Publicidade

segunda-feira, 6 de junho de 2011 Seleção francesa | 22:14

França goleia, mas não nos iludamos

Compartilhe: Twitter

Achei que os 4 a 1 sobre a Ucrânia, no amistoso de hoje em Donetsk, fosse a maior goleada francesa desde que este Le Blog (todos os direitos relaxados) se entende por um blog vivo (abril de 2009). Mas houve um 5 a 0 sobre as Ilhas Faroe, em outubro de 2009, em Guingamp, pelas Eliminatórias da Copa 2010, a fatídica. Então podemos dizer que foi a primeira goleada visitante sobre uma seleção com alguma história no futebol mundial não só de Laurent Blanc treinador, mas da história deste espaço.

Entretanto, não podemos fazer a leitura de que os Bleus atropelaram e venceram depois de um longo passeio em campo, pois a vitória só se concretizou nos minutos finais e, na maior parte da partida, não houve domínio francês. Para começar, Blanc fez muitos testes. Mexeu sobremaneira no time titular que vinha jogando por eliminatórias da Euro e amistosos anteriores e, no segundo tempo, fez nada menos que seis alterações, ou seja, mudou mais da metade da equipe.

Jogaram: Mandanda (capitão); Evra, Sakho (Abidal, 30 do 2º), Kaboul e Réveillère; Cabaye (Martin, 30 do 2º), Mvila e Matuidi (Diaby, 30 do 2º); Rémy (Ribéry, 19 do 2º), Gameiro (Benzema, 19 do 2º) e Menez (Malouda, 19 do 2º). Sem gols, o primeiro tempo teve a melhor chance de gol para a França, depois que Rémy dividiu com o marcador, a bola sobrou pra Gameiro finalizar de frente para o gol e o goleiro ucraniano fez difícil defesa. Menez se movimentou bastante, desestabilizando a defesa adversária.

frança-martin-afp

Entre tantas emoções, o nome do jogo dá uma de "chicleteiro" na comemoração (AFP)

A segunda etapa ganhou emoção com um gol para cada lado logo nos primeiros minutos. Primeiro Tymoshchuk bateu de longe e a curva do arremate enganou Mandanda, precipitado na queda. Porém, o golpe não foi sentido pelos visitantes porque o empate saiu rapidamente, quando Gameiro “tabelou com o marcador” num lance de sorte (o passe, que ia para Rémy, foi interceptado apenas parcialmente), recebeu na pinta para encher o pé, encheu e meteu no canto.

Depois da “revolução” promovida por Blanc com as mexidas no time, brilhou a estrela do debutante Marvin Martin, com dois gols e uma assistência a partir dos 42 minutos. Primeiro ele arrancou da ponta para o meio, chutou com veneno e o goleiro caiu tarde, não alcançando a bola no cantinho. Pouco depois, bateu escanteio que o zagueirão Kaboul cabeceou sozinho para as redes, marcando também seu primeiro gol bleu.

Fatura liquidada, mas placar não. Aos 47, Ribéry dividiu na altura da intermediária, Benzema aproveitou, esperou Martin chegar na corrida à sua esquerda, rolou e o sochaulien definiu com classe, por cima do arqueiro que tentava fechar o ângulo. Que noite do estreante! Mas o realista Blanc não se exaltou pelo resultado, e está certo. Pode ter ficado feliz, talvez, por concluir que Menez, Gameiro e Martin têm potencial para lhe ajudarem no decorrer dos jogos, e felizmente está certo também.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

3 comentários | Comentar

  1. 23 Bruna 07/06/2011 21:47

    Martin joga bem demais pra um estreante

  2. 22 Adamo Alcantara 07/06/2011 20:32

    A França perdeu qualidade depois da crise dos bi-nacionais…ou é coincidência?

  3. 21 Filipe Frossard Papini 07/06/2011 20:19

    Martin que pode ser jogador do Lyon na próxima temporada. Nome forte

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.