo Moscou, da Rússia.

Já Makelele recebe o experiente centroavante brasileiro Brandão, que deixou o Saint-Etienne. O Rennes ganhou um reforço belga, o meia Christian Bruls, que estava emprestado pelo Nice ao La Gantoise, da própria Bélgica.

Franceses fora da França
Na Inglaterra, o Manchester City pegou dois defensores da seleção que disputou a Copa: o lateral-direito Bacary Sagna, ex-Arsenal, e o jovem zagueiro Eliaquim Mangala, ex-Porto e nada barato, viu? O Arsenal não saiu no prejuízo, pois a saída do lateral reserva dos Bleus foi compensada pela vinda do titular, Mathieu Debuchy, ex-Newcastle.

Outro a disputar a Premier League é o atacante Bafetimbi Gomis, que deixa o Lyon e parte para o Swansea. A Ligue 1 perdeu seu maior artilheiro em atividade nela e uma de suas maiores figuras também!

Mais notícias do mercado bola encontramos no espanhol Futbol desde Francia e no francês L’Equipe.

Quem souber de algum nome importante que eu não tenha colocado aqui, favor me avisar! :)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 10 de agosto de 2014 Ex-jogadores, Francês da 1ª divisão | 19:06

Cinco marcam dois gols na 1ª rodada do Francês

Compartilhe: Twitter
Tudo muito incipiente ainda, mas o líder após a 1ª rodada é o Caen, que venceu com a maior margem de gols (France Football)

Tudo muito incipiente ainda, mas o líder após a 1ª rodada é o Caen, que venceu com a maior margem de gols (France Football)

Incorpado até 13/8

O PSG estreou com Thiago Silva e Marquinhos na zaga contra o Stade de Reims, ainda não promovendo o debut de David Luiz. Thiago Motta, naturalizado italiano, e Lucas também foram titulares. O bicampeão começou com tudo e, tinha que ser ele né?, Ibrahimovic fez o primeiro gol da Ligue 1 2014/15 logo aos 7 minutos.

Lucas e Ibra perderam gols feitos, o sueco ainda desperdiçou um pênalti, parecia que a partida tinha dono. Mas… Ainda no primeiro tempo, Oniangué e Devaux viraram para os donos da casa! No segundo tempo o jogo caiu e o máximo que o poderoso Paris conseguiu foi empatar, pela quarta vez seguida na sua estreia pelo Francês.

O atacante sueco não foi o único a arrancar na disputa pela artilharia (que venceu com folga nos dois últimos campeonatos) com um doublé. André Pierre Gignac, também o principal homem gol de sua equipe, fez dois dos três do Olympique de Marseille contra o Bastia. Só que o OM também levou três gols, então nem um dos dois técnicos estrearam com vitória – o argentino Marcelo Bielsa, no Marselha, e Claude Makelele, ex-jogador da seleção francesa, no adversário, que teve o brasileiro Brandão debutando igualmente.

-> O site Vavel listou 10 boas perguntas que esse início de Ligue 1 desperta: veja quais são!

Cinco gols ocorreram em Nice 3 x 2 Toulouse, com a prevalência da Tia Nice destacando o argentino Dario Cvitanich, dois gols para ele. O Evian recebeu o Caen, de volta à elite, e se deu bem mal, levando 3 a 0. Mathieu Duhamel, atacante de 30 anos, foi mais um a entrar pro time dos dois gols na primeira rodada do torneio. Por fim, o experiente centroavante do Saint-Etienne mandou no placar do triunfo diante do Guingamp, fora de casa: 2 a 0, gols do turco Mevlut Erding.

Outro a vencer por dois gols de diferença foi o Lyon, que confirmou o favoritismo de anfitrião contra o Rennes, tentos anotados no segundo tempo por Malbranque e Lacazette (pênalti). Quem decepcionou, no entanto, foi o atual vice-campeão Monaco, batido em casa pelo Lorient por 2 a 1, na estreia do treinador português Leonardo Jardim, substituto do italiano Claudio Ranieri, e mesmo com gol do colombiano Falcao Garcia.

Um técnico que venceu em sua estreia, no clube e na função, foi o ex-atleta Willy Sagnol, que conduziu o Bordeaux ao resultado positivo básico contra o Montpellier (1-0), de Rolland Courbis, que já dirigiu os Girondinos.

Demais resultados:

Lille 0 x 0 Metz
Nantes 1 x 0 Lens

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 21 de maio de 2014 Ex-jogadores, Extracampo | 14:53

O incrível álbum de figurinhas do foot de 1993

Compartilhe: Twitter
Laurent Blanc, hoje técnico do PSG, quando era jogador e GAROTÃO em 1993

Laurent Blanc, hoje técnico do PSG, quando era jogador e GAROTÃO em 1992

Álbuns de figurinhas de esportes é das diversões mais duradoras, que vc curte sendo moleque, jovem, adulto, tio, etc. Em época de curtição de mais um álbum de Copa do Mundo, compartilho algumas figuraças de um livro de exóticos cromos que a mesma Panini fez para o Campeonato Francês de 1992 para 93.

A dica, publicada pelo ótimo site de futebol internacional Trivela, remete a uma postagem do também muito bom site Old School Panini, repleto de recordações figurinísticas futebolescas.

No estilo dos cards de esportes americanos, o álbum tem uma seção especial para os jogadores que defendiam a seleção francesa na época, e é daí que vemos Blanc nessa pose ~insinuante~ da foto acima e colegas como Eric Cantona, Emmanuel Petit, Remi Garde e até o atual selecionador bleu Didier Deschamps em poses nada usuais para atletas de foot (clique aqui para conferir).

Mas gosto não se discute, né?

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 19 de maio de 2014 Ex-jogadores, Extracampo | 19:24

Zidane ataca de novo em comercial para Copa; assista!

Compartilhe: Twitter

Abri 2014 neste blog postando um vídeo de propaganda da Visa para a Copa, com Zidane como um dos carrascos brasileiros históricos.

Abaixo, uma nova peça da campanha, agora explorando a rivalidade França x Itália com Zizou e Cannavaro. Ambos os garotos-propaganda da empresa de crediário participaram dos dois últimos duelos entre as seleções em Mundiais.

A campanha do título francês em casa em 1998 teve vitória sobre a Itália nos pênaltis, nas quartas de finais. Em 2006, veio o troco em grande estilo da Azzurra, na decisão, também nas penalidades.

Veja o vídeo com Zidane em apuros numa cantina cheia de italianos:

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 1 de maio de 2014 Brasileiros contra a França, Ex-jogadores, Extracampo | 00:18

Ayrton Senna e o futebol francês

Compartilhe: Twitter
Parc des Princes, 1994

Parc des Princes, 1994

“Lá vem esse oportunista mequetrefe de novo tentando atrelar um post a uma efeméride distante do foot“, podem pensar os detratores. Mas por mais que pareça forçação de barra uma coluna de futebol francês vir falar de um piloto de Fórmula 1 brasileiro, cuja morte completa 20 anos neste Primeiro de Maio, verás que há conexões sim. Cito duas:

1) Um dos maiores símbolos das vitórias de Senna, que reforçou seu patriotismo e identificação com a torcida francesa, surgiu em consequência da vitória dos Bleus sobre o Brasil na Copa de 1986. A F1 vivia o fim de semana do GP dos EUA, e no seio da equipe britânica Lotus, de motores franceses Renault, Ayrton era minoria (posteriormente esmagada) torcendo pra canarinho naquele confronto das quartas de finais do mundial mexicano.

No sábado, a França eliminou o Brasil nos pênaltis, com Platini rindo e Zico lamentando, como sabemos. No domingo, dia da corrida em Detroit, o futuro tricampeão mundial “se vingou” das piadinhas do seu time ganhando a prova, logo à frente de dois franceses (Jacques Laffite, em quem botou mais de 30 segundos, e Alain Prost, seu futuro desafeto). Após a bandeirada final, pediu uma bandeira brasileira a um torcedor e a ostentou com orgulho no carro, na volta de comemoração. A primeira vez de muitas dessas “ostentações” de “Ayrton Senna do Brasil”.

2) Em 20 de abril de 1994 vimos uma das últimas aparições públicas do piloto antes do fatídico fim de semana do GP de San Marino daquele ano. E foi na capital Paris, no estádio do Paris Saint-Germain! Convidado para dar o pontapé inicial do amistoso entre Brasil versus combinado PSG-Bordeaux, Senna deu aquele totó maroto na pelota, cumprimentou Raí (que atuou como capitão da seleção, embora fosse jogador do clube francês na época) e outros compatriotas (Ricardo Gomes era outro cedido pelo PSG ao time de Parreira), e viu o jogo das tribunas.

Nesse vídeo com lances de gol e narração em espanhol dá pra constatar que o time francês teve os brasileiros Assis (irmão de Ronaldinho Gaúcho, que na época jogava no Sion, da Suíça) e Márcio Santos (então no Bordeaux), o atacante Ginola e o goleiro Lama, que aliás foi muito bem. Mesmo na terra do já consolidado grande rival Prost, Ayrton foi aplaudido pela galera no Parc des Princes. O morno resultado de 0 a 0, no entanto, desagradou o tricampeão. “Isso é como uma corrida sem pódio e sem ultrapassagem”, comparou. Quase três meses depois, a seleção brasileira homenagearia o piloto nos festejos pelo tetra nos EUA, pro Mundial ao qual a França, desta vez, nem conseguiu ir…

Vários especiais sobre os 20 anos sem Senna (meu primeiro ídolo na vida – #quemnunca?) proliferaram na imprensa brasileira, então a quem se interessar recomendo o da revista Warm Up, do pessoal do site Grande Prêmio, liderado pelo jornalista Flávio Gomes. Pra quem curte automobilismo e prefere um jornalismo livre de paixões sobre o tema (como eu), é uma ótima pedida.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. Última