Publicidade

Arquivo da Categoria Copa do Mundo

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 Brasileiros contra a França, Copa do Mundo, Ex-jogadores, Seleção francesa | 17:55

France vs Brésil: História é o que não falta

Compartilhe: Twitter

Quarta-feira agora, cotidianamente conhecida como amanhã, as seleções masculinas de futebol de França e Brasil farão o 14º confronto desde sempre. A vantagem é ligeiramente brasileira: cinco vitórias, contra quatro francesas (21 gols canarinhos, 18 bleus). Foram quatro empates também, o que permite enxergar bastante equilíbrio no retrospecto.

Se bem que, nos últimos cinco embates, nada de vitória brasuca – a última foi há quase 20 anos, em 1992. De todos os participantes do jogão que se aproxima, cinco são os personagens que já disputaram um França x Brasil: Laurent Blanc, Eric Abidal, Alou Diarra, Florent Malouda e Robinho. O único francês que perdeu foi o técnico, quando era jogador, ainda no século 20…

Eis os duelos:

lequipe_13_07_1998

"Para a eternidade", sobre 12/07/1998 (Zidane, Djorkaeff e Petit na foto)

01/07/2006França 1 x 0 BrasilCopa do Mundo (Alemanha)
Apesar da desvantagem histórica, a última lembrança, entretanto, é doce para os europeus e catastrófica para os sul-americanos. A maestria de Zinedine Zidane e o gol de Thierry Henry em Frankfurt classificaram a França para a semifinal, mandando o Brasil de Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Kaká para casa na Copa. Quer rever os melhores momentos? Vídeo no pé do post! (com Galvão Bueno é mais gostoso…)

20/05/2004 – França 0 x 0 BrasilAmistoso (Saint-Denis)
Comemoração do centenário da Fifa, com os então campeões do mundo e da Europa em campo. Uniformes à moda antiga, pompa e circunstância, mas nada de gols, até porque Grégory Coupet foi muito bem.

07/06/2001Brasil 1 x 2 FrançaCopa das Confederações (Suwon, Coreia do Sul)
Semifinal do torneio ocorrido um ano antes do Mundial asiático. Pirés abriu o placar, Ramon empatou para a seleção de Emerson Leão (que tinha Leomar, Carlos Miguel, Robert e outros craques) e Desailly deu a vitória aos franceses.

12/07/1998 – França 3 x 0 BrasilCopa do Mundo (Saint-Denis) 
Eis que o mundo da bola conhece e reverencia Zizou – premiado, dias atrás, com o Laureus por sua carreira no esporte – autor de dois gols e vencedor de um duelo que não houve com Ronaldo, na época ainda Ronaldinho. Petit fechou o caixão do time do mestre Zagallo (veja o que o ex-volante faz da vida hoje). No último domingo, a edição impresa do L’Équipe relembrou o fato. O vídeo está lá no pé (tem Galvão? mas é claro!)

03/06/1997 – França 1 x 1 BrasilTorneio da França (Lyon)
Partida inaugural do mini-campeonato, que reuniu ainda Inglaterra (a campeã) e Itália. Roberto Carlos abriu o placar com aquela célebre bomba que fez uma impressionante curva para vencer Barthez. No segundo tempo, o empate veio com o obscuro Marc Keller, atacante que passou por clubes medianos nos anos 1990 e atualmente é dirigente do Monaco. Em seis jogos pelos Bleus, seu único gol foi aquele propiciado pelo rebote de Taffarel.
 
26/08/1992 – França 0 x 2 Brasil Amistoso (Parc des Princes, Paris)
Não me lembro deste jogo (tinha 10 anos na época…), nem achei vídeo no YouTube. Os Bleus, que tinham demitido Michel Platini do comando da equipe quase dois meses antes, foram comandados por Gerard Houllier, com Aimé Jacquet como preparador físico. O time já tinha os futuros campeões mundiais Blanc, Deschamps e Petit, assim como Papin e Ginola lá na frente. 

 
 

platini_alemao_86

Platini precedeu Zidane no posto de "francês mais odiado pelos brasileiros no futebol"

21/06/1986 Brasil 1 (3) x 1 (4) França Copa do Mundo (México)
Embora o estádio Jalisco tenha sido o principal palco do tricampeonato mundial em 1970, a última aparição canarinho por lá em Copas teve sabor amargo para a torcida brasileira: no duelo dos craques de então, Michel Platini deixou Zico para trás nas quartas-de-finais em Guadalajara, quando o Galinho perdeu pênalti, defendido por Joel Bats, que alteraria o placar de 1 a 1 no tempo normal e poderia ter evitado a posterior disputa por penalidades. Platini marcou o único gol sofrido pelo Brasil na Copa nos 90 minutos regulamentares. 
 
15/05/1981 – França 1 x 3 Brasil – Amistoso (Parc des Princes)
Zico, Reinaldo e Sócrates decretaram a vitória brasileira, com Didier Six descontando perto do final para os Bleus, que tinham Jean Tigana, hoje técnico do Bordeaux, naquele grupo.

01/04/1978 – França 1 x 0 Brasil – Amistoso (Parc des Princes)
Michel Platini decidiu aos 41 minutos do 2º tempo.
 
30/06/1977
 – Brasil 2 x 2 FrançaAmistoso (Maracanã, Rio de Janeiro)
Edinho e Roberto Dinamite deixaram os brasileiros em vantagem, mas Didier Six e Marius Trésor igualaram o placar final. Platini jogou os 90 minutos, assim como Bernard Lacombe, então atacante e posteriormente treinador e dirigente do Lyon.

28/04/1963França 2 x 3 BrasilAmistoso (Olympique des Colombes, Paris)
Os três gols brasileiros constam no currículo de um tal de Edson Arantes do Nascimento…

24/06/1958 – Brasil 5 x 2 FrançaCopa do Mundo (Suécia)
Just Fontaine, artilheiro do Mundial com incríveis 13 gols em 6 jogos (recorde até hoje), fez um dos gols franceses em Estocolmo. Raymond Kopa deu passe para os dois tentos gauleses. Mas Pelé, três vezes, Vavá e Didi arruinaram o sonho europeu de chegar à final. No YouTube dá para assistir a essa relíquia histórica, dividida em várias partes (procure por “World Cup 1958 Full Game Semifinal Brazil vs France”).

01/08/1930 – Brasil 3 x 2 FrançaAmistoso (Laranjeiras, Rio de Janeiro)
Primeiro duelo da história, vitória dos anfitriões de virada.

*Mais curiosidades sobre Brasil x França, como as comparações dos valores de passe de todos os jogadores convocados pro jogo de amanhã, você acha no blog Futebol em Números, do iG.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 2 de julho de 2010 Copa do Mundo | 23:25

Bravo Gyan

Compartilhe: Twitter

Artilheiro do Rennes no último Campeonato Francês, Asamoah Gyan foi o maior personagem de Gana na doída eliminação pelo Uruguai nas quartas de finais da Copa 2010, nessa sexta.

Estava em seu pé direito a vaga nas semifinais quando bateu pênalti no último lance da prorrogação. Mas colocou um pouco de força a mais do que o necessário, e a Jabulani explodiu no travessão e se afastou do gol.

Na decisão por pênaltis, para lá de tensa, Gyan teve culhões e não se ausentou de sua cobrança. Foi lá e meteu no ângulo de Muslera. Mas sua Gana acabou derrotada, e o atacante saiu muito desconsolado de campo. Talvez até mais do que os colegas, pela chance de ouro que desperdiçou.

Porém, pela braveza de não se esconder nos momentos decisivos, merece o aplauso deste blog. E pela bela Copa que fez, pode estar perto de realizar seu sonho de jogar o Campeonato Inglês. Vamos ver até quando o Stade Rennais o segura…

asamoah-gyan-gana

Só perde quem está lá. E quando o erro vem por centímetros, o que falar?

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 25 de junho de 2010 Copa do Mundo | 22:43

Para quem o blog vai torcer?

Compartilhe: Twitter

Copa 2010 nas oitavas de finais e o Le Blog du Foot precisa de alguém para torcer, diante do fiasco de França, Argélia e Costa do Marfim no Mundial. Vamos ver as oitavas e dar uma analisada, na ótica do futebol francês:

Uruguai x Coreia do Sul
Dois jogadores do Monaco se enfrentam: o meia Diego Perez,  na Celeste, e o atacante Chu-Yong Park, entre os asiáticos. Me simpatizo mais com o sul-coreano, embora ache o time sul-americano melhor.

Estados Unidos x Gana
Carlos Bocanegra, zagueiro norte-americano, joga no Rennes. Mas do lado ganês, temos seu colega de clube Asamoah Gyan, que já marcou duas vezes nesta Copa, e o jovem atacante André “Dede” Ayew, do recém-promovido Arles-Avignon. Vamos com os africanos então, única esperança do continente na competição.

Argentina x México
O zagueiro/lateral Gabriel Heinze, do campeão francês Olympique de Marselha, já marcou gol nesta Copa. Como do lado mexicano não há “franceses” e a seleção da Concacaf venceu a França neste Mundial, bamos con Argentina.

Alemanha x Inglaterra
Difícil aqui, pois em ambos os lados todos os convocados atuam nas respectivas ligas dos paises! E são dois membros da LIBMEIGE : Liga dos Blogs Menores do iG Esporte (risos). Como a amizade com Mário Monteiro é maior, Rogério Andrade que me perdoe, mas “Allez-manhá”!

Paraguai x Japão
Nenhum paraguaio no futebol francês. Mas o meia Daisuke Matsui atua no rebaixado Grenoble e fez uma boa partida contra a Dinamarca. Nippon!

Holanda x Eslováquia
Complicado, mesma situação de ALE x ING. Mas a Laranja é bem mais empolgante, tem jogadores de habilidade do meio para a frente… Então aqui é Nederlanda.

Brasil x Chile
Michel Bastos, meia do Lyon que é lateral com Dunga, aumenta a torcida pelo pentacampeão do mundo (mas tem que jogar mais, porque tem potencial para isso).

Espanha x Portugal
O zagueiro Ricardo Costa atua no Lille. Vamos com os irmãox da terrrinha!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 24 de junho de 2010 Copa do Mundo | 13:07

E os finalistas de 2006 se abraçam

Compartilhe: Twitter

Itália eliminada da Copa 2010 na primeira fase, assim como a França, sem conseguir vencer na África do Sul. Os finalistas do último Mundial dividem a dor da frustração antecipada.

Diminui um pouquinho a vergonha francesa, agora que uma potência da bola é outra “credenciada” ao posto de grande decepção da Copa. Como o mundo dá voltas em quatro anos!

Autor: Tags: , ,

Copa do Mundo, Seleção francesa | 01:22

Maradona = Henry = Luís Fabiano

Compartilhe: Twitter

Uma das coisas que mais se ouviu da imprensa depois da eliminação da França na Copa 2010, além de se dizer que foi justa pela decepcionante campanha que fez na África do Sul (adjetivos com os quais concordo), foi que se tratava de um punição merecida para quem “não merecia estar no Mundial” por causa da classificação “roubada” contra Irlanda por causa do gol irregular via mão de Henry.

Alto lá! Não se chega a uma Copa do Mundo só por causa de um lance ilegal. Primeiro, os Bleus ficaram em segundo lugar em sua chave nas eliminatórias europeias pelo futebol dentro de campo. Alcançaram a repescagem, assim como a Irlanda, por merecimento.

Segundo, é preciso lembrar que, quando Gallas marcou aquele gol que não deveria ter sido validado, o jogo estava 1 a 0 para a Irlanda, na prorrogação. Como a partida de ida, em Dublin, foi 1 a 0 para a França, a decisão se encaminhava para as penalidades máximas. Ou seja, nada estava decidido se o juiz da ocasião, o sueco Martin Hansson, não tivesse falhado feio. A Irlanda não estava se classificando, nem a França – ou alguém é favorito na disputa por pênaltis? A vitória tanto poderia ser verde quanto azul. Então, que ninguém se assegure que os franceses não mereceram estar na Copa da Jabulani, pois se trata de uma meia verdade.

Meia verdade é argumentar também que Hansson roubou a Irlanda. Foi um erro de arbitragem até que se prove o contrário. Ou foi demonstrado que o sueco estava mal intencionado? O que se sabe é que foi um erro crasso, como outros tantos que todos nós lembramos da nossa memória futebolística.

E outra: se vale o julgamento que os franceses foram sujos e antiéticos porque se valeram de uma “trapaça” na regra legalizada pela arbitragem, então Maradona (e os argentinos) e Luís Fabiano (e os brasileiros) também foram sujos e antiéticos, os primeiros em 1986 (“La Mano de Diós”) e os segundos no último domingo (“A Mão Santa”, contra a Costa do Marfim.

Nenhum francês chegou ao juiz depois do gol de Gallas para dizer: “anule, foi ilegal”, como sugeriu a revolta do resto mundo na época. Só que nenhum argentino fez isso na última Copa do México. E todos vimos que o Fabuloso negou para o árbitro que tenha usado o braço no segundo gol dele contra os marfinenses, mentindo sem se sentir mal por isso – muitos até riram disso, bem longe de lembrar que o brasileiro poderia ter confessado a infração.

Aos brasileiros que pensaram: “que sacanagem aquela do Henry, deveriam ter dito a verdade ao juiz”, vejam: enquete aqui do iG perguntou, depois de Brasil 3 x 1 Costa do Marfim, se Luís Fabiano deveria ter confessado ou não ao árbitro francês a irregularidade do seu gol. O que apontaram 69% dos internautas votantes? “Não”. 31% escolheram “Sim”. Na imprensa brasileira, vi quem dissesse: “Ah, não se comparam as situações de Henry e Fabiano, as circunstâncias são bem diferentes…”. Como se a ética tivesse um valor na fase de classificação e outro no mata-mata!

Se o brasileiro acha normal enganar o juiz para sair com vantagem marcando um gol ilegal, e azar do árbitro se ele não viu, que não condene o argentino, o francês e qualquer outro estrangeiro que pense ou aja igual. Um peso, uma medida!

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 22 de junho de 2010 Copa do Mundo, Seleção francesa | 23:37

Não acabou na África

Compartilhe: Twitter

Patrice Evra disse que vai expor, nos próximos dias, revelações que ajudarão a explicar o desastre da França na Copa 2010. Leia o que escrevi a respeito no iG, e fique à vontade para comentar abaixo. O que vem mais por aí?

Autor: Tags: , ,

Copa do Mundo, Seleção francesa | 12:58

França 1 x 2 África do Sul: para esquecer

Compartilhe: Twitter

O time titular entrou bastante modificado, assim como os Bafana. Clichy, Squillaci, Gourcuff, Cissé e Alou Diarra vieram como titulares, com este herdando a braçadeira de capitão de Evra, no banco. Henry seguia reserva, vendo Gignac e Djibril no ataque.

Mas uma das raras coisas que deram certo para os Bleus nesta Copa 2010 foi o hino, a sempre bela Marselhesa. Nos primeiros minutos, a França teve mais posse de bola e volume de jogo ofensivo, até a falha fatal de Lloris, errando o tempo de bola na saída em escanteio, que resultou em gol de cabeça de Khumalo, vencendo, pelo alto, o também alto Diaby.

Até aí, jogo perdido, mas reversível. Porém, Gourcuff, decepção total nesta Copa, fez o favor de subir com um sul-africano com o cotovelo na cara dele, que desabou no gramado. Expulso o camisa 8, a tarefa francesa começou a beirar o impossível.

Para piorar – sim, tinha como piorar! -, o azar francês apareceu em ataque da África do Sul, aproveitando-se do dia infeliz de Diaby, que ao rebater um cruzamento na área deu de presente para Masilela. O camisa 3 cruzou na pequena área, Mphela chegou mais firme que Clichy e, na força física, fez 2 a 0. Vendo o replay da jogada, constata-se como a zaga francesa se movimentou em função da bola e descuidou da marcação: erro primário! 

gourcuff domenech frança africa do sul

Gourcuff passa por Domenech: o meia só repetiu Kaká na expulsão besta

Antes do apito final, Gallas perdeu boa chance de descontar, não conseguindo desviar, cara a cara com o goleiro, perigoso cruzamento na área africana. Raymond Domenech colocou Malouda no lugar de Gignac para recompor o meio de campo, na volta do intervalo.

Chegando aos 10 minutos, Henry finalmente teve a chance de jogar, na vaga de Cissé. O problema é que a África do Sul seguia motivada, pois, com o Uruguai batendo o México, ela precisava de mais dois gols para seguir viva na Copa. No entanto, uma jogada enfim teve final feliz para os Bleus: Sagna e Diaby tabelaram no meio, o lateral avançou, meteu boa bola para Ribéry e, na área e de cara para Josephs, o camisa 7 cruzou para Malouda só empurrar para as redes, com o gol vazio. Ufa, não vamos sair do Mundial repetindo o vexame de 2002, com gols pró zero!

Aos 36, Domenech colocou o queridinho Govou no lugar de Diarra, tentando pôr o time mais pra frente. Henry e Ribéry demonstraram fôlego e vontade nos minutos finais, mas pouco perigo criaram. Acabou a Copa 2010 para a França, e é melhor ir para casa mesmo e recomeçar do zero quando Blanc chegar. Chega de “causar” na África, pois o título de maior decepção do Mundial ninguém deve tirar dos Bleus…

> Leia o relato completo de França 1 x 2 África do Sul

> Veja a galeria de imagens da partida em Bloemfontein

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 21 de junho de 2010 Copa do Mundo, Seleção francesa | 22:28

França x África do Sul: por um fio

Compartilhe: Twitter

1. Vencer por um gol de margem e torcer para o Uruguai ganhar por quatro ou mais gols de diferença do México, ou o México derrotar por cinco ou mais gols de diferença o Uruguai;

2. Vencer por dois gols de margem e torcer para o Uruguai ganhar por três ou mais gols de diferença do México, ou o México derrotar por quatro ou mais gols de diferença o Uruguai;

3. Vencer por três gols de margem e torcer para o Uruguai ganhar por dois ou mais gols de diferença do México, ou o México derrotar por três ou mais gols de diferença o Uruguai.

4. Vencer por quatro ou mais gols de margem e torcer para o Uruguai ganhar por um ou mais gols de diferença do México, ou o México derrotar por dois ou mais gols de diferença o Uruguai.

Não se trata de teste de múltipla escolha com pegadinha. São as alternativas do indigesto cardápio que os franceses têm pela frente, nesta terça-feira, se quiserem prolongar por mais tempo sua estadia na Copa 2010. A partida contra os anfritriões começa às 11h de Brasília, no mesmo horário de México x Uruguai.

Se pelo menos vencer e não deixar o Mundial sem marcar gols, já diminui o vexame que se tem visto nos últimos dias na delegação dos Bleus… Palpite? Empata com gols e dirá au revoir. E o seu?

> Leia a apresentação que produzi de África do Sul x França e acompanhe o tempo real do Placar iG.

Autor: Tags: , , , , ,

Copa do Mundo | 16:39

Boas lembranças dos Bafana. E de Parreira

Compartilhe: Twitter

França e África do Sul se encontraram apenas uma vez em campo em torneios oficiais (em dois amistosos, houve vitória francesa em 1997 e empate em 2000), e justamente numa Copa do Mundo. Foi em 1998, no início da caminhada francesa rumo ao título em casa. Naqueles 3 a 0 pró-Bleus, estavam em campo os então jovens Thierry Henry e Benny McCarthy, que provavelmente repetiriam o duelo em 2010, na condição de maiores artilheiros da história de suas seleções, se Parreira não tivesse cortado o sul-africano da lista dos 23 Bafanas.

Henry, inclusive, balançou as redes no estádio Vélodrome, em Marselha, após escanteio cobrado por Dugarry, encerrando a vitória construída anteriormente com gols do próprio Dugarry, aproveitando escanteio batido por Zidane, e de Issa, contra, desviando chute de Djorkaeff. A arbitragem foi do brasileiro Márcio Rezende de Freitas.

O engraçado agora é que um 3 a 0 nesta terça-feira seria fundamental para os Bleus de hoje na luta pela sobrevivência na Copa 2010. Assista a vídeo com os melhores momentos daquela partida:

Outro brasileiro estará em campo em Bloemfontein. Carlos Alberto Parreira dirige os Bafana Bafana, e tê-lo no banco de reservas adversário num Mundial também traz boas lembranças à França. Foram três vitórias francesas em três partidas contra seleções dirigidas pelo técnico : 4 a 1 sobre o Kuwait em 1982 (fase de grupos), 4 a 0 sobre a Arábia Saudita em 1998 (fase de grupos) e 1 a 0 sobre o Brasil em 2006 (quartas-de-finais). Portanto, Parreira tem razões de sobra para se benzer antes da bola rolar nesta Copa…

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

Copa do Mundo | 00:59

Elefantinhos esses da Côte D'Ivoire

Compartilhe: Twitter

Os Elefantes da Costa do Marfim não resistiram ao Brasil e correm sério risco de ser mais uma seleção africana eliminada precocemente da Copa no seu continente. Isso com ajuda da arbitragem e tudo, aliviando nas porradas para cima dos brasileiros. E o senhor juiz Stephane Lannoy é… francês! Que fase da França nesse Mundial… O blog só lamenta.

Felipe Melo Gervinho Brasil Costa do Marfim

Gervinho, que atua no francês Lille, entrou no segundo tempo, mas pouco fez (AP)

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. Última